Thaisa Galvão

19 de agosto de 2015 às 23:16

Morre o cirurgião plástico Américo Martins [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Morreu agora à noite em Fortaleza o médico especialista em cirurgia plástica, Américo Martins.

Américo estava aguardando um transplante de fígado.

  

19 de agosto de 2015 às 23:12

Médico que cuida de crianças cardiopatas faria 3 hospitais com dinheiro que governo garantiu a Nicolelis [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do médico Madson Vidal, que sofre atrás de recursos para manter a Amico, instituição que criou para atender crianças cardiopatas, muitas vezes carentes que vem do interior…vendo que, mesmo tendo o fracasso como resultado de muitos milhões captados, o neuro Miguel Nicolelis ainda conseguiu captar 250 milhões de reais do governo federal:

  

19 de agosto de 2015 às 22:43

TV Câmara exibirá programa de cooperativismo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Câmara de Natal firmou convênio com o Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SEACOOP/RN) e Organização das Cooperativas do estado (OCB/RN) para a veiculação do programa “Cooperativismo em Pauta”, a ser exibido pela TV Câmara de Natal.
O convênio foi assinado hoje pelo presidente da Câmara, Franklin Capistrano (PSB), representantes das entidades e a diretora da TV Câmara/Natal, Virgínia

De acordo com a diretora da emissora, Virgínia Coeli, o programa terá 20 minutos de duração e vai abordar sobre o sucesso das cooperativas nacionais e também do estado. “A gente recebe o material com os programas gravados que serão exibidos aos sábados complementando a nossa grade. Com isso, nós alcançamos um novo público da nossa TV Câmara que, em sinal aberto e digital, tem alcançado cada vez mais expectadores, inclusive podendo acessar a TV em tempo real pelo computador e dispositivos móveis com acesso a internet”, ressalta Virgínia.

19 de agosto de 2015 às 21:36

Prefeitura de Parnamirim será patrono da turma de Comunicação da UFRN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Prefeito de Parnamirim, Maurício Marques, foi escolhido para ser patrono das turmas de Comunicação Social 2015.1, com habilitação em Jornalismo, Publicidade e Propaganda e Rádio e TV da Universidade Federal do Rio Grande do Norte.
De acordo com os universitários, o nome foi indicado pelo exemplo de trabalho realizado na comunicação institucional, através de programas de TV (TV Parnamirim), rádio e mídias digitais (facebook, instagram, twitter).
Além das redes sociais já utilizadas, a Prefeitura de Parnamirim busca inovar e aderir novos aplicativos que facilitem a comunicação direta com a população.
A mais nova ferramenta implantada é o Periscope que fará transmissões ao vivo de eventos e serviços oferecidos pela Prefeitura.

19 de agosto de 2015 às 21:22

Nicolelis consegue quase 250 milhões do Ministério da Educação e TCU identifica irregularidades na aplicação [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O Tribunal de Contas da União identificou irregularidades em convênio entre a UFRN e o neurocientista Miguel Nicolelis.

Convênio assinado entre a universidade e o Instituto Santos Dumont, Ong comandada por Nicolelis.

Em dezembro a Veja publicou reportagem especia intitulada “A Ciência dos Camaradas” que mostra que a Ong de Nicolelis, que teve como maior resultado o fracasso do exoesqueleto da Copa, mostrou que “o vexame não atrapalhou sua eficiência como arrecadador”.

E diz que ainda em julho desse ano ele conseguiu, através de sua Ong, “assombrosos 247,6 milhões de reais, com o objetivo de terminar de construir, equipar e manter, até 2017, um centro de pesquisas na cidade de Macaíba, no Rio Grande do Norte”.

Os recursos, segundo a revista, foram repassados à Ong de Nicolelis pelo Ministério da Educação.

Todo mundo sabe por aqui, da amizade que unia Nicolelis e o ex-ministro da Educação, agora chefe da Casa Civil do Governo Dilma, Aloizio Mercadante.

