Thaisa Galvão

7 de setembro de 2013 às 7:33

O discurso que a Anorc não fez [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Diretor da ANORC (Associação Norte-rio-grandense de Criadores), Eduardo Melo lamentou ao Blog que os representantes dos criadores foram impedidos de discursar na solenidade em que o ministro da Agricultura, Antônio Andrade, declarou que o Rio Grande do Norte está livre da aftosa.

Segundo Eduardo Melo, o cerimonialista ‘Alberto”, do Cerimonial do governo do Estado, disse a ele que a exclusão da Anorc foi uma exigência da governadora Rosalba Ciarlini.

O discurso seria feito pelo vice-presidente da Anorc, já que o presidente, o jornalista Marcos Aurélio de Sá, não pôde comparecer à solenidade.

Eis o discurso que ficou pronto, mas não foi lido:

*

Excelentíssimo Ministro, Excelentíssima Governadora, em nome dos criadores do Rio Grande do Norte, gostaria de agradecer este momento histórico para o nosso Estado, pois a assinatura desta minuta era esperada à anos; o sonho de ver o RN com o status de Livre de Aftosa com Vacinação faz parte de cada um de nós criadores, principalmente aqueles que tem também na sua atividade o melhoramento genético. Não sei se é do seu conhecimento, ministro, mas o nosso Estado embora tenha um numero pequeno de animais, apresenta um rebanho de muita qualidade genética com destaque Nacional.

Menciono aquialguns marcos da nossaproduçãogenética:

• O touro pardo-suíço CATU, nascido e criado, se fez campeão nacional;

• O criador Joao Dinarte Patriota tornou-se líder do ranking nacional da raça nelore, no apagar das luzes do fechamento das barreiras para o nosso Estado;

• A vaca da raça Guzerá HOMENAGEM AM, principal matriz zebuína do RN, por ser mãe de 3 reprodutores de nível nacional que geraram vários campeões nacionais, entre machos e fêmeas. Essa genética, hoje está espalhada por todo o Brasil.

• E agora, mais recentemente, a vaca AURORA WM, concebida neste parque, nascida e criada no nosso Estado, consagrouse como a maior produtora de leite de todos os tempos da raça Guzerá, recordista mundial, na Expo Zebu 2013 ao obter a extraordinária marca de 49,7 Kg de leite ao dia.

•Esse Estado, também, é o grande responsável pelo ressurgimento da raça SINDI no cenário nacional.

•Além dos Ovinos Santa Inês, Cabras Saanne e nossos cavalos Manga-larga e Quarto de Milha. Nosso Estado é o melhor criador nacional dos valiosos animais de vaquejada, esporte grande gerador de riqueza para todo o nordeste brasileiro. Aqui, também, acontece o maior circuito de vaquejada do Brasil.

Agora a nossa maior preocupação é que na prática toda essa genética ainda continuará ilhada, ainda não poderá trafegar normalmente. A necessidade da quarentena e o seu elevadíssimo custo de execução, inviabiliza qualquer movimentação de animais do nosso Estado para os outros estados da Federação que já se encontram em zona livre e consequentemente já detém o reconhecimento internacional da OIE.

E é neste ponto, que gostaríamos de receber o apoio do Ministério, aqui representado pelo também criador Dr. Orlando Procópio (Superintendente do MAPA no RN); e mais ainda, ter hoje, neste momento, o comprometimento do Governo do Estado, na pessoa da Governadora Rosalba, que no meio de toda dificuldade, a Senhora Governadora não nos abandone; nestes últimos 5 meses que antecederão a vistoria internacional da OIE. São poucas as ações que o Governo ainda falta concluir para não colocar em risco todo o trabalho, dinheiro e esforço gastos até hoje. O nosso Instituto de Defesa, conhecido como IDIARN é um órgão pequeno, enxuto e eficiente, agora precisa nesta reta final, ações meramente políticas, pois as ações técnicas estão em andamento, mesmo com toda dificuldade.

Agora Governadora, só depende da sua vontade política, pois, melhorar o salário dos servidores, autorizar um concurso público, ampliar o número de escritórios em pontos estratégicos do nosso Estado. Considere que, para um órgão pequeno, enxuto e eficiente como é o IDIARN, essas melhorias não implicarão em impactos financeiros insuportáveis para o tesouro estadual.

A Senhora, além de fazer um marco na história da Agropecuária do Rio Grande do Norte, não deve correr o risco de receber, por parte da OIE, uma avaliação negativa, que trará repercussões de cunho econômico para além das nossas fronteiras.

Este alerta, eu faço em nome de todos os criadores. Não passa por nossas cabeças que isso venha a acontecer. Acreditamos na sua sensibilidade de Governadora e produtora rural e queremos receber o seu apoio para que as pendências ainda existentes no Órgão de Defesa, relacionadas às exigências do Ministério Agricultura, sejam devidamente analisadas e equacionadas.

Governadora Rosalba! sertaneja, com raízes no campo, de berço e história no semiárido do Oeste Potiguar, pedimos encarecidamente que priorize estas ações nestes decisivos 5 meses e leve o RN ao status internacional de Livre da Aftosa com Vacinação, com a consagração, em maio de 2014, de um relatório favorável da OIE.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*