Thaisa Galvão

6 de abril de 2014 às 13:57

Agripino se pronuncia no twitter sobre convenção do DEM em Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador e presidente nacional do DEM, José Agripino Maia, se pronunciou no twitter sobre a candidatura de Cláudia Regina em Mossoró.
Agripino não foi a Mossoró já que o clima entre ele e a governadora Rosalba Ciarlini não é de aliados.
Eis a declaração de JA:

20140406-135536.jpg

6 de abril de 2014 às 13:45

Juiz eleitoral de Mossoró tem até sexta para deferir candidaturas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Passadas as convenções em Mossoró, começa a temporada de registros de candidaturas.
O prazo vai até sexta-feira, dia 11.
É nessa fase da campanha onde está o perigo para as duas candidatas Cláudia Regina (DEM) e Larissa Rosado (PSB).
As duas estão, de acordo com a justiça eleitoral, “inelegíveis”.
Passarão primeiro pelo crivo do juiz eleitoral de Mossoró, Herval Sampaio.
Caso não tenham os registros deferidos, recorrerão ao TRE…
TRE que vem prometendo rigor nas eleiçôes…
Caso não passem, ainda tem o TSE.,,

6 de abril de 2014 às 13:29

Na convenção que homologou nome de Cláudia Regina, DEM filia 600 pessoas em Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A convenção da prefeita afastada e candidata em Mossoró, Cláudia Regina (DEM) foi marcada pelo anúncio do vice numa chapa puro-sangue.
Será o advogado e contador Canindé Maia.
De aliado, o PP do deputado federal Betinho Rosado, que também fez convenção.
A governadora Rosalba Ciarlini chegou logo cedo.
Cláudia foi à convenção do PP e o deputado Betinho Rosado foi à do DEM.
Também presentes o deputado Getúlio Rêgo, com o filho ex-prefeito de Pau dos Ferros, Leonardo Rêgo, o candidato a deputado Carlson Gomes, o ex-presidente da AMORN, Marcos…
Detalhe da convenção: o DEM conseguiu filiar ao partido cerca de 600 pessoas neste domingo.

20140406-132753.jpg

6 de abril de 2014 às 11:04

Vice de Cláudia Regina será o advogado e contador Canindé Maia (DEM) [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A prefeita afastada de Mossoró, e candidata na eleição suplementar de 4 de maio, Cláudia Regina, já tem candidato a vice.
Na convenção que acontece agora, na sede do partido, foi anunciado o nome do advogado e contador Canindé Maia, do DEM.
A governadora Rosalba Ciarlini acabou de chegar à sede do DEM.
A candidata Cláudia Regina ainda está na convenção do PP, o partido aliado, comandado pelo deputado federal Betinho Rosado.

.

20140406-110557.jpg

6 de abril de 2014 às 10:56

Além do RN, Marina Silva tenta vetar alianças com o PSB no Amazonas e no RS [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Relembrando o episódio local envolvendo a vice-presidenciável Marina da Silva…eis mais uma leitura.

E se não tivesse combinado com o presidenciável Eduardo Campos (PSB) o veto à aliança da senadorável Wilma de Faria (PSB) com o governadorável Henrique Alves (PMDB)?

Marina sabe o que faz quando coloca em situação de constrangimento o seu companheiro de chapa?

Exatamente o cabeça da chapa?

Conferindo a pesquisa Datafolha publicada hoje, se entende o comportamento de Marina.

Ela cresce mais do que Eduardo.

Ela transfere votos para Eduardo.

E isso ela sabe.

O que ela não entendeu ainda, é que ela é vice. Não vai se eleger sozinha. 

Antigamente o voto de vice era desmembrado do cabeça da chapa. Hoje não.

Como diz o prefeito-filósofo Carlos Eduardo Alves, vice é vice. E Marina ainda não entendeu.

Continua com a síndrome de candidata a presidente, como foi em 2010.

Resta saber se Eduardo Campos vai acatar o esperneio de Marina ou se vai impor à sua vice a filosofia do prefeito de Natal.

Caso deixe Marina tão livre assim, corre riscos sérios durante a campanha, e a chapa que apareceu na TV vestindo branco da paz, poderá se esfarelar no meio do jogo.