Eis a reportagem da Veja, só para entender o contexto do assunto de hoje:

  
  
  
  

E agora o texto de Dinarte Assunção, do Portal Noar, sobre a auditoria do Tribunal de Contas da União:

TCU acusa ‘graves irregularidades’ em parceria de Nicolelis e governo do PT
Instituto do neurocientista captou recursos públicos e agora quer se apropriar da produção intelectual. TCU julgará legalidade da parceria, feita com a UFRN

Dinarte Assunção



A controversa figura do neurocientista Miguel Nicolelis coleciona glórias e desafetos mínimos incapazes de atingir a áurea de saber e respeito que tem transmitido à comunidade internacional. Desde que fincou bases científicas em Natal, Nicolelis tem conseguido alcançar o apogeu de sua carreira com a milionária ajuda dos governos do PT, com quem é alinhado e para quem pediu votos em 2014. De 2004 para cá, ele apresentou ambiciosos projetos na área da neurociência que o catapultaram para o ranking dos 20 cientistas mais importantes do mundo na atualidade, conforme a ‘Scientific’. A vitória consolidou a imagem de um pesquisador brasileiro de reputação ilibada, comprometido apenas com o progresso intelectual de seu país. Mas documentos obtidos com exclusividade pelo Portal No Ar desmontam essa versão.


Relatório de auditoria do Tribunal de Contas da União expõe que a trajetória de apogeu de Nicolelis está alicerçada em ‘graves irregularidades’ através de financiamento público na parceria que estabeleceu desde 2004 com a Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Para compor o caso, o TCU colecionou mais de 1.500 páginas de documentos e compilou outras 200 no processo cuja relatora é a ministra Ana Arraes.


Até para o TCU ficou confuso analisar a relação que o governo federal firmou com Nicolelis através da UFRN por causa da confusão patrimonial e jurídica que marcam os institutos comandados pelo neurocientista. Apesar disso, o relatório pede atenção aos ministros da Corte porque o Instituto Santos Dumont (ISD), controlado por Nicolelis, é beneficiário de um acordo de R$ 247 milhões que deverão ser repassados até dezembro de 2017 para o Campus do Cérebro, na região metropolitana de Natal. Até agora, R$ 29 milhões foram liberados – apenas para esse contrato que é alvo da auditoria, o que não inclui, por exemplo, os R$ 57 milhões já consumidos em outra etapa das obras.


Dos achados da auditoria, depõe contra o neurocientista o que o TCU considera ‘uma afronta ao interesse público e à ideia de desenvolvimento nacional’: Nicolelis, depois do aporte de dezenas de milhões de reais de dinheiro público, fez um novo contrato, com a anuência da UFRN, em que reivindica para o ISD a propriedade intelectual do que for produzido no Campus do Cérebro.


O chute dado na UFRN só veio depois das estruturas do Campus do Cérebro, em Macaíba, estarem bem avançadas. Até 2014, a relação do neurocientista com a universidade se dava através da Associação Alberto Santos Dumont para Apoio à Pesquisa (Aasdap). No ano passado, no entanto, através do ISD, foi firmado o contrato de gestão sobre o qual agora o TCU se debruça. Nessa nova configuração, a universidade foi relegada ao mero papel de interveniente das obras e gestora de uma unidade de saúde dentro do Campus do Cérebro.


“A despeito de a UFRN sustentar que ‘ainda existe intercâmbio com as entidades pactuantes na área de saúde […], não pode ser ela reduzida a interveniente de obras. Aliás, a própria Universidade confirma seus impedimentos de acesso e uso de equipamentos”, descreve o relatório, denunciando ainda o “alijamento da UFRN de todo o processo de negociação, elaboração e propositura do Contrato de Gestão (CG)”, o que permitiu “a contratação sem qualquer compartilhamento da propriedade intelectual e licenciamento que porventura vierem a ser fruto da parceria. Como visto, no processo que antecede ao Contrato de Gestão, a UFRN só foi chamada praticamente a assinar o CG”.


