Thaisa Galvão

6 de janeiro de 2012 às 19:48

Prefeitáveis barrados no palanque…ôps…no altar [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Barrados no altar…

Depois da procissão de encerramento da festa de Santos Reis, no bairro de mesmo nome, em Natal, eis que os políticos que imaginavam subir no palanque…ôps…no altar…foram barrados.

Nenhum prefeitável teve direito ao pódio.

Para acompanhar a missa celebrada pelo arcebispo Dom Matias, de cima do palanque…ôps…do altar, só receberam sinal verde a governadora Rosalba Ciarlini, o ministro Garibaldi Filho e o senador José Agripino.

Os que disputam votos este ano foram literalmente barrados do palanque…ôps…do altar.

Tiveram que assistir à missa do chão…

Justificativa da Igreja: tinha muito padre no altar e ia ficar muito cheio.

Teve quem acreditasse.

Garibaldi, Rosalba, e ao lado, sem ser visto na foto, Agripino (Fotwitter @GaribaldiFilho)

2 respostas para “Prefeitáveis barrados no palanque…ôps…no altar”

  1. AAAA disse:

    Por volta das 9:00 da manhã do dia 1 de janeiro uma menina de 11 anos foi atropelada na praia de Zumbi por um veículo SORENTO(KIA),NNN 6070/Natal, jogada a 40 metros de distância. A família da vítima é de Natal, mas estava aqui de férias, pois reside em Brasília-DF. A condutora do veículo é a Sra Larissa Pimentel, filha de Pio Marinheiro, que covardemente alegou no B.O que a criança estava sozinha no local do acidente. O que é mais absurdo é que a criança não teve chances nehuma de socorro, pois morreu na hora, isso quer dizer que a condutora mais que provavelmente, estava em alta velocidade, como testemunhas alegam. A mesma se escondeu em uma residência, próxima ao local do acidente e só saiu na presença da polícia e ainda chegou a delegacia antes que os familiares da vítima, que covardemente foram ameaçados e maltratados pela justiça do local. Que justiça é essa que protege aqueles que possuem sobrenome e deserdam aqueles que precisam de conforto, de paz? A Sra Larissa poderia até não ser culpada, que fosse de fato uma fatalidade, mas se tivesse coração teria tido a humildade de entender a dor de uma mãe, de um pai ao perder no primeiro dia do ano uma filha de 11 anos.

  2. luciannna disse:

    Tanto a procissão como a missa eram atos liturgicos e nao politicos. Mas fica a pergunta Pq O suplente ubaldo fernandes teve acesso ao palco da missa??? O senador José agripino ficou magoado pq barraram seu filho, o deputado federal Felipe Maia…..e o senador desceu e foi embora resmungando…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*