Thaisa Galvão

10 de fevereiro de 2012 às 8:34

Agripino: “Privatização e concessão nas campanhas do PT eram assuntos demonizados” [10] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador José Agripino não perdeu tempo depois de acompanhar as concessões dos aeroportos brasileiros.

E diante das críticas antigas do PT ao programa de privatizações do governo FHC, devolveu com a mesma moeda.

“Processo de privatização e concessão nas campanhas do PT eram assuntos demonizados, como se fosse o fim do mundo, a catástrofe final. O governo cedeu à privatização porque não tem dinheiro e não tem dinheiro porque gasta demais. Em 2010, gastou o que não tinha com a campanha eleitoral. Consequentemente, aumentou a inflação e, por sua vez, as taxas de juros”, criticou Agripino, no primeiro discurso em plenário após a volta dos trabalhos legislativos.

Apesar da alfinetada, o presidente nacional do DEM comemora as concessões, mas pede aplicação coerente do capital privado.

“Privatizaram os ‘filés’ Guarulhos, Brasília e Viracopos, e daqui a pouco vão privatizar outros como o Galeão e Confins. Mas eu pergunto: e os arredores? Não se pode tomar decisões de forma atrapalhada. Em nome do acerto, defendo que se aplique corretamente o capital privado para que decisões corretas de hoje tragam reflexo para o futuro”, discursou Agripino.

 

10 respostas para “Agripino: “Privatização e concessão nas campanhas do PT eram assuntos demonizados””

  1. Arthur Rodrigues disse:

    Esse senador pensa que engana mais a quem, nas suas falácias? Ele deveria ter se preocupado por ocasião da privataria tucana, apoiada por ele, quando o dinheiro arrecado o gato comeu e ninguém viu.

  2. clara bezerra disse:

    gostaria de vê publicado neste conceituado blog, essa matéria postada no blog “os amigos da onça”

    santo Antônio/RN: Vereadora Goreth Orrico denuncia esposa do prefeito por acúmulo de cargos e médicos do PSF ao Ministério Público

    A vereadora Goreth Orrico (PT) denunciou dois médicos que constam no cadastro do CNES (Cadastro Nacional dos Estabelecimentos de Saúde) do Programa Saúde da Família e que não dão expedientes, como também dois médicos que vem cobrindo a ausência dos colegas faltosos deixando de cumprir a sua carga horária conforme determina o referido programa, além da esposa de Dr. Gilson, Prefeito de Santo Antônio, ao Ministério Público Federal por ela estar indevidamente acumulando funções, ultrapassando a carga horária permitida pela lei brasileira. De acordo com a parlamentar, Drª. Araunã em 2009 esteve cadastrada como médica da comunidade da Umburana durante um período de dois meses consecutivos (junho e julho) no Programa Saúde da Família, porém ela sequer deu um único dia de expediente naquela localidade. No mesmo período a esposa do prefeito era ainda diretora do hospital regional Lindolfo Gomes Vidal e secretária municipal de assistência social em nosso município. Com todos esses cargos, a nossa primeira dama chegava a um total de 120 horas semanais de trabalho. De acordo com a Constituição Federal do Brasil é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de horários, observado em qualquer caso o disposto no inciso XI. a) a de dois cargos de professor; b) a de um cargo de professor com outro técnico ou científico; c) a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas.
    “Essa atitude demonstra a falta de respeito com os recursos públicos, causando sérios danos para um município tão carente como o nosso o que demonstra a falta de cumprimento com os princípios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade e eficiência. É um dever do agente público pautar sua conduta por padrões éticos que têm por fim último alcançar a consecução do bem comum, independentemente da esfera de poder ou do nível político-administrativo da Federação em que atue”, disse a vereadora.
    Além disso, a vereadora Goreth Orrico afirma que a moralidade administrativa constitui hoje em dia, pressuposto da validade de todo ato da Administração Pública entendida como o conjunto de regras de conduta tiradas da disciplina interior da Administração. O agente administrativo, como ser humano dotado da capacidade de atuar, deve, necessariamente, distinguir o Bem do Mal, o honesto do desonesto. E, ao atuar, não poderá desprezar o elemento ético de sua conduta. Assim, não terá que decidir somente entre o legal e o ilegal, o justo e o injusto, o conveniente e o inconveniente, o oportuno e o inoportuno, mas também entre o honesto e o desonesto.
    Segundo a vereadora, não é concebível que atos atentatórios à moralidade administrativa como nepotismo, o conceder ou usufruir de mordomias indevidas, a promoção pessoal do administrador, etc., possam ainda ser práticas adotadas por “alguns” gestores que tentam agredir a legislação em vigor. De acordo com a vereadora a mesma espera que o Ministério Público Federal possa fazer a sua função de defender os cidadãos contra eventuais abusos e omissões do Poder Público quanto defender o patrimônio público contra ataques de particulares de má-fé, fiscalizar o cumprimento das leis editadas no país, etc.

