#JornalismoSemFakeNews

19 de outubro de 2010 às 15:00

Sempre aliada do governo federal, Wilma deixa claro que o RN não foi tão bem tratado assim…

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Não ouvi a entrevista da ex-governadora Wilma de Faria, hoje cedo, ao jornalista Jurandy Nóbrega, da 94FM.
Onde estou não foi possível conectar-me à emissora.
Recebi relato da assessoria de Wilma, falando sobre a entrevista, depois que ela passou 15 dias dando um tempo, o que chamou de "repouso da guerreira”, que começou a entrevista agradecendo os mais de 650 mil votos que recebeu, e que interpreta como "o reconhecimento do nosso trabalho no governo”, agradeceu, Wilma, justificando que sua missão no governo "foi cumprida".

“Fizemos um grande governo que foi abafado por setores da imprensa”…sem dizer nomes…
Wilma atribuiu ao voto casado dos adversários Garibaldi e Agripino, a sua derrota nas urnas.
“Não que Hugo não seja capaz, competente e um bom candidato”., disse Wilma, sabendo que ele não era um bom candidato – e isso não é culpa dele – diante dela própria, e dos dois fortes concorrentes.
Choveu no molhado com essa declaração.

A ex-governadora deu a entender que fez uma camapnha sem dinheiro. Faltou para ela o que sobrou para os adversários.
"Se convocada irei ficar junto da população”, disse a ex-governadora, questionada sobre seu futuro político.
Como será esse "ficar junto" ela não explicou.
Ao Blog ela afirmou categoricamente que não será candidata à prefeita de Natal em 2012.
Vamos aguardar…

“Vou ouvir o meu partido. Ainda não debatemos essa derrota. No momento o meu papel é de oposição. O povo me delegou essa missão. Posso fazer política sem mandato”.
Segundo Wilma os deputados eleitos farão oposição construtiva e responsável na Assembléia Legislativa: ”Não vamos imitar os erros dos outros que me fizeram oposição”.
Mas Wilma sabe que, mais dia, menos dia, ela deixará de contar com algum desses que ela hoje tem como aliado.
Faz parte do cotidiano da Praça 7 de Setembro e ela sabe disso porque já passou por isso.
Às vezes tem quem não resista a um sisples piscar de olhos…

Sobre a governadora eleita Rosalba Ciarlini, Wilma disse que dará um crédito de confiança ao governo dela. E parabenizou a Rosa pela vitória.

“Eu quero parabenizar a governadora Rosalba. É mais uma mulher no governo. Isso é muito bom. Certamente o povo se inspirou no nosso exemplo para eleger mais uma mulher”.
Aliadíssima do governo Lula, com quem disse sempre contar…Wilma teceu críticas.
Deixou claro que não foi tão bem tratada como sempre disse…e afirmou que Rosalba sofrerá muito com a falta de repasses prometidos. “O próprio Iberê ainda está sofrendo”, disse se referindo aos tributos federais.

“A exceção é o ICMS que tem aumentado, uma competência nossa”, disse a ex-governadora, expondo dessa forma o governo de Iberê Ferreira, que tem repassado o recolhido para a Prefeitura de Natal, com base em índices beeem inferiores ao que normalmente são repassados.

Sobre a derrota de Iberê, Wilma foi bem clara: “A derrota não tem pai nem mãe. Já pela vitória todo mundo quer ser responsável”.
Wilma, e a torcida do Flamengo sabem, que não houve motivo para a derrota de Iberê.
O que aconteceu foi que a candidata Rosalba Ciarlini caiu na graça do eleitorado potiguar.
E quando, entre dois, tem um considerado ótimo, o considerado muito bom, se for o caso, pode fazer milacria mas não supera o ótimo.
Foi isso.

Sobre as críticas do deputado João Maia, e do secretário de Iberê, Júlio Protásio, apontados como seus aliados, Wilma respondeu bem humorada: “Aliados? … os aliados também devem se auto-avaliar. Como se comportaram e como participaram da campanha. Isso não vai me desanimar”.
Deu pra entender que nesse time, ela incluiu mais alguém, além de João e Júlio.
A hora, segundo ela é de repensar, refletir e não culpar ninguém. “Se houve uma decisão popular, meu papel é na oposição”.
Sobre um possível lugar no Ministério de Dilma – se eleita for – Wilma disse apenas que “Meu lugar é aqui em Natal".

Sobre o possível apoio de sua adversária, a prefeita Micarla à Dilma, ela foi…política: “O que for melhor para a vitória de Dilma sou favorável. A ministra Dilma aceita todos os apoios. O PSB não faz restrições”.

Mesmo sem foro privilegiado, Wilma disse que não tem nenhuma preocupação com possíveis processos na justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.