Thaisa Galvão

20 de dezembro de 2012 às 8:33

Instituições federais se unem para combater o desvio de dinheiro público [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Assessoria da Procuradoria da República no RN:

 

Instituições federais se unem no enfrentamento ao desvio de recursos públicos

 

O Ministério Público Federal no Rio Grande do Norte (MPF/RN) firmou um acordo de cooperação com a Polícia Federal (PF), Controladoria Geral da União (CGU), Tribunal de Contas da União (TCU) e Receita Federal do Brasil (RFB), nesta quarta-feira, na sede da Superintendência Regional da PF.

O MPF/RN foi representado pelo procurador-chefe substituto, Ronaldo Pinheiro, e pelo procurador da República Rodrigo Telles, coordenador do Núcleo de Combate à Corrupção. A meta principal do acordo de cooperação técnica é fortalecer a atuação dos órgãos envolvidos no enfrentamento ao desvio de recursos públicos.

Projetos e ações de interesse comum serão desenvolvidos no sentido de compartilhar tecnologias e informações. A expectativa é que esses órgãos federais se unam em determinadas investigações e operações de repressão à corrupção e aos atos de improbidade administrativa.

O acordo prevê troca de experiências e auxilio técnico entre as partes, desde a produção de provas em casos de investigação, até a realização de eventos, como seminários, cursos e treinamentos que capacitem os integrantes das instituições a atuarem de forma ainda mais eficiente na defesa do interesse público.

Está prevista ainda a realização de ações preventivas e, se necessário, a criação de um escritório integrado para representantes dos órgãos trabalharem conjuntamente. A prioridade será dada a casos e notícias-crime de maior relevância financeira e de maior potencial ofensivo.

 

 

2 respostas para “Instituições federais se unem para combater o desvio de dinheiro público”

  1. Maria Silva disse:

    Estima Thaisa, eu admiro demais as questões que você publica em seu blog e como eu acabo de ser mais uma vítima da prática lesiva ao consumidor do Supermercado Bompreço da Alexandrino de Alencar que marca um preço na prateleira e cobra outro, sempre a maior, quando se registra no caixa. Isso é também uma forma de desviar dinheiro do consumidor que já paga tão caro pelos impostos em cada produto. Hoje mesmo a coca-cola 3 litros está marcando o valor de R$ 4,95 e o caixa registra R$ 5,15. Ai funciona o “se colar colou”, se o consumidor se der conta eles devolvem a diferença “roubada”, senão já era. Tentei solicitar fiscalização do PROCON estadual e, lamentavelmente, fui informada pelo Sr. Manoel Ionaldo que no momento eles estão sem estrutura para tal. A quem recorrer? Não é a toa que os empresários de má índole deitam e rolam nesse país, pois até chegar a um Cachoeira da vida, já roubaram muito. A vontade que dá é ficar na porta do supermercado com um megafone alertando os consumidores. Mas, certamente, seria presa na mesma hora.
    Oh! amiga desculpe o desabafo, mas não consigo e não quero deixar de me indignar com a falta de vergonha instalada em nosso país.
    Muito obrigada.
    Maria Silva

  2. Maurício Giovani disse:

    Cara Thaísa! A OAB/RN tão preocupada em impedir a posse do Deputado Poti Júnior no TCU/RN não está nem aí para exigir punição para os mensaleiros do PT. Por que será hein? Será que até os mensaleiros conseguiram calar a OAB? ou será que a OAB também está aparelhada pelo Governo dos Mensaleiros? Com a palavra a OAB/RN.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.