Por que a UFRN, por quem foi canalizada os milhões de reais que deram visibilidade aos projetos de Nicolelis, cedeu a esse acordo é uma incógnita, bem como os critérios que levaram o governo federal nas gestões de Lula e Dilma a designar os institutos de Nicolelis como os beneficiários dos projetos. Tal questão não foi excluída da auditoria, que trata como ‘impropriedade’ o que designa ‘fragilidades na justificativa do MEC para a escolha do ISD’.


Em dezembro de 2014, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBCP), entidade que representa a comunidade científica brasileira, questionou o Ministério da Educação sobre quais critérios foram adotados para o instituto de Nicolelis ter sido abençoado com um contrato de R$ 247 milhões para o Campus do Cérebro. À época, o MEC não prestou informações. Agora, o TCU foi atrás, mas permanecem as dúvidas.


“A justificativa veio na forma de dois parágrafos em nota do MEC. Entende-se que a magnitude do projeto, o volume de recursos e as dúvidas lançadas por parte dos veículos midiáticos a respeito do ISD, sempre atrelando o nome do Prof. e Presidente do Instituto, Dr. Miguel Nicolelis, como tendo sido favorecido em detrimento do princípio da impessoalidade, robustecem a necessidade de maiores explicações”, registra o relatório.


Na nota enviada ao TCU, o MEC afirma que não havia outra organização social qualificada para a contratação. Para a Corte de Contas esse argumento é frágil, razão pela qual o tribunal pede que o Ministério da Educação apresenta justificativa plausíveis e compatíveis “com a magnitude do projeto e dos recursos angariados”. Ao longo do relatório, os técnicos do TCU fazem questão de pontuar o valor que está em jogo (R$ 247 milhões) como forma de alertar os ministros do Tribunal de Contas da União. Uma das razões para esse temor é que se descobriu que “não há nenhuma comprovação técnica e econômica que demonstre e justifique o aporte de tanto dinheiro”. Ainda assim, o governo federal assinou o acordo.


Confusão


Para chegar ao cerne das irregularidades, os técnicos do TCU precisaram primeiro destrinchar o emaranhado de entidades e instrumentos jurídicos sobrepostos. A análise remonta a 2004, quando a Aasdap firmou termo de parceria com a UFRN para o ‘Programa de Trabalho Campus do Cérebro’. O projeto original pretendia criar o Instituto Internacional de Neurociências de Natal (IINN).


Ao longo do tempo, a ideia foi sendo alterada à medida que o projeto inicial se tornava realidade. A representação da UFRN na relação com a Aasdap se deu através do Instituto de Cérebro, comandado por Sidarta Ribeiro, que rompeu com Nicolelis em 2011 e denunciou o que agora o TCU se propõe a investigar. Nesse fogo cruzado, a UFRN ficou como parte legítima do contrato com a Aasdap ao mesmo tempo em que financia o Instituto do Cérebro e firmou um novo contrato com Nicolelis, dessa vez através do ISD.


“Os termos jurídicos forma firmados com instituições privadas distintas, cada qual com seu formato de administração: Aasdap e ISD, ambas presididas por Miguel Nicolelis. […] O que se tem de concreto quanto à atuação dessas entidades é um conjunto de indícios e evidências que apontam para uma completa confusão patrimonial, funcional, administrativa, organizacional, estrutural e jurídica, de complexo entendimento e assimilação, dadas as múltiplas atividades dessas instituições”. Para os técnicos do TCU há temeridade nesse quadro na medida em que ele pode permitir “desvios de recursos”.


Outro lado


Ao TCU, os citados se manifestaram justificando os atos investigados. A UFRN negou que a reitora, Angela Paiva, tenha sido negligente. Explicou que procurou a Aasdap para rescindir as relações. O ISD ponderou questões técnicas das obras. Ao TCU, Nicolelis alegou compromissos no exterior e não se manifestou. Todos os citados também serão procurados pelo portalnoar.com. 

A integra do relatório pode ser consultada no link abaixo.

CLIQUE AQUI



19 de agosto de 2015 às 17:55

Aeroporto de Recife: crescer para onde para garantir o hub da LATAM [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A redação do Blog acaba de se instalar em Aracaju.

