Thaisa Galvão

9 de julho de 2013 às 12:16

Centrais sindicais consideram oportunistas partidos que querem participar da mobilização da quinta-feira [2] Comentários | Deixe seu comentário.

A paralisação desta quinta-feira, marcando o dia nacional de lutas, pode ser menos tranquila do que se possa imaginar pelo Brasil afora.

É que o PT está mandando seus militantes afrouxarem as gravatas, fecharem os gabinetes e voltarem para as ruas, podendo provocar um confronto com os manifestantes de centrais sindicais que já avisaram: não querem políticos nem partidos infiltrados no movimento.

Nas ruas, o PT, com bandeiras estreladas nas mãos, vai defender o plebiscito e a reforma política da presidente Dilma Rousseff.

Já as centrais sindicais vão protestar contra…o governo do PT. E contra toda a classe política.

E aí estão incluídos no pacote o mensalão, a importação de médicos, o caos na Saúde pública, a crise na Educação, a falta de segurança, os gastos com a Copa do próximo ano, a inflação, os voos da FAB…

As centrais sindicais acusam os partidos de oportunistas. E são mesmo.

O tal ‘gigante que acordou’ não tem partido, não é filiado, não é militante.

O tal ‘gigante que acordou’ é exatamente o que estava há anos sendo atacado pela classe política. Em silêncio.

A Força Sindical é a mais radical na luta contra a infiltração de bandeiras partidárias no movimento.

“Não aceitamos que o partido pegue carona na nossa pauta”, diz o secretário-geral, João Carlos Gonçalves.

 

Presidida pelo deputado Paulo Pereira da Silva (PDT-SP) e rompida com o governo federal, a Força Sindical também vai pras ruas cobrar mudanças na equipe econômica.

 

*

Em Natal, as centrais sindicais estão convocando os manifestantes para concentração às 9 horas, nas proximidades do Midway Mall.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*