#JornalismoSemFakeNews

10 de janeiro de 2018 às 0:26

Entrevista: Secretário Cristiano Feitosa explica detalhes da reforma que será votada na Assembleia Legislativa

[4] Comentários | Deixe seu comentário.

O pacote do Governo, na pauta da convocação extraordinária da Assembleia Legislativa, tem pