Thaisa Galvão

31 de janeiro de 2012 às 19:14

George Leal e Carla Ubarana: bens deverão ser sequestrados [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Tribuna do Norte Online:

Operação Judas: Justiça decreta sequestro dos bens de George Araújo Leal e Carla Ubarana

A Justiça acatou o pedido do Ministério Público e decretou o sequestro dos bens da ex-chefe da Divisão de Precatórios do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte, Carla Ubarana, e do marido, George de Araújo Leal. A informação foi confirmada na tarde desta terça-feira (31).

Os dois são suspeitos de serem os principais beneficiários do suposto esquema fraudulento dentro da Dvisão de Precatórios do TJ, onde há investigação em curso desde a primeira quinzena deste ano.

A lista dos bens bloqueados não foi divulgada, mas o casal é proprietário de pelo menos dois imóveis em Petrópolis e uma mansão na praia de Baía Formosa, além de carros de luxo, como um Mercedes avaliado em mais de R$ 600 mil.

O casal foi preso na manhã desta terça-feira (31), durante a operação Judas, do Ministério Público com a Polícia Civil, contando com o apoio da Polícia Militar de Pernambuco. Além dos dois, também foram presos Carlos Eduardo Cabral Palhares de Carvalho, Cláudia Suely de Oliveira Costa e Pedro Luiz da Silva Neto.

2 respostas para “George Leal e Carla Ubarana: bens deverão ser sequestrados”

  1. Mauricio Pandolphi disse:

    Somente eles serão punidos, os que já foram presos? Sinceramente, seremos todos tolos se acreditarmos que essa falcatrua tenha sido praticada sem a participação direta, o compadrio ou, no mínimo, a escandalosa omissão de gente hierarquicamente acima deles!

  2. Maurício Giovani disse:

    Meu caro Xará! Entendo a sua indignação, mas não podemos também de forma precipitada, começar a imaginar que existe um Tribunal que está acobertando isso. Poderá ser um caso isolado visto que, se a Presdiente do Tribunal tomou a iniciativa da investigação, é porque o TJ/RN não compactua com esse tipo de atitude. O Tribunal de Justiça e o seu corpo funcional, incluindo-se os Desembergadores e funcionários efetivos ou terceirizados são dignos da nossa maior confiança, bem como, o Poder Judiciário em Geral. O que está ocorrendo com a questão dos Precatórios é que hoje a lógica foi invertida. O Poder Público que maltrata o cidadão comum em seus direitos está com suas condenações aliviadas pelos Juízos de Primeira Instância, Tribunais Estaduais bem como, os Tribunais superiores. São pessoas que sofreram com o descaso quanto ao atendimento público, tiveram direitos salariais mitigados, sofreram agressões em sua honra por parte de funcionários públicos ou policiais, bem como, outros tipos de condenação que além de serem irrisórias, demoram uma eternidade para serem pagas. O valor baixo das condenações e a demora no pagamento, incentivam os detentores do Poder a institucionalizar o calote, bem como, a impunidade quanto aos seus atos, pois maus gestores e outros que causaram prejuízos ao cidadãos comuns sentem-se no direito de continuar praticando indefinidamente, até que alguém o detenha. Vamos fazer uma campanha pelo aumento no valor das condenações bem como, pela celeridade do pagamento sob pena de prisão do gestor que tentar burlar a ordem judicial. Esses desvios decorrem também da falta de fiscalização externa doTribunal de Contas e do Minsitério Público. Há bem mais cuplados nessa história, seja por ação ou por omissão. Vamos aguardar os resultados e exigir que a Justiça seja feita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.