Thaisa Galvão

30 de julho de 2015 às 12:06

Acampados em frente à Prefeitura de Natal, grevistas anunciam feijoada para o almoço [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na frente da Prefeitura de Natal, os servidores do Município que estão em greve, anunciam para daqui a pouco uma feijoada.

“O arroz está chegando”, disse uma liderança do acampamento.

  

30 de julho de 2015 às 12:01

Nome do advogado João Braz é apresentado à senadora Fátima Bezerra como candidato do PCdoB a prefeito de Caicó [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O PCdoB anunciou agora há pouco, em Caicó, o nome do advogado João Braz como pré-candidato a prefeito no próximo ano.

O anúncio foi feito num encontro do partido com o PDT e o PT, com a presença da senadora Fátima Bezerra.

“João Braz é um bom nome, um profissional respeitado e tem uma trajetória reconhecida na militância das causas sociais. O PT de Caicó está unido e mostrou interesse em fazer parte desse movimento. Vamos aprofundar o debate, pois existe em Caicó o sentimento de renovação”, disse Fátima Bezerra.

Participaram do encontro o presidente do PT de Caicó, Gilberto Costa e demais membros do partido.

O vereador de Natal, Hugo Manso (PT), o presidente estadual do PCdoB, Antenor Roberto e o vereador Rangel (PDT) também se fizeram presentes.
Fotos Heldon Simões

  

30 de julho de 2015 às 10:16

Feira do Bode de Mossoró será apresentada logo mais à imprensa [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito em exercício de Mossoró, Luiz Carlos, apresenta à imprensa logo mais às 11h30, a 17ª edição da Festa do Bode.

A Prefeitura é parceira da Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos de Mossoró e Região (Asccom), produtora do evento.

A apresentação será no parque de exposições Armando Buá, onde será servido um almoço oferecido pela Asccom. 

A maior feira da caprinovinocultura do estado do Rio Grande do Norte receberá expositores e criadores de todo o país. 

A expectativa é que se movimente 3 milhões em negócios este ano.

30 de julho de 2015 às 10:13

Prefeitura de Parnamirim confirma para amanhã pagamento dos salários [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Maurício Marques confirma para amanhã, 31, o pagamento de todos os servidores do município de Parnamirim.
São R$ 10 milhões de reais que irão garantir o pagamento de 4.500 funcionários públicos.
Na semana passada o prefeito anunciou uma série de cortes que ajudarão ao município manter os serviços em dia e com qualidade.
Na oportunidade ele reforçou que entre as prioridades da administração está o cumprimento do calendário de pagamento.
“Aqui em Parnamirim não atrasamos em um só dia os salários dos servidores. Fazemos isso desde o primeiro mês de nossa administração e iremos continuar assim apesar de todas as dificuldades”, disse o prefeito Maurício Marques.

30 de julho de 2015 às 10:10

Prefeitura de Parnamirim confirma para amanhã o pagamento dos salários [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Maurício Marques confirma para amanhã, 31, o pagamento de todos os servidores do município de Parnamirim.
São R$ 10 milhões de reais que irão garantir o pagamento de 4.500 funcionários públicos.
Na semana passada o prefeito anunciou uma série de cortes que ajudarão ao município manter os serviços em dia e com qualidade.
Na oportunidade ele reforçou que entre as prioridades da administração está o cumprimento do calendário de pagamento.
“Aqui em Parnamirim não atrasamos em um só dia os salários dos servidores. Fazemos isso desde o primeiro mês de nossa administração e iremos continuar assim apesar de todas as dificuldades”, disse o prefeito Maurício Marques.

30 de julho de 2015 às 9:19

Em Caicó, Fátima Bezerra anuncia que governo discute realização de conferência nacional do artesanato [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A senadora Fátima Bezerra (PT) que estará na feirinha de Santana logo mais, está em Caicó desde ontem.

Ela prestigiou a abertura da 32ª Feira de Artesanato dos Municípios do Seridó (Famuse), e teve o trabalho em prol do artesanato como parlamentar citado pela presidente da Cracas, Arlete Silva, e pelo diretor técnico do Sebrae, João Hélio.

A senadora adiantou que o Governo está discutindo anrealização da 1ª Conferência Nacional do Artesanato.

Fotos Heldon Simões

  

30 de julho de 2015 às 9:03

Enquanto no Brasil eles roubam à luz do dia, político inglês renuncia porque foi flagrado em farra com drogas e prostitutas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ah, se no Brasil fosse assim.

