Thaisa Galvão

21 de julho de 2013 às 12:11

Com maca presa no Walfredo Gurgel, SAMU atrasou atendimento em 1h30, enquanto acidentado sangrava na rua [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O problema é antigo: as ambulâncias do Samu chegam ao Walfredo Gurge, com pacientes em urgência, sejam acidentados ou doentes (infarto, por exemplo), entregam os mesmos e…com eles ficam as macas.

Por falta de leitos e macas no maior pronto-socorro do Rio Grande do Norte, as ambulâncias do Samu terminam sendo desfalcadas.

E o serviço de urgência, mais do que prejudicado.

Ontem, o exemplo disso:

 

Um rapaz trafegava em uma moto na BR-101, à altura da passarela de Neópolis, quando bateu em um carro.

O motorista não prestou socorro e se mandou.

O motoqueiro ficou caído no chão, com um corte na cabeça, perdendo sangue.

 

Logo após o acidente, o leitor Juninho (@junin_natal) chegou com uns amigos, e começaram a ligar para o SAMU.

Somente uma hora e meia depois do acidente chegou a ambulância. E os profissionais, atentos, justificaram que estavam com a maca presa no Walfredo, daí o atendimento retardado.

O motoqueiro sofria no chão perdendo sangue e por sorte, um casal de enfermeiros que passava no local, por acaso, prestou um atendimento voluntário na tentativa de tentar estancar o sangramento.

 

O paciente foi levado para o Walfredo Gurgel onde a esposa já o esperava.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*