    Veja nos anexos abaixo: A nomeação da Diretora Geral do HRLGV publicada no Diário Oficial do Estado, o Despacho do MPF/RN, o Ofício expedido pelo HRLGV a Procuradoria da República do RN, a Portaria nº. 007-A/2009 – Sra. Araunã Rodrigues Gomes é nomeada Secretária Municipal de Assistência Social.

    Clique nas imagens para vê-las em tamanho ampliado:

      

    
     
     

  3. marcelosouza disse:

    Eu ateh entendo a confusão do senador Agripino, pela falta do que falar, confunde concessão com dilapidação e doação do patrimônio publico como eles fizeram junto com os tucanos.

  4. Vicente disse:

    Thaísa, no blog de jean carlos de Pau dos Ferros tem um nota sobre a eleição de Major Sales. O deputado Raimundo bigodão já se juntou com Dedezinho que traiu ele nas eleições. Politico é tudo igual.

  5. J. Aguiar disse:

    O Senador-privataria está querendo confundir a população ao tentar justificar a privataria comandada por seus comparsas na era FHC quando o patrimônio nacional foi entregue a toque de caixa e até o momento não se viu o dinheiro, nem o que fizeram dele. Muito diferente do que se faz agora quando há concessão e o dinheiro resultante sendo investido em várias areas sociais.

  6. Maurício Giovani disse:

    Caro Arthur Rodrigues! Não custa nada lembrar da privataria da Petrobras que há muito tempo é uma máquina de fazer dinheiro a serviço da companheirada, pois a mesma não passa de um ralo de dinheiro público a serviço das esquerdas e do PT. Como explicar o preço da gasolina? Essa história de Petróleo é nosso não passa de medo de que e mesma seja privatizada e a roubalheira de mais de cinquenta anos venha à tona. É bom o senhor se informar quantos candidatos se servem por aí das gordas verbas desviadas via ONGS indicadas pelos companheiros para serem beneficiadas pela Petrobras. Me parece que queriam criar uma CPI das ONGS mas abafaram logo. Por que hein? O senhor bem que poderia explicar.

  7. Fera disse:

    A verdade é…..Zé…caiu no ridículo….kkkkkkkkkkkk

  8. Podem espernear, porque no fundo o senador tem razão. O PT se posicionou contra todas as privatizações. Agora, resolve usar daquilo que o partido não aceitava sequer discutir. Só nos resta saber qual tratamento que dará aos demitidos pós-privatização.

  9. titico disse:

    Depois que o PT assumiu, o Brasil se multiplicou por mil. Zé e o DEM faliu.

  10. waltervony de araujo disse:

    taizer eu sou sua fa gostaria muito que busca se em formaçoes sobre o meios lembra e que em ferlismente esqueserao so uma focionaria do meios restorante popular amiga assu tchau abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*