Jornalista unindo os papéis de mãe e blogueira, acompanhando filha em competição de ginástica rítmica, aproveitei para olhar, com olho técnico, durante escala em Recife, o aeroporto que disputa com Natal e Fortaleza, a sede do hub da LATAM.

Basta dar uma olhada no vídeo abaixo para compreender que falta espaço para o aeroporto dos Gurarapes crescer.

VÍDEO Clique Aqui para ver o aeroporto de Recife

  

19 de agosto de 2015 às 15:52

Eduardo Cunha será acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Blog já havia informado sobre denúncia contra o presidente da Câmara…

Resta saber se, assim como o Blog postou, os senadores Ciro Nogueira e Fernando Collor também serão denunciados.

Do G1

Presidente da Câmara Eduardo Cunha será denunciado por corrupção e lavagem de dinheiro
Denúncia deve ser apresentada ainda nesta quarta-feira ao Supremo Tribunal Federal

por JAILTON DE CARVALHO



BRASÍLIA – O Ministério Público Federal deverá apresentar denúncia contra o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) ainda nesta quarta-feira, segundo disse ao GLOBO uma fonte que acompanha o caso de perto. O presidente da Câmara será acusado de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. A denúncia a ser apresentada ao Supremo Tribunal Federal (STF) tem como base a acusação do empresário Júlio Almeida Camargo, que confessou em juizo ter pago US$ 5 milhões em propina para o deputado. Cunha nega participação nos crimes. Se o STF aceitar a denúncia, o parlamentar passará a ser réu no escândalo de corrupção. O GLOBO mostrou também hoje que o presidente do PP, senador Ciro Nogueira (PI), deve constar na lista apresentada ao Supremo como outro denunciado.
Um dos principais delatores da Operação Lava-Jato, Camargo teria pago o suborno para facilitar a assinatura de contratos de afretamento de navios-sonda entre a Samsung Heavy Industries e a diretoria de Internacional da Petrobras. Pelo aluguel de dois navios, o Sonda Petrobras 100000 e o Vitoria 10000, a Petrobras teria desembolsado US$ 1,2 bilhão. O pagamento de propina para Cunha e outros envolvidos nas transações seria superior a US$ 40 milhões.
À época da assinatura do primeiro contrato, no valor de US$ 586 milhões, a diretoria Internacional estava sob o comando de Nestor Cerveró, condenado no início da semana a 12 anos e 3 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro, da 13ª Vara Federal de Curitiba. O negócio teria sido intermediado pelo lobista Fernando Soares, o Baiano. No mesmo processo, o lobista foi condenado a 16 anos e 1 mês de prisão no mesmo processo, que resultou na condenação de Cerveró.
Camargo foi condenado a 14 anos de prisão, mas como fez acordo de delação premiada, ficará em regime aberto diferenciado. A parte relacionada a Cunha foi enviada a Procuradoria Geral da República e deu origem a abertura de um inquérito contra o deputado no STF no início deste ano. Cinco meses depois desta nova etapa da investigação, o grupo de trabalho que auxilia o procurador-geral Rodrigo Janot, concluiu a apuração.

MP DA SUÍÇA AJUDOU NA OBTENÇÃO DE PROVAS



A denúncia contra o presidente da Câmara está sendo redigida. Os procuradores concluíram pela responsabilização criminal de Cunha por corrupção e lavagem. Na investigação da primeira instância, liderada pela força-tarefa de Curitiba, procuradores obtiveram provas da movimentação do dinheiro da propina no exterior com a ajuda do Ministério Público da Suíça.
“A cooperação jurídica com a Suíça foi fundamental para a comprovação do fluxo do dinheiro no exterior e comprovação documental dos fatos. Por meio dela, obteve-se documentos irrefutáveis que comprovaram a transferência do dinheiro da Samsung para as empresas de Julio Camargo e, em seguida, para as de Fernando Soares e Cerveró, bem como para a contas de terceiros indicadas por eles”, informou a força-tarefa em nota divulgada na segunda-feira.
As acusações contra Cunha surgiram num depoimento do doleiro Alberto Youssef, o principal operador da propina no esquema de corrupção na Petrobras. Youssef disse que ajudou Julio Camargo a repassar propina para Cunha e outros políticos para facilitar o contrato com a Samsung.
Youssef disse ainda que, o presidente da Câmara até usou requerimentos de informação de uma das comissões da Câmara para pressionar Camargo a liberar parcelas do suborno, que estavam atrasadas por conta de desacertos com a Samsung. Os requerimentos da chantagem teriam sido apresentados em nome da ex-deputada Solange Almeida (PMDB-RJ), hoje prefeita de Rio Bonito.
Nos primeiros depoimentos da delação premiada, Camargo nada disse sobre as transações com Cunha. Ele se limitou as acusações contra Cerveró e Fernando Baiano. Depois, quando confrontado com depoimentos de Youssef, decidiu abrir o jogo. O empresário confirmou e ainda ofereceu mais detalhes sobre o suposto suborno de Cunha.

19 de agosto de 2015 às 7:53

Deputado Antônio Jácome promove debate sobre a participação do SUS no tratamento de câncer [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado Antônio Jácome (PMN) participou ontem em Brasília da entrega de Declaração para a Melhoria da Atenção ao Câncer no Brasil.
O documento foi feito em parceria com a Frente Parlamentar de Prevenção, Diagnóstico e Tratamento do Câncer, da qual o parlamnentar potiguar é presidente.
Jácome aproveitou o evento para convidar os presentes para a audiência pública “Debate sobre Oncologia – SUS Ideias e Soluções”, que acontecerá na Comissão de Seguridade Social e Família, da qual é membro, e em parceria com a Frente de Combate ao Câncer.
A Audiência está marcada para terça-feira, 25, das 7 às 10 horas no Anexo II, plenário 7.

  

19 de agosto de 2015 às 6:56

José Agripino mostra a Aécio Neves desenhos de artista plástico de Rodolfo Fernandes [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O senador José Agripino levou para o senador tucano Aécio Neves desenhos do artista plástico potiguar Jederson Barbosa. 
O jovem, de apenas 24 anos, que não conhece Brasília, mandou pelo presidente da Câmara Municipal de Rodolfo Fernandes, Wilson Filho (PMDB), retratos em grafite com a imagem de alguns parlamentares.
“Quando a gente vê um jovem com um talento nato, precisa apoiar e divulgar. É isso que estou fazendo”, disse Agripino que promoveu o encontro do vereador de Rodolfo Fernandes com o ex-candidato a presidente.
“Eu sempre fiz questão de ressaltar as qualidades artísticas desse jovem e ajudar no seu crescimento profissional. Me sinto feliz em colaborar com essa divulgação aqui no Congresso com o apoio do senador Zé Agripino”, disse o vereador que está em Brasília participando da Marcha dos Vereadores 2015.  
Além do desenho de Aécio Neves e de Agripino, Jederson fez retratos também do ministro do Turismo, Henrique Alves, dos deputados Fábio Faria (PSD-RN), Tiririca (PR-SP), Beto Rosado (PP-RN) e os senadores Cristovam Buarque (PDT-DF), Fátima Bezerra (PT-RN) e Garibaldi Filho (PMDB-RN). 

Fotos Mariana Di Pietro 
   

 

19 de agosto de 2015 às 6:45

Festa surpresa para o deputado-prefeitável Rafael Motta [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado federal Rafael Motta (PROS), que começa a despontar como mais um nome na disputa pela Prefeitura de Natal, ganhou festa surpresa de aniversário, ontem na Câmara.

Festa para Rafael e para o deputado Pedro Cunha Lima.

A surpresa foi feita na Segunda Secretaria da Câmara e estiveram presentes os deputados Antônio Imbassahy, Pedro Vilela, Índio da Costa, Clarisa Garotinho, Newton Júnior, Mariana Carvalho, Maurício Quintela, Nilson Leitão, Caio Márcio, Sóstenes Cavalcante, Fernando Monteiro, Felipe Bornier e Irajá Abreu.

