#JornalismoSemFakeNews

30 de maio de 2014 às 8:14

PF investiga campanha do senador Eunício Oliveira (PMDB) ao governo do Ceará

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do blog de Josias de Souza:

20140530-081154-29514746.jpg

Munidos de ordem expedida pelo juiz eleitoral Ricardo Cunha Porto, do TRE cearense, a Polícia Federal realizou batidas de busca e apreensão na sede do PMDB cearense e no gabinete do presidente da Câmara Municipal de Fortaleza, o vereador peemedebista Walter Cavalcanti.

Deu-se nesta quinta-feira (29). Apuram-se indícios de irregularidades na campanha do senador Eunício Oliveira, líder do PMDB no Senado, ao governo do Ceará.

No instante em que a temperatura fervia em Fortaleza, Eunício estava em Brasília. Ao lado do líder de Dilma Rousseff no Senado, Eduardo Braga, candidato do PMDB ao governo do Amazonas, Eunício cumprimentou Joaquim Barbosa.

O presidente do STF fora ao Congresso para comunicar ao comando das duas Casas legislativas que decidira se aposentar em junho.

Em notícia notícia veiculada no seu site, o Ministério Público cearense explicou os objetivos das diligências policiais.

Acompanhada de promotores, a PF foi à sede do PMDB para recolher blusas, faixas, apitos e publicações eleitorais.

Alega-se que o material vem sendo “reiteradamente distribuído” em encontros regionais da campanha de Eunício. Algo que a lei proíbe nessa fase de pré-campanha.

Buscavam-se também listas de eleitores que estariam sendo usadas para fazer chamadas nos tais encontros do partido. Segundo o Ministério Público, os presentes são convidados a dizer o nome, o município de origem e o cargo público que ocupam. Identificados, recebem o material de campanha de Eunício, para providenciar a distribuição.

Na presidência da Câmara de Vereadores de Fortaleza, a PF foi buscar na marra um papelório que o vereador Walter Cavalcanti recusara-se a fornecer mediante requisições escritas.

Os documentos referem-se à locação de veículos. Apura-se a suspeita de que os carros foram usados para levar vereadores aos encontros regionais pró-Eunício. Discursando da tribuna, Cavalcanti negou.

Além de acionar a Polícia Federal, o juiz Ricardo Porto ordenou ao PMDB que pare de realizar os seus encontros regionais.

Sob pena de ser multado em R$ 100 mil por dia. De acordo com o magistrado, já “restou comprovado” que, em pelo menos dois municípios —Croatá e Russas— bens e servidores das prefeituras foram usados nos eventos do PMDB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.