#JornalismoSemFakeNews

26 de novembro de 2010 às 6:03

Wilma reage e diz que empresário mentiu ao dizer que repassou 3 milhões para pessoas ligadas a ela

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Sobre as acusações feitas pelo empresário Anderson Miguel,m envolvido na Operação Higia, e que ontem prestou depoimento ao juiz Mário Jambo, da Justiça Federal, a ex-governadora Wilma de Faria, falou… 
Ela deu entrevistas ontem aos jornais Tribuna do Norte e Diário de Natal.
Também se defenderam o jornalista Diógenes Dantas, citado por Anderson Miguel como responsável por pegar dinheiro em sua empresa para entregar ao advogado Lauro Maia, e o advogado Kelps Lima, acusado de receber repasses dos contratos terceirizados da empresa de Anderson com o governo do Estado, para entregar ao deputado Wober Júnior.
Eis a reportagem da Tribuna:

A ex-governadora Wilma de Faria reagiu com indignação à acusação do empresário Anderson Miguel, responsável pela AIG. Anderson afirmou, em depoimento ontem à Justiça Federal, que a ex-governadora Wilma de Faria tinha conhecimento do recebimento de propina por parte do filho, o advogado Lauro Maia. “Estou indignada com esta notícia”, disse a ex-governadora. Wilma de Faria destacou que a declaração do empresário no depoimento “é uma mentira”. 
Ela afirmou que não acredita nas acusações contra Lauro Maia. “Lauro também é inocente. Assim como outras pessoas do meu governo que são acusadas. Pelo menos parto do princípio de que são inocentes. Podem estar sendo investigadas, mas isso é outra coisa”, comentou a ex-governadora.
Wilma de Faria destacou que hoje é uma simples cidadã, sem exercer mandato eletivo, mas não aceitará agressões contra a honra. “Todo mundo sabe que sou a mesma pessoa no poder e fora do poder”, disse.
A ex-governadora sustentou ainda que realizou uma administração totalmente “pautada pela ética. pela correção e pela responsabilidade”. “Durante toda a minha vida pública fui perseguida”, lamentou, “apesar de não ter ganho a eleição (para o Senado, neste ano), não vou perder minha honra, de forma alguma”. Ela afirmou que desconhece os motivos que Anderson Miguel teria para fazer essas acusações. “Não sei a quem ele está querendo agradar ou se está simplesmente a serviço de algum grupo político ou de alguém”.
Wilma de Faria lembrou ainda que houve um episódio no qual foi acusada de ter conta na Suíça e essa acusação foi desmentida na época. “Demorou muito tempo para o Ministério Público do Rio Grande do Norte constatar que se tratou de uma farsa. Mas a verdade veio à tona”. Segundo a ex-governadora até hoje não se identificou o responsável pelas acusações infundadas.

Jornalista se coloca à disposição da Justiça

O jornalista Diógenes Dantas, também citado no depoimento do empresário Anderson Miguel da Silva no prédio da Justiça Federal, na manhã de ontem, se disse surpreso. “Não tenho e nunca tive qualquer relação comercial, profissional e pessoal com este senhor. Por solicitação dele, eu estive na sede da empresa A&G em novembro de 2007 para apresentar o projeto do Portal Nominuto.com e tentar vender espaço comercial como sempre fiz nos contatos com empresários e dirigentes de instituições públicas, afinal, como veículo de comunicação, o Nominuto se mantém com a venda de propaganda”, justificou o jornalista.
Segundo Diógenes Dantas no dia 30 de novembro, conforme arquivo no portal Nominuto.com foi encaminhada uma proposta comercial que sequer vingou, cessando aí qualquer tipo de contato com esta empresa, que na época da visita merecia o respeito do jornalista e foi tratada de forma idônea. “A forma como tenho agido ao manter reuniões com potenciais anunciantes do mercado local. Rechaço qualquer citação ou denúncia de envolvimento com qualquer um dos personagens da Operação Hígia”, disse Diógenes Dantas
E acrescentou: “Aliás, isso está claro na cobertura registrada pelo Nominuto.com, um dos primeiros a noticiar o episódio e seus desdobramentos. Como também na minha atuação no Jornal 96 e como editor do semanário Nasemana, que circulava na época do escândalo político/administrativo”.
Para finalizar, o jornalista Diógenes Dantas falou “lamento a citação do réu no processo e estou à disposição da Justiça para prestar esclarecimentos, se assim for necessário. Sua defesa foi enviada para todos os veículos de comunicação na tarde de ontem.

“Calúnia, injúria e difamação”

Calúnia, injúria e difamação. É assim que o ex-secretário Kelps de Oliveira Lima classificou as denúncias feitas pelo empresário Anderson Miguel durante depoimento na manhã de ontem na Justiça Federal.
O ex-secretário disse que tomou conhecimento da acusação feita por Anderson Miguel, através do blog do jornalista Daniel Cabral. Blog que reproduziu a sua resposta na íntegra. “Ele citou meu nome em uma suposta cobrança de propina na negociação de contratos com o governo do Estado. E gostaria de dizer que não conheço este empresário”, disse Kelps Lima.
E continuou: “Nunca estive com ele pessoalmente, nunca falei com ele pelo telefone, ou por qualquer outro meio de comunicação. Nunca estive em sua empresa, nem ele no meu escritório. Não sei, sequer, qual a fisionomia deste mentiroso”, disse.
Kelps Lima disse que não tem nem nunca teve nenhum tipo de relação com empresas desse empresário ou qualquer outra empresa que tenha contrato com a Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Norte. “Nunca ocupei nenhuma função relacionada com a Sesap. Desconheço os interesses que levaram este irresponsável a fazer tais afirmações em sua Delação Premiada”.
Indignado o ex-secretário acredita que tudo isso surgiu por causa de um interesse de ordem política e declarou “Tomarei as medidas cíveis e criminais cabíveis contra o autor de tal calúnia, injúria e difamação”, concluiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.