Da bancada do Rio Grande do Norte, o deputado Fábio Faria.

  

19 de agosto de 2015 às 6:37

Eduardo Cunha será o ‘malvado favorito’ do PT no protesto de amanhã [0] Comentários | Deixe seu comentário.

#ForaEduardoCunha

Esse vai ser o hino da quinta-feira, quando o PT vai às ruas defender o próprio PT e o governo da presidente Dilma.

Vai defender também a democracia.

Leia notas de Vera Magalhães, na Folha de hoje:


 Do Blog – Assim como a oposição, o PT vai às ruas defender 3 pontos.

E o que os movimentos sociais do PT e Oposição tem em comum?

Oposição

1- Contra o PT

2- Contra o Governo Dilma

3- Contra a corrupção

PT

1- Em defesa do PT

2- Em defesa do Governo Dilma

3- Em defesa da democracia

*

No protesto de amanhã não se fala em corrupção.

19 de agosto de 2015 às 6:27

Editorial do NY Times diz que impeachment ainda sem provas de ilegalidades será “dano à democracia” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha

Impeachment de Dilma sem motivo seria dano à democracia, diz NYT

Em editorial publicado nesta segunda-feira (17), o jornal americano “The New York Times” diz que o impeachment da presidente Dilma Rousseff sem evidências concretas de que ela tenha cometido ilegalidades traria “sério dano a uma democracia que vem se fortalecendo nos últimos 30 anos”.
O texto, publicado nesta terça (18) na versão internacional do “NYT”, ressalta o contexto de crise econômica no país e a Operação Lava Jato, mas afirma que “a solução não deve minar as instituições democráticas, que garantem estabilidade, credibilidade e um governo honesto”.
“Em meio a essa turbulência, é fácil deixar passar a boa notícia: a força das instituições democráticas brasileiras”, diz o texto. O jornal afirma que os promotores da Operação Lava Jato não foram dissuadidos por quem está no poder, o que “representa um revés para a cultura arraigada de imunidade entre as elites governamentais e empresariais”.
O jornal cita as prisões de ex-executivos da Petrobras, do presidente do grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e do almirante reformado Othon Luiz Pinheiro da Silva, presidente licenciado da Eletronuclear suspeito de receber propinas de empreiteiras responsáveis pela construção da usina de Angra 3.
POPULARIDADE
O jornal lembra ainda os protestos pelo impeachment de Dilma neste domingo (16) e a baixa popularidade da presidente, mas diz que “nada sugere que outro líder político faria um trabalho melhor na economia”.
O “NYT” aponta que a presidente, que presidiu o Conselho de Administração da Petrobras entre 2003 e 2010, “não tomou medidas para constranger ou influenciar as investigações” da Lava Jato, apesar do custo político da operação. Em vez disso, “enfatizou que ninguém está acima da lei e apoiou a recondução de Rodrigo Janot”, procurador-geral da República.
O editorial esclarece que as investigações não encontraram evidências de ilegalidades cometidas pela presidente, mas que “sem dúvida” Dilma é responsável pelas políticas que levaram o Brasil à crise econômica.
Nesta segunda, o jornal britânico “Financial Times” também afirmou em editorial que ainda não há motivos para o impeachment de Dilma e que, caso ela deixasse o cargo, seria substituída por “outro político medíocre”.

19 de agosto de 2015 às 6:11

Governo cede a pressões e define hoje a data que vai pagar 1ª parcela do 13º dos aposentados [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha

Governo volta atrás e adiantamento do 13º salário a aposentados será mantido

NATUZA NERY

VALDO CRUZ)

DE BRASÍLIA

Sob pressão política, o governo Dilma decidiu manter o adiantamento de metade do 13° salário aos aposentados e pensionistas, pagamento que havia sido suspenso pelo Ministério da Fazenda sob o argumento de falta de fluxo de caixa para bancar a despesa.
A data e a forma como se dará o adiantamento serão definidas nesta quarta-feira (19) em reunião da presidente com sua equipe econômica. A Fazenda não incluiu na folha de pagamento de agosto, que é paga entre o final deste mês e o início de setembro, o adiantamento de metade do 13º.
Diante da falta de recursos em caixa, a equipe de Joaquim Levy argumentou que a antecipação não é obrigatória e postergou o gasto para dezembro. A lei prevê o pagamento no último mês do ano, mas há nove anos o governo federal vinha permitindo o repasse de metade do valor na folha de agosto.
O pagamento de metade do 13º salário da folha da Previdência representa um gasto de R$ 15,8 bilhões, que terá de ser feito de qualquer forma neste ano. Portanto o impacto fiscal, no ano, é o mesmo, independentemente da data de pagamento.
FOLHA EXTRA
Nesta quarta, a presidente vai analisar algumas alternativas. Entre elas, fazer uma folha extra para que o pagamento saia no final deste mês e início do próximo.
Há, ainda a possibilidade, mais viável, de que a antecipação da metade do benefício ocorra na folha de setembro, paga até o início de outubro.
Uma outra alternativa é parcelar o pagamento entre setembro e dezembro para diluir o impacto fiscal.
Segundo a Folha apurou, o governo foi informado de que o Congresso ameaçava aprovar uma norma obrigando o Palácio do Planalto a antecipar a despesa.
Dessa forma, o governo assumiria o desgaste de não autorizar o adiantamento e ainda ser forçado a fazê-lo por intervenção do Legislativo.
Outro foco de pressão veio do PT, partido da presidente, pelo “custo social” da medida.
Entre os argumentos da sigla está o fato de os beneficiários não terem sido avisados com “antecedência razoável” de que não receberiam o dinheiro agora. Na avaliação de petistas, “milhares de pessoas” já haviam contraído dívidas contando com o dinheiro.
No fim de semana, monitoramento feito pelo Executivo nas redes sociais mostrou uma forte reação contra a presidente da República diante dos rumores de que o adiantamento não ocorreria.

19 de agosto de 2015 às 0:15

Indicado para STJ, potiguar Marcelo Navarro vai integrar turma que julgará a Lava Jato [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De João Ferreira, no site Jurinews:

“Vou fazer um trabalho no STJ com a minha marca”, diz Marcelo Navarro 

Indicado ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) pela presidente Dilma Rousseff, o desembargador federal Marcelo Navarro esteve em Natal nesta terça-feira (18) participando de evento sobre audiência de custódia. Em entrevista ao Jurinews, Marcelo Navarro falou sobre sua indicação, minimizou as críticas sobre o apoio do senador Renan Calheiros e apontou como se dará a sucessão na Presidência do TRF5 que ele assumiu no último mês de abril.
O futuro ministro comentou também sobre sua participação na 5ª Turma do STJ, responsável pelos processos da Lava Jato, e revelou que a candidatura ao STJ surgiu quase que por acaso e acabou caindo no seu colo.
Como o senhor recebeu a indicação para ministro do STJ?
Marcelo Navarro – Estou muito feliz. É uma aspiração natural de quem está na carreira do judiciário. Fui candidato com apoio de todos os meus pares do TRF5. Fui bem votado na lista e recebi o respaldo da presidente da República.
O senhor foi taxado de aliado do senador Renan Calheiros. Como o senhor recebeu essa crítica?
Marcelo Navarro – Recebi com certo espanto porque não existe propriamente isso. Conheço o senador Renan há muito pouco tempo, inclusive. Mas eu recebi uma gama de apoios muito grande, tanto do PMDB quanto do PT, principalmente, e de vários outros partidos da base do Governo. Na realidade, eu tive apoios até fora da base do Governo. Isso é natural porque o processo de escolha envolve juízos políticos e o Poder Judiciário é um dos três poderes do Estado. O mais é especulação jornalística porque a Lava Jato é o tema do dia e daqui a seis meses será outra coisa. Isso não me atinge de forma nenhuma.
Ontem ao emitir nota alegando que não tem nenhuma relação com o senhor, o senador Renan pontuou que defende que se modifique a forma de indicação de ministros dos tribunais superiores. O senhor também concorda com essa avaliação?
Marcelo Navarro – Concordo. Acho que seria realmente interessante que houvesse um sistema em que se pudesse fazer uma avaliação de mérito. Pra mim seria muito mais confortável se tivesse sido feito uma análise do meu currículo. Eu acho que eu teria sido escolhido também.
Com sua indicação para ministro do STJ, como ficará a Presidência do TRF5?
Marcelo Navarro – Tenho uma reunião convocada com os desembargadores para amanhã (19). Vamos tratar desse assunto porque no regimento interno do nosso Tribunal, o vice-presidente substitui mas não sucede. Então, se eu efetivamente for aprovado no Senado e definitivamente nomeado para o STJ, vamos ter que resolver como isso será feito. Alguém vai ter que aceitar me substituir ficando com um mandato quebrado, após seis meses de minha posse, o mandato do novo presidente será de um ano e meio. Então provavelmente algum colega vai ficar e terminar o mandato junto com o vice-presidente e o corregedor. Isso vai ser uma dificuldade adicional porque estamos em um momento em que houve quatro aposentadorias em um tribunal de apenas 15 membros, com a minha saída será a quinta vacância, mas felizmente hoje foi nomeado um novo desembargador na vaga de antiguidade, Carlos Rebêlo Júnior, que é originário da Seção Judiciária de Sergipe.
O senhor vai integrar a 5ª Turma do STJ que tem a missão de julgar os processos da Lava Jato. Como o senhor tem analisado a questão da Lava Jato?
Marcelo Navarro – A formulação de uma opinião do ponto de vista judiciário sobre um caso concreto só pode ser feita com os autos nas mãos. Estamos vendo notícia o tempo todo sobre a questão da Lava Jato, mas, em primeiro lugar, por se tratar de um processo que boa parte das investigações corre em sigilo, a gente só tem acesso aquilo que vaza pra imprensa e muitas vezes não é o material completo. Então é muito difícil emitir uma opinião sobre esse assunto sem ver os autos. Não gostaria de me pronunciar sem realmente ter uma noção do que está acontecendo.
O Rio Grande do Norte voltará a ter dois ministros no STJ após um longo hiato. Como potiguar, como o senhor vê essa ascensão do Rio Grande do Norte para mais uma vaga na Corte?
Marcelo Navarro – Fico muito feliz até porque já temos um grande ministro no STJ, que é Luiz Alberto Gurgel de Faria. Essa coisa de dizer se você apoiar Luiz Alberto você não vai porque o Estado é muito pequeno, não tem lugar pra dois ministros. A vez era de Luiz Alberto e eu sempre apoiei a candidatura dele e quando ele entrou eu fiquei tão feliz como se um irmão meu estivesse lá. E agora eu, graças a Deus, consegui também esse mesmo acesso. Isso mostra que temos que fazer o que é correto e tem que respeitar a fila como se diz, porque em todas as instituições existe a antiguidade, o merecimento, então a gente tem que se adequar, não pode fazer carreira atropelando os outros. Consegui uma carreira exitosa em minha vida porque eu nunca transformei a carreira em um objetivo de vida. Essa candidatura do STJ surgiu quase que por acaso porque o candidato da vez era o colega Paulo Roberto de Oliveira Lima, que desistiu e a candidatura caiu no meu colo no momento em que eu não imaginava que fosse me candidatar ao STJ, até mesmo porque eu tinha acabado de tomar posse como presidente do TRF5. Quando as coisas têm que acontecer, como diz o povo do interior, elas vêm com muita força e aconteceu, graças a Deus, consegui e embora, obviamente, ainda dependa de uma sabatina, mas só a indicação já me honrou muito. Espero que ultrapassada a sabatina, depois com a nomeação e a posse, eu possa fazer um trabalho no STJ com a minha marca, como sempre fiz em todos os lugares que passei em minha vida profissional.