Thaisa Galvão

22 de fevereiro de 2016 às 8:02

Acarajé: Juiz da Lava Jato manda prender João Santana, marqueteiro de Lula e Dilma [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1:
Nova fase da Lava Jato tem como um dos alvos o marqueteiro João Santana

Publicitário, que está no exterior, trabalhou em campanhas de Dilma e Lula. Operação é realizada em São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia
Por Camila Bomfim e Adriana Justi

Da TV Globo, em Brasília, e do G1 PR
A Polícia Federal (PF) deflagrou a 23ª fase da Operação Lava Jato nesta segunda-feira (22). Um dos alvos desta etapa, chamada de Operação Acarajé, é o publicitário baiano João Santana, que foi marqueteiro das campanhas da presidente Dilma Rousseff e da campanha da reeeleição do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em 2006. Há mandado de prisão temporária (de 5 dias de duração) expedido contra ele, mas Santana está no exterior e não foi preso.

Também são alvo desta etapa a empreiteira Odebrecht e o engenheiro Zwi Skornicki, que, segundo as investigações, operava propinas no esquema da Petrobras investigado pela Lava Jato. Há mandado de prisão preventiva contra Skornicki. A polícia esteve no início da manhã no prédio da Odebrecht, em São Paulo.

Além do estado de São Paulo, a operação cumpriu mandados na Bahia e no Rio de Janeiro.

Santana é alvo porque os investigadores têm indícios suficientes de que ele possui contas no exterior , com origem não declarada. O publicitário começou a ser investigado na Lava Jato em um inquérito sigiloso depois que a PF apreendeu, na casa de Zwi Skornicki , um manuscrito atribuído à mulher de João Santana indicando contas dele fora do país. A informação sobre a apreensão foi revelado pela revista “Veja”.

Além de marqueteiro das campanhas, ele chegou a ser conselheiro da presidente Dilma em várias decisões de governo, chamado a participar de reuniões decisivas , com voz de influência em debates políticos no primeiro escalão.

Mandados

A 23ª fase da Lava Jato tem 51 mandados ao todo. 38 de busca e apreensão, 2 de prisão preventiva, 6 de prisão temporária e 5 de condução coercitiva.

Participam da ação 300 homens da PF. Na Bahia, a operação é realizada nas cidades de Salvador e Camaçari. No Rio de Janeiro, na capital, em Angra dos Reis, Petropolis e Mangaratiba. Em São Paulo, além da capital, a operação foi às cidades de Campinas e Poá.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.