Na Inglaterra um político renuncia porque é flagrado fazendo uma farra pessoal.

No Brasil eles roubam o dinheiro do povo, sem dó nem piedade, e fazem manobras jurídicas de toda qualidade para não perderem as boquinhas.

Vergonha que é bom, falta por aqui.

Da Folha de hoje:

Lorde inglês renuncia após flagra com prostitutas e consumo de drogas

LEANDRO COLON

DO BLOG ‘DO REINO UNIDO’
O político inglês John Buttifant Sewel, 69, renunciou nesta terça-feira (28) à cadeira na Câmara dos Lordes, no Parlamento britânico, em meio ao escândalo pelo flagra dele numa farra com duas prostitutas e consumo de drogas.
“Quero me desculpar pela dor e pelo constrangimento que possa ter causado. Espero que minha decisão ajude a reparar o dano à instituição”, disse, num comunicado.

 
 Ele era o vice-presidente da Câmara dos Lordes, a nobreza do Parlamento, onde ocupava uma vaga desde 1996. A situação se complicou depois que o jornal “The Sun” publicou domingo (26) e segunda (27) fotos dele com duas garotas de programa contratadas pelo telefone, em Londres. Ele pagou 200 libras para cada, algo em torno de R$ 1 mil – uma recebeu em dinheiro vivo e outra em cheque.
Na gravação, ele insinua que gasta com suas farras as 200 libras diárias que recebe para despesas do cargo. “É para o almoço?”, diz uma das prostitutas sobre essa verba. “Não, querida, é para pagar por isso”, responde o político, casado e pai de quatro filhos.
Uma imagem mostra Sewel cheirando, segundo o jornal, cocaína por meio de uma nota de 5 libras enrolada. Em outra, aparece com nariz no seio de uma das garotas – de acordo com o tabloide, também consumindo a droga.
Na capa do jornal, ele está praticamente nu com o sutiã da cor laranja de uma das mulheres. Outras fotos indicam bebidas e fileiras do que seria mais cocaína. “Eu só quero ser levado para o mau caminho”, diz o político às duas.
Ele aparece no vídeo falando mal de políticos. Chamou o primeiro-ministro David Cameron de “superficial” e o prefeito de Londres, Boris Johnson, de “piada”. Ainda reclama do salário de 84 mil libras por ano. Nesta terça (28), o tabloide publicou mais detalhes do encontro.
Sewel foi filiado ao Partido Trabalhista até 2012 – hoje, não pertence a nenhuma sigla.
A presidente da Câmara dos Lordes, a baronesa D’Souza, havia repudiado a conduta do colega e anunciado uma apuração formal para avaliar se ele violou regras. “As revelações chocam e são inaceitáveis”, declarou.
Antes de renunciar, Sewel havia abdicado da vice-presidência da Casa e pedido afastamento temporário de todas as funções. A polícia Metropolitana de Londres anunciou uma investigação.

Assista a um dos vídeos divulgados pelo “The Sun” (as imagens são fortes):

30 de julho de 2015 às 8:17

8ª fornecedora que mais recebeu dinheiro da campanha de Dilma tem como presidente motorista com salário abaixo de 1.500 reais [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Gráfica que recebeu R$ 6 mi do PT desperta suspeita da Justiça Eleitoral

ANDRÉIA SADI e RANIER BRAGON

De Brasília

GUSTAVO URIBE

De São Paulo

  
A campanha da presidente Dilma Rousseff à reeleição pagou R$ 6,15 milhões a uma gráfica que não tem nenhum funcionário registrado e cujos documentos apontam como presidente o motorista Vivaldo Dias da Silva, que em 2013 recebia R$ 1.490.
A Rede Seg Gráfica e Editora, de São Paulo, aparece como a oitava fornecedora que mais recebeu dinheiro da campanha presidencial petista no ano passado, de acordo com os registros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral).
Funcionários do TSE que examinaram as contas da campanha de Dilma descobriram a situação da gráfica ao cruzar as informações da empresa com o banco de dados do Ministério do Trabalho.
A descoberta fez surgir a suspeita de que a gráfica não tinha a estrutura necessária para prestar os serviços pelos quais foi remunerada pelo PT.
Algumas das notas da gráfica entregues pelo partido ao TSE trazem a afirmação de que a empresa produziu folders para a campanha eleitoral.
As contas da presidente foram aprovadas em dezembro por unanimidade pela Justiça Eleitoral, mas com ressalvas. Por isso, o tribunal continuou analisando os casos que provocaram as ressalvas.
Não é a primeira vez que vem à tona que uma empresa contratada pela campanha de Dilma Rousseff em 2014 tem como dono, nos documentos oficiais, um motorista.
Como a Folha revelou em dezembro de 2014, a Focal Comunicação, a segunda que mais faturou na campanha presidencial de Dilma (R$ 24 milhões), também tinha um motorista (salário de cerca de R$ 2 mil até 2013) como sócio.
A Focal só ficou atrás da empresa do marqueteiro João Santana, destinatária de um montante de R$ 70 milhões.
O empresário Carlos Cortegoso admitiu na época que era o verdadeiro dono da Focal, tendo justificado o registro em nome do motorista como fruto de uma inclinação sua de dar chances para seus empregados progredirem.
A Justiça Eleitoral pediu à Polícia Federal apuração sobre a Focal e outra gráfica, a VTBP, que ganhou R$ 23 milhões da campanha. O TSE agora poderá enviar novo ofício à PF pedindo que investigue também a Rede Seg.

IDAS E VINDAS

A Folha visitou a sede da gráfica nesta quarta-feira (29). Segundo Rogério Zanardo, que recebeu a reportagem no local, a Rede Seg pertence a sua família e o motorista Vivaldo não é dono, mas funcionário da empresa.
Ele não soube explicar por que a gráfica está registrada em nome do motorista e afirmou que o maquinário estava desligado porque a gráfica está sem serviço no momento.
“Ele é um bom motorista, não pega guia [de rua] e dirige faz tempo”, afirmou.
O irmão de Rogério Zanardo, no entanto, deu versão diferente. De acordo com Rodrigo Zanardo, que se apresentou como gerente da gráfica, Vivaldo é mesmo dono da empresa, além de motorista.
Segundo ele, o maquinário é de propriedade do motorista, que pediu ajuda a ele para administrar a empresa, uma vez que os irmãos são proprietários de outra gráfica, a Graftec.
Segundo consulta feita pelo TSE, Vivaldo possuiu vínculo empregatício entre 2006 e 2007 como eletricista com a Graftec e, de 2009 a 2013, como motorista em uma empresa chamada Artetécnica Gravações, com salário mensal de R$ 1.490.
Mais tarde, o próprio Vivaldo chegou ao local e afirmou ser “sócio” e “motorista”. “Eu gosto de trabalhar, e é um rendimento a mais que tenho.”

OUTRO LADO

Questionada sobre o gasto de R$ 6 milhões com a gráfica Rede Seg, a Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência informou que a campanha de Dilma Rousseff recebeu várias propostas de prestação de serviços e selecionou as empresas que apresentaram preços mais baixos.
A Secom é comandada pelo ministro Edinho Silva que, à época, atuou como tesoureiro da campanha petista.
“A elaboração do material foi auditada pela campanha e a documentação que comprova a elaboração e entrega do material foi auditada pelo TSE”, disse.
A secretaria não informou qual serviço foi prestado pela gráfica à campanha.
A Rede Seg, cujo registro mostra o motorista Vivaldo Silva como presidente, informou, por meio de nota, não haver qualquer irregularidade em suas atividades. “Sendo necessário, informações complementares e documentos serão apresentados oportunamente às autoridades competentes”, afirmou.
Rodrigo Zanardo, que se apresentou como gerente da gráfica, disse que a empresa contratou funcionários terceirizados durante a campanha e, por isso, não tem nenhum registrado.
“[Quando] não tem serviço, como vou fazer folha de pagamento?”, questionou.
Ele disse que viajou a Brasília para conversar com representante da campanha de Dilma e que a empresa produziu panfletos e folhetos.
Reynaldo Borba, que figura como dono de outra empresa em que Vivaldo trabalha como motorista, a Artetécnica, afirmou não poder dar informações sobre o caso. Ele disse que as relações da Rede Seg e de Vivaldo com a campanha de Dilma não dizem respeito à sua empresa.

INFOGRÁFICO Clique Aqui para saber como a campanha de Dilma gastou

30 de julho de 2015 às 8:09

Dilma convida governadores para serem sócios da crise [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha:

Dilma recebe governadores no Planalto

Marina Dias – Brasília

A presidente Dilma Rousseff recebe nesta quinta (30), no Palácio do Planalto, os governadores para discutir a reforma do ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) e dividir com eles a responsabilidade de evitar a aprovação das chamadas pautas-bomba no Congresso.
O governo quer que os chefes estaduais articulem suas bancadas na Câmara e no Senado para impedir a aprovação de projetos que custem caro aos cofres públicos.
Entre as demandas, impedir a derrubada de vetos presidenciais, como ao reajuste do salário dos servidores do Judiciário, ajudar na aprovação do projeto que permite a repatriação do dinheiro de brasileiros no exterior e tentar barrar a aprovação da medida que muda a correção dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia do Tempo de Serviço), de 3% para quase 6%.
O Planalto também quer unificar as alíquotas de ICMS em 4% para todo o país. Atualmente, cada Estado adota um percentual, criando uma espécie de “guerra fiscal”.
Em 13 de julho, Dilma assinou uma medida provisória que cria dois fundos para, segundo a presidente, compensar as perdas nos Estados prejudicados com a eventual unificação do ICMS.
O debate deve ser fechado e terá a participação do vice-presidente, Michel Temer (PMDB), e dos ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil), Nelson Barbosa (Planejamento) e Joaquim Levy (Fazenda).
Até a noite desta quarta (29), segundo a Secretaria de Comunicação Social da Presidência, dos 27 governadores, 26 haviam confirmado presença. Apenas o representante do Mato Grosso do Sul, em viagem internacional, enviará a vice-governadora.
FORMATO
O formato do encontro gerou polêmica nos bastidores do Planalto. Inicialmente, a ideia era convidar os governadores da base aliada e apenas alguns nomes da oposição. Depois, definiu-se que os 27 governadores seriam convidados para pedir um “pacto federativo”.
Segundo a Folha apurou, não vão entrar na pauta assuntos como um pedido de ajuda para evitar que o TCU (Tribunal de Contas da União) rejeite as contas de 2014 do governo. Auxiliares de Dilma avaliam que esses temas poderiam inviabilizar a reunião.
A aposta é atender a demanda dos governadores que, preocupados com a crise econômica, sabem que medidas que ampliam gastos da União têm impacto nos Estados.

30 de julho de 2015 às 8:07

BC eleva Selic a 14,25% e sinaliza fim de aperto [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Valor Econômico

O Comitê de Política Monetária (Copom) reagiu aos “novos riscos” impostos ao cenário inflacionário de 2016 e dos anos subsequentes e promoveu uma nova alta de 0,50 ponto percentual na Selic, que saiu de 13,75% para 14,25% ao ano. 

A decisão foi unânime e sem viés, mas não contou com o voto do diretor de assuntos internacionais, Tony Volpon, que se absteve de votar, “a fim de evitar possíveis prejuízos à imagem do BC” – foi a primeira vez que um integrante do Copom se absteve de votar.

30 de julho de 2015 às 8:03

Novo modelo de reajuste para aposentados é vetado pela presidente Dilma Rousseff [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1/SP

Dilma veta extensão de regra de ajuste do mínimo para aposentadoria
Governo era contra regra para aposentados. Senado havia aprovado modelo no início de julho
A presidente Dilma Rousseff vetou a extensão da política de reajuste do salário mínimo, que consiste na variação do PIB de dois anos anteriores, mais a inflação, para todos os aposentados do INSS

O veto foi publicado na edição desta quinta-feira (30) do “Diário Oficial” da União. A presidente afirma no texto que decidiu vetar o projeto, parcialmente, por inconstitucionalidade. A medida volta agora à avaliação do Congresso Nacional.

O Senado havia aprovado no início do mês a medida provisória que prorrogava até 2019 o atual modelo de reajuste do salário mínimo e estendia a regra para as aposentadorias. Como foi votada sem mudanças em relação ao texto aprovado pela Câmara, a matéria seguiu para sanção presidencial.
Pela medida provisória, o mecanismo de atualização do salário mínimo continuaria a ser calculado com a correção da inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) do ano anterior, mais a variação do Produto Interno Bruto (PIB) de dois anos anteriores.

A MP foi editada em março pela presidente Dilma Rousseff, mas não incluía a extensão da regra para aposentados, o que foi incluído na Câmara por meio de emenda. O governo é contra a mudança porque alega que extensão da norma para aposentados pode comprometer as contas previdenciárias. Segundo o ministro Carlos Gabas (Previdência), a alteração gera R$ 9,2 bilhões em gastos extras por ano – sendo R$ 4,6 bilhões em 2015.
A votação no Senado foi marcada por diversas tentativas de governistas para impedir a aprovação da matéria com o trecho que contraria o governo. Inicialmente, os senadores José Pimentel (PT-CE) e Cristovam Buarque (PDT-DF) tentaram aprovar uma emenda para alterar o texto, o que faria com que o projeto voltasse à Câmara e não seguisse direto para sanção. A mudança, no entanto, foi rejeitada.

A emenda de Cristovam propunha que, ao invés de levar em conta o INPC, o índice para a correção do mínimo fosse o IPC-C1, relativo às famílias com renda mensal entre um e dois salários mínimos e meio. Cristovam discutiu com o senador Paulo Paim (PT-RS) de forma acalorada sobre a emenda. Paim acusou o pedetista de “trair” os trabalhadores, já que se a emenda fosse aprovada, o texto voltaria para nova análise da Câmara. 

Polêmica sobre redação final

Depois da rejeição da emenda, o texto principal acabou sendo aprovado, conforme a Câmara votou e diferente do que o governo pretendia. Com esta derrota, o líder do governo, Delcídio do Amaral (PT-MS), tentou uma manobra regimental para adiar a análise da redação final da matéria. A votação da redação final é parte do trâmite no Senado, e ocorre sempre após a aprovação do texto principal e da análise das emendas.

30 de julho de 2015 às 7:44

Sinais sem sincronismo pioram o trânsito na Hermes da Fonsêca todos os dias nos horários de maior movimento [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Kennedy Diniz nas ruas de Natal desde cedo:

  
  
Logo mais às 18 horas @kennedydiniz10 estará dando as dicas do trânsito no Jornal da Noite, na 95FM.

30 de julho de 2015 às 7:38

Sinal piscando atrapalha trânsito em Ponta Negra desde ontem [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Em Ponta Negra, o sinal do cruzamento da feirinha de artesanato não funciona desde ontem.

E salve-se quem puder…

VÍDEO Clique para assistir

  

30 de julho de 2015 às 7:33

Advogado de Fernando Freire aguarda julgamento de habeas corpus e diz que sempre há tempo para uma delação premiada [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Um dos advogados do ex-governador Fernando Freire, que está preso no Comando Geral da PM, em Natal, Fábio Hollanda disse que a expectativa é que o STJ acate o pedido de habeas corpus e chegue à conclusão que FF poderia responder aos processos em liberdade.

Entrevistamos Hollanda nesta quarta-feira no Jornal da Noite/95.

Ele disse que seu cliente hoje se mantém fazendo consultorias para grupos privados, tem endereço fixo em Brasília e estava no Rio porque tentava evitar a prisão pedida desde o ano passado.

O advogado questionou o modus operandi do Ministério Público que fracionou o processo.

Sobre delação premiada, Fábio Hollanda afirmou que o ex-governador Fernando Freire nunca falou sobre o tema, mas que nada o impede de, caso decida, optar falar sobre os crimes aos quais foi condenado ainda em primeira instância, podendo, no entanto, recorrer a todos.

“E em liberdade”, afirmou o advogado de Freire, dizendo que “sempre há tempo para uma delação premiada”.

Foto Erick Nobre

  

29 de julho de 2015 às 22:42

Eduardo Cunha diz que demandas dos governadores dependem “da boa vontade do governo federal” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do portal da Câmara dos Deputados

Cunha espera ajuda do governo federal para votar pauta de governadores

A presidente Dilma Rousseff reúne-se com governadores nesta quinta-feira (30), às 16 horas
O presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, disse que espera ajuda do governo para a votação de propostas de interesse dos governadores na Casa. Em entrevista na noite desta quarta-feira, ele falou sobre a reunião da presidente Dilma Rousseff com governadores marcada para esta quinta-feira (30), às 16 horas. Até agora, 24 governadores confirmaram presença.

 
“Nós aqui, eu e o Renan [Calheiros, presidente do Senado], já reunimos os governadores e os prefeitos das principais cidades do Brasil. E muitas das demandas que os governadores precisam e colocaram aqui dependem da boa vontade do governo. Depende inclusive de pauta legislativa às quais o governo concordando ajudaria muito”, disse.
Em maio, governadores de 22 estados e do Distrito Federal queixaram-se de dificuldades para cumprir obrigações constitucionais e para sanar dívidas com a União. Eles estiveram no Congresso Nacional para debater com os presidentes da Câmara e do Senado propostas de revisão do atual pacto federativo – modelo de repartição de receitas e obrigações constitucionais entre os entes federados (União, estados, municípios e Distrito Federal).
Transferência de encargos

Um dos consensos entre os governadores na reunião de maio foi a aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 172/12, do deputado Mendonça Filho (DEM-PE), que proíbe o governo federal de transferir novos encargos aos entes federados sem a devida previsão de recursos.
Cunha afirmou que o texto será votado no Plenário até o final de agosto, quando termina o prazo da comissão especial que discute o tema. “A solução dos problemas de estados depende muito da União. Há interesses simultâneos de um lado e divergentes de outro”, afirmou Cunha.
Unificação ICMS

Cunha também falou que os governadores têm receio sobre a viabilidade do Fundo de Auxílio Financeiro à Convergência de Alíquotas do ICMS (FAC-ICMS), criado pela Medida Provisória 683/15. Um dos meios de financiamento do fundo viria da tributação sobre recursos repatriados de brasileiros no exterior (Projeto de Lei do Senado 298/15). “Há uma receita incerta, eles querem que o governo dê a fonte correta, de preferência colocando como mandamento constitucional, dessa compensação que vai integrar o fundo para que esses estados não percam.”

29 de julho de 2015 às 20:30

Colunista fala em saída de Henrique do Ministério do Turismo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na coluna que publica em vários jornais do país, o jornalista Cláudio Humberto fala em saída do ex-deputado Henrique Alves do Ministério do Turismo.

 
Não é a primeira vez que CH fala no assunto.

Resta saber se Henrique está mesmo de malas prontas ou se há um embate entre o colunista e o ministro, desde que este, em retaliação a uma nota pouco simpática a sua pessoa, cancelou o contrato de publicação da coluna de CH na Tribuna do Norte. 

29 de julho de 2015 às 16:30

Associação de Distribuidores e Atacadistas do RN abre inscrições para a Convenção da ABAD que acontecerá em  Fortaleza [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A ADARN – Associação dos Distribuidores e Atacadistas do Rio Grande do Norte, uma das 27 filiadas da ABAD – Associação Brasileira do Atacado Distribuidor, está preparando a sua delegação para representar o      RN na 35ª edição da Convenção da ABAD – Fortaleza 2015. 

A Convenção Anual do Atacadista Distribuidor é o maior encontro de negócios do segmento na América Latina, onde profissionais da cadeia de abastecimento encontram produtos, equipamentos e serviços que geram grandes oportunidades.

Esse tradicional evento, com quatro dias de duração, é o local ideal para conhecer lançamentos e novas tendências. 

É também a melhor oportunidade para estreitar relacionamento e fechar parcerias com integrantes da cadeia de abastecimento nacional, incluindo agentes de distribuição, palestrantes, fornecedores do setor e indústria, com destaque para fabricantes de alimentos, bebidas, produtos de higiene pessoal, limpeza, candies, artigos de bazar, entre outros. 
A Convenção se destaca também no aspecto da capacitação. 

Visitantes e expositores podem participar das palestras técnicas de alto nível oferecidas pela ABAD, aperfeiçoadas a cada ano. 

Essas palestras, ministradas por especialistas, visam promover o conhecimento e divulgar novas tecnologias que aumentem a competitividade do setor.

Além disso, a ABAD oferece diversos serviços que visam dar segurança e comodidade aos profissionais que comparecem ao evento, como transporte gratuito entre os hotéis e o pavilhão de exposição, quatro edições do ABADNEWS – informativo diário impresso e online, business center, posto médico, entre outros.

Frequentada por um público de alto poder de decisão, a Convenção Anual do Atacadista Distribuidor é um evento internacionalmente reconhecido, focado em negócios, relacionamento e resultados.

Por tudo isso, a ABAD 2015 FORTALEZA tem tudo para ser mais um grande sucesso!

 

Um evento anual, único, de um segmento que movimenta  anualmente mais de R$ 211,8 bilhões em negócios.

 

29 de julho de 2015 às 16:17

TCU: Relator das contas do governo alertou à própria Dilma que 2,3 trilhões não foram contabilizados da previdência autuarial [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Época Online:

Augusto Nardes: “O Tribunal já havia alertado para as pedaladas”

O relator no julgamento das contas do governo diz que as irregularidades são graves. Uma reprovação do Tribunal pode dar munição aos que querem o impeachment de Dilma Rousseff

LEANDRO LOYOLA E MURILO RAMOS

O ministro Augusto Nardes voltou ao Tribunal de Contas da União (TCU) há duas semanas, após sete dias de afastamento. “Saí um pouco para evitar a pressão”, afirma. As circunstâncias transformam Nardes em um dos personagens mais visados hoje por governo e oposição. Ele é o relator das contas do governo da presidente Dilma Rousseff em 2014. São significativas as chances de, no julgamento em agosto, ele e os colegas reprovarem as contas devido às alquimias da contabilidade criativa da equipe do então ministro Guido Mantega. Na pior delas, por falta de dinheiro do governo, bancos oficiais pagaram benefícios sociais para receber depois, uma inversão de papéis proibida e que ficou conhecida como “pedalada”. Caso isso aconteça, o Congresso pode rejeitar as contas de Dilma – e fornecer um argumento concreto para os que querem o impeachment da presidente. “O Tribunal já vinha alertando o governo para a questão das pedaladas”, afirma Nardes nesta entrevista a ÉPOCA. Até o julgamento, Nardes andará acompanhado por seguranças.

  
ÉPOCA – Como está a pressão sobre o senhor e o Tribunal por causa das pedaladas?

Augusto Nardes – Faz parte do jogo. Recebi quatro ministros do governo. O mais importante foi o (ministro da Fazenda) Joaquim Levy. O (advogado-geral da União, Luís Inácio) Adams veio várias vezes.
ÉPOCA – O que eles disseram ao senhor?

Nardes – O (ministro-chefe da Casa Civil, Aloizio) Mercadante disse que as pedaladas já tinham acontecido em outros anos, o Adams também falou. Mas nós já estamos alertando o governo sobre as pedaladas há algum tempo.
ÉPOCA – O que disse o ministro da Fazenda, Joaquim Levy?

Nardes – Ele tentou ponderar esses aspectos, mas não entrou muito nos detalhes da situação anterior, que era do ministro Guido Mantega. O Levy está fazendo um trabalho muito importante para o país, de tentar acertar uma situação pela qual ele não é responsável. Eu o achei muito equilibrado. 

ÉPOCA – Ele se comprometeu em acabar com as pedaladas?

Nardes – Ele colocou isso, mas não com uma ênfase maior. Contou o que estava fazendo para tentar buscar o equilíbrio do país, todo o esforço que estava fazendo. 
ÉPOCA – O que os ministros querem?

Nardes – Eles defendem as posições do governo que estão aí em público. Faz parte. Eu recebi também pessoas da oposição, senadores, o Aécio Neves, o Aloysio Nunes, o Ronaldo Caiado, deputados. Acho que faz parte do jogo democrático. O TCU é um dos guardiões da Lei de Responsabilidade Fiscal e tem de ficar atento ao que está acontecendo. Nossa decisão não foi inventada por mim: foi feito um trabalho técnico, pelos auditores, e o ministro José Múcio relatou. Há dois pontos que considero mais importantes: as pedaladas e o contingenciamento. Sobre as pedaladas, já foi tomada uma decisão, há um acórdão. O ministro José Múcio disse: o caso das pedaladas é como se fosse um cheque especial. Sem autorização do Congresso, o governo gastou próximo de R$ 40 bilhões. E tem o contingenciamento, outro aspecto importante. Eu mostro o que aconteceu em 2011, 2012 e 2013. No caso de 2014, período de eleição, não foi feito contingenciamento de R$ 28,5 bilhões – e, além de não fazer, foram autorizados (gastos) de R$ 10 bilhões a mais. As contas não fecharam de forma positiva, tivemos um deficit de R$ 22,5 bilhões. São dois fatos importantes. Há também a questão do FGTS: foram usados R$ 6,5 bilhões do trabalhador, sem data de retorno.

ÉPOCA – O governo trata as pedaladas como uma operação rotineira, um ajuste de cálculos. O que o senhor acha desse argumento?

Nardes – O Tribunal já vinha alertando o governo para essa questão, como também para a contabilidade criativa. Já vínhamos alertando de que excessos vinham sendo cometidos. No ano passado, conversei longamente com a presidente Dilma, tentando auxiliar o governo. Disse a ela que R$ 2,3 trilhões – não estou falando de bilhões, estou falando de trilhões – não foram contabilizados da previdência autuarial, que é a projeção da aposentadoria de todos os brasileiros. Por que isso é importante? Porque, se não tomarmos medidas preventivas, iremos pelo mesmo caminho de países como Espanha, Portugal e Grécia – e, em curtíssimo espaço de tempo, não poderemos pagar os aposentados. Eu alertei a presidente Dilma. Eles contabilizaram uma parte neste ano, não tudo. Mas, mesmo com a contabilidade, não dá para fazer uma avaliação se o patrimônio do país é positivo ou negativo.

Eu alertei a presidente Dilma no ano passado, durante o período da Copa

ÉPOCA – Quando foi isso?

Nardes – Eu alertei a presidente no ano passado, durante o período da Copa. Ela chamou o Mantega, e ele tomou algumas providências. A proposta no ano passado já era pela rejeição das contas (do governo). Eu disse no meu voto que as contas “não estão em condições de ser aprovadas”. O ministro Raimundo Carreiro falou comigo, eu estava na presidência, eu falei com o governo e chamamos o Mantega aqui.

ÉPOCA – O que o ministro Guido Mantega disse?

Nardes – Ele foi chamado, veio aqui. O Mantega conversou com o ministro Raimundo Carreiro e tomou algumas providências. No ano passado, o Tribunal propôs aprovar com ressalvas as contas do governo. Mas aí nós fomos ver, as pedaladas eram graves. O fato de eu propor 30 dias para o governo se defender é para estabelecer o contraditório. Estou esperando que o governo consiga trazer uma explicação plausível.
ÉPOCA – Assusta o senhor a reação do governo diante da postura do TCU?

Nardes – A reação é natural, porque qualquer governo quer que tudo corra bem. O voto foi basicamente técnico e baseado em uma decisão já tomada pelo Tribunal. O fato de termos alertado e não termos sido ouvidos leva a uma situação dessas, em que pela primeira vez se propõe um contraditório para tomar uma decisão sobre um tema que há muitos anos o Congresso não examina (desde 1992 o Congresso não vota os relatórios do TCU sobre contas dos governos). As instituições têm de ser fortes, cada uma tem de cumprir com seu papel. Nós cumprimos nosso papel técnico. Isso foi elaborado por uma equipe de mais de 30 auditores que encontraram esses números. Eu sou o porta-voz desse trabalho do Tribunal de Contas da União. O governo tem de responder a isso, porque a sociedade quer transparência em relação aos recursos pagos pelos impostos.
ÉPOCA – O governo argumenta que as pedaladas existiram nas gestões anteriores e que o TCU nunca ligou. 

Nardes – O Tribunal alertou o governo várias vezes.

ÉPOCA – O julgamento no TCU poderá levar o Congresso a rejeitar as contas do governo Dilma e abrir caminho para o impeachment. O senhor pensa nisso?

Nardes – Nosso juízo é técnico. Estamos fundamentados em números, feitos por uma equipe de excelência. 
ÉPOCA – A AGU estuda, se perder, contestar o julgamento no Supremo Tribunal Federal. Vai dizer que o senhor não poderia se manifestar antes do voto. 

Nardes – Eu não me manifestei antes. Estou falando em cima do relatório que foi feito pelo ministro José Múcio. Eu não me manifestei em relação ao meu voto futuro.
ÉPOCA – O advogado Thiago Cedraz, filho do presidente do Tribunal, Aroldo Cedraz, é acusado na Operação Lava Jato de fazer tráfico de influência aqui no Tribunal. Como fica a imagem da instituição?

Nardes – Eu não conheço bem a situação, então não posso me manifestar.
ÉPOCA – O senhor passou a andar com seguranças por causa do caso das pedaladas ou é usual?

Nardes – Eu tenho família, não é? Então, tenho de proteger a família. Eu andei mais com segurança nos dias dos votos. Agora, estou mais tranquilo.
ÉPOCA – Houve ameaças por causa desse caso?

Nardes – Por enquanto, só por mensagens. O que está acontecendo é uma guerra de informações.

29 de julho de 2015 às 15:30

Senador Garibaldi Filho confirma presença amanhã em Caicó [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador Garibaldi Filho confirmou presença amanhã em Caicó.

Vai participar da feirinha de Santana e da novena, celebrada às 19 horas na Matriz de Santana.

Depois o parlamentar retorna a Natal.

29 de julho de 2015 às 15:23

Robinson Faria vai a Caicó na 6ª feira lançar Programa Microcrédito do Empreendedor para 4 municípios [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O governador Robinson Faria, que amanhã não participará da feirinha de Santana, em Caicó, porque vai estar em Brasília, irá sexta-feira ao município do Seridó, que festeja sua padroeira.

“Na sexta (31) lançaremos, durante a Feira de Artesanato dos Municípios do Seridó, o Programa Microcrédito do Empreendedor. Nessa primeira etapa, o Programa vai beneficiar os empreendedores das cidades de Caicó, Timbaúba dos Batistas, Parelhas e Acari. A expectativa é que até o final de 2018, os recursos investidos cheguem a R$ 40 milhões, beneficiando cerca de 20 mil empreendedores. O microcrédito vai incentivar o artesanato potiguar e promover a geração de emprego e renda no Estado”, disse o governador nas redes sociais.