Vale lembrar que não foi só no Rio Grande do Norte que Marina Silva, a vice de Campos, tentou melar alianças do PSB presidido por Campos, e ao qual ela é filiada há 6 meses.

Além do episódio Wilma/Henrique, Marina tentou melar alianças no Rio Grande do Sul e no Amazonas.

 

6 de abril de 2014 às 10:54

Eduardo Campos espera carta de Wilma para selar aliança do PSB com o PMDB no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na conversa do governadorável Henrique Alves com o presidenciável e presidente nacional do PSB, Eduardo Campos, o peemedebista potiguar explicou e explicou porque o PSB não deveria e nem poderia interferir na aliança com seu PMDB no Rio Grande do Norte.

A justificativa mais plausível foi a de que, na campanha estadual de 2010, ele, Henrique, divergiu do mais fiel parceiro Garibaldi Filho, que apoiou a eleição da governadora Rosalba Ciarlini, para apoiar a candidatura do então governador Iberê Ferreira de Souza ao Governo.

Iberê é vice-presidente do PSB-RN.

Deixou na cabeça de Eduardo Campos a certeza que agora o PSB deve apoio a Henrique.

Foi isso que o presidente da Câmara dos Deputados quis dizer.

E foi isso que Eduardo Campos entendeu.

E os dois combinaram assim: que para oficializar a união, a ex-governadora Wilma de Faria (PSB) faria uma carta e enviaria ao presidente nacional da legenda, explicando exatamente pontos como esse defendido por Henrique em conversa com Campos.

Convém aguardar as cenas dos próximos capítulos.

Se Wilma seguirá senadorável…e se Marina silenciará sobre o assunto.

Vestindo a carapuça de vice.

6 de abril de 2014 às 9:45

Maioria dos eleitores de Aécio e Campos não vota em Dilma num segundo turno [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Detalhes da pesquisa Datafolha, por Vera Magalhães, na coluna Painel, na Folha de hoje:

Unidos pelo destino
Quase dois terços (65%) dos eleitores de Eduardo Campos (PSB) disseram ao Datafolha que não votam “de jeito nenhum” em Dilma Rousseff (PT). O número é próximo ao de eleitores de Aécio Neves (PSDB) que rejeitam a petista, que chega a 70%. A pesquisa mostra que, num eventual segundo turno contra Dilma, Campos recebe 54% dos votos de Aécio (eram 48% na anterior). Quando o rival de Dilma é o tucano, a transferência é dos mesmos 54%, estável em relação a fevereiro.
*

Juntos 1
Marineiros estão migrando mais para Campos e recuando de Aécio. Antes, 17% dos que declaravam voto em Marina Silva iam para o senador mineiro quando ela estava fora da disputa, e 30% para o pernambucano.
*
Juntos 2
Agora, vão 14% para o tucano e 35% para o pessebista. Os que migram para Dilma estão estáveis em 22% desde fevereiro.
*
Atentos
Quase 75% dos eleitores de Campos dizem que o apoio de Marina influencia seu voto: 35% “com certeza” e 39% “talvez”.
*
Aleluia
A influência de Marina é maior junto aos evangélicos. Entre eleitores de todas as religiões, 18% dizem que votariam com certeza no candidato da ex-senadora. Entre os evangélicos, o poder de seu apoio é de 26%.
*
Tablado
A condição de igualdade entre Campos e Marina no programa de TV do PSB, sem deixar claro quem era o candidato, favoreceu mais a ex-senadora, que cresceu mais que o aliado.
*
Outra via
Quem mais perde espaço com a entrada de candidatos nanicos no páreo é Campos. O pernambucano perde 29% de seu índice de intenção de voto quando ha mais postulantes, enquanto Dilma e Aécio encolhem apenas cerca de 11%.
*
Olho no mapa
O baixo desempenho de Dilma no Sul do país já estava no radar da oposição, em pesquisas internas. Nos três Estados da região, Aécio e Campos disputam os mesmos palanques.
*
Volta?
Embora lidere com folga no cenário em que aparece como candidato e seja o principal cabo eleitoral, Lula apresenta leve oscilação negativa nos últimos três levantamentos do Datafolha.
*
Folia
Aliados de Campos usam uma expressão regional para designar a habilidade do ex-governador de projetar candidatos pouco conhecidos —como os “postes” de Lula. “Eduardo é bom de botar boneco”, diz um deles, em referência aos mamulengos do Carnaval de Olinda.

6 de abril de 2014 às 8:30

Datafolha: Dilma perde 6 pontos mas hoje ainda ganharia no 1º turno [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Com pessimismo econômico, Dilma perde seis pontos, aponta Datafolha
RICARDO MENDONÇA
DE SÃO PAULO

Num ambiente dominado por crescente pessimismo com a economia e forte desejo de mudança, as intenções de voto na presidente Dilma Rousseff no principal cenário eleitoral caíram seis pontos desde o final de fevereiro.

Apesar disso, os principais adversários da petista, Aécio Neves (PSDB) e Eduardo Campos (PSB), não cresceram. Assim, a pesquisa Datafolha de 2 e 3 de abril mostra que Dilma seria reeleita no primeiro turno com 38% dos votos. Aécio teria 16%. Campos, 10%. Candidatos de partidos menores somam 6%.
*
Nos cinco cenários testados, a única candidata que forçaria um segundo turno seria a ex-senadora Marina Silva (PSB), com 27% dos votos, 4 pontos a mais que em fevereiro. Marina fica 12 pontos atrás de Dilma.

Com um desempenho melhor que o de Dilma, só o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, seu maior cabo eleitoral. Lula, que sempre repete não ter interesse em disputar neste ano, apresenta leve tendência de queda em relação às pesquisas anteriores, mas ainda lidera todos os cenários com grande vantagem.
*
A deterioração das expectativas com inflação, emprego e poder de compra dos salários também ajuda a explicar a queda na aprovação do governo. A atual pesquisa detectou uma disparada do sentimento de frustração com as realizações da presidente Dilma. Hoje, 63% dos brasileiros dizem que ela faz pelo país menos do que eles esperavam. Há pouco mais de um ano essa taxa era de 34%.

*

MUDANÇA

O levantamento também identificou um alto e crescente desejo de mudança. Agora, 72% querem que as ações do próximo presidente sejam diferentes das de Dilma. O índice é parecido com o de 2002, sob o governo Fernando Henrique Cardoso, quando o então oposicionista Lula venceu sua primeira eleição presidencial.

O problema de Aécio e Campos é que eles não são identificados como os mais preparados para a mudança. Para 32%, Lula é o mais apto para mudar.
Para 17%, Marina.
Aécio, o principal líder da oposição no Senado, é citado por apenas 13%. Campos obtém 7%.
Até Dilma atinge índice maior, 16%.
*
O cenário com Dilma, Aécio, Campos e os nanicos mostra ainda acentuadas diferenças regionais.
No Nordeste, Dilma alcança 54%.
Na região Sudeste, ela tem 29%.
Em dois segmentos, Aécio aparece liderando a disputa, com Dilma em segundo lugar. Ocorre entre as pessoas com renda familiar acima de dez salários mínimos (34% a 20% para o tucano) e entre os eleitores que têm nível superior de escolaridade (25% a 22%).

A essa altura da competição, o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos tem uma desvantagem em relação aos rivais que, do ponto de vista da propaganda, ainda pode ser vista como uma vantagem. Ele é o menos conhecido dos postulantes: 42% dizem não conhecê-lo.
*
Se isso faz com que suas intenções de voto sejam menores hoje, faz também com que ele seja visto no meio político como o candidato com maior potencial de crescimento. Com recursos e algum tempo de TV, tornar alguém conhecido é mais fácil do que remodelar a imagem desgastada de alguém já conhecido.

O Datafolha fez 2.637 entrevistas em 162 municípios. A margem de erro é de dois pontos para mais ou para menos. A pesquisa está registrada na Justiça eleitoral com o código BR 00064/2014.
.

6 de abril de 2014 às 7:35

Abandono a Cláudia Regina faz parte de projeto para não fortalecer Rosalba [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Abandonada à própria sorte, a prefeita afastada de Mossoró, Cláudia Regina (DEM), vai para a convenção de seu partido hoje em Mossoró, decidida a manter sua candidatura para a disputa de 4 de maio na eleição suplementar que vai substituir…exatamente ela, que foi cassada e afastada.
Sem o sobrenome Rosado na carteira de identidade, a então vereadora bem avaliada foi candidata à prefeita em 2012, tendo como padrinho o senador José Agripino, que não é Rosado.
Por pura falta de opção, já que sua irmã Ruth, então vice-prefeita de Mossoró, não caiu no gosto do povo, a governadora Rosalba Ciarlini apoiou Cláudia. E abraçou a campanha pois precisava sair vencedora em Mossoró. Não por desejo de tirar dos Rosado a Prefeitura, mas porque a vitória fazia parte do seu projeto de reeleição agora em 2014.
*
Com as 10 cassações seguidas e 3 afastamentos, o último até agora sem volta, Cláudia perdeu força.
A quem fez força para elegê-la, não interessava mais permanecer ao seu lado.
Os dois vereadores do DEM, Manoel Bezerra e Flávio Tácio, puxaram o cordão do abandono e se integraram à campanha do prefeito interino e candidato, Silveira Júnior (PSD).
A governadora Rosalba ainda tentou emplacar a candidatura de sua secretária de Obras, Kátia Pinto, na tentativa de continuar forte em Mossoró caso fosse eleita, mas Cláudia bateu o pé e não admitiu a mudança de planos da Rosa.
Fez Rosalba declarar que sua candidata era ela: Cláudia.
Mas isso pode ter atrapalhado ainda mais a vida da prefeita afastada.
Leitura que faz quem leu as páginas e páginas produzidas em Mossoró e concluídas em Recife, dando conta da insatisfação do eleitor mossoroense ao candidato com o carimbo da governadora. Que continua impregnada no coração do povo de Mossoró quando se remete aos tempos de Rosa prefeita….mas rejeitada nesse momento Governo.
Portanto, a declaração de apoio, forçada que foi, nem foi boa para Cláudia, e muito menos para Rosalba, que diante da candidatura frágil de Cláudia, a poucos momentos de uma convenção nanica dentro da sede do partido e ainda sem ter um vice para compor a chapa, sairá do pleito como a grande perdedora, sem lastro para seu projeto de outubro próximo.
E o padrinho-mor de Cláudia Regina, senador José Agripino, que tanto lutou pela sua eleição e para tirar dos Rosado de Mossoró o domínio de anos e anos do Palácio da Resistência?
Na sexta-feira, em Natal, Cláudia Regina conversou com ele.
Conversa fechada que pouco vazou dos detalhes, mas que ficou definido que a prefeita afastada iria à convenção como candidata, e que Agripino não botaria os pés em Mossoró.
*
Em estado de rompimento com Rosalba, e até com possibilidade de tirar-lhe a legenda para que ela não vá para a reeleição, Agripino não iria patrocinar a candidatura de Cláudia Regina sabendo que a grande fortalecida seria Rosalba.
Coube a Agripino sacrificar Cláudia para não correr o risco de fortalecer a Rosa.
Conclusão: Cláudia não é Rosado.
Assim como em Natal, os ex-prefeitos Aldo Tinoco e Micarla de Sousa não eram Alves nem Maia.
Portanto…vai para a forca, com a cara e a coragem, defendendo, sozinha, a bandeira, não mais do DEM, não mais de Mossoró, mas a bandeira do seu nome.
É advogada dela própria na luta inglória para não jogar o nome na lata do lixo.
E tudo por falta…de um sobrenome.

6 de abril de 2014 às 7:34

PCdoB homologa candidatura de Gutemberg Dias a prefeito de Mossoró [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Além do DEM, o PCdoB de Mossoró também faz sua convenção neste domingo.

Os comunistas vão homologar a candidatura de Gutemberg Dias a prefeito.
A convenção terá início agora às 9 horas e acontecerá no Hotel Villa Oeste.

6 de abril de 2014 às 6:36

Coisas de mãe [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Coisas de mãe..
No meio do discurso do deputado João Maia, no evento onde o PR apresentou seu nome para compor, como vice, a chapa puxada pelo deputado Henrique Alves (PMDB), eis que ele foi interrompido…
Por quem sempre se achou no direito de interferir, interromper, comandar: sua mãe, dona Anunciada Maia.
Que do alto dos seus 80 anos, continua sendo “a mãe de Joãozinho”.
Ela interrompeu o discurso para dizer ao filho-candidato que ele vai ganhar a eleição….
Fotos: Marcos Dantas/Márlio Forte

20140406-063549.jpg