Thaisa Galvão

29 de março de 2016 às 2:55

Jurista Ives Gandra considera possível a cassação de Dilma pelo TSE sem atngir o vice Michel Temer  [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na volta de Jô Soares, no seu último ano no ar, na TV Globo, o apresentador entrevistou a presidenciável da Rede, Marina Silva, e o jurista Ives Gandra Martins.

Marina disse não saber ainda se disputará a presidência outra vez.

E sobre a situação do Brasil, disse que, em vez do Congresso aprovar o impeachment da presidente, o TSE deveria cassar a chapa completa, tirando Dilma e o vice Michel Temer.

   

Na opinião do jurista, se as contas do PT são aprovadas, por exemplo, e as do PMDB reprovadas, não há porque afastar os dois.

Um entendimento oposto à justiça eleitoral que considera uma chapa de campanha, indissociável.

Para Marina, se PT e PMDB fizeram  tudo “o que está aí”, juntos, como um pode ser o problema e o outro a solução?
 
Durante a entrevista, Gandra falou que a “sensação” que ele tem é que a cassação de Dilma no TSE não atinge Temer.

Gandra disse que não viu “nenhuma ilegalidade na divulgação dos grampos”, referindo-se às escutas telefônicas gravadas com autorização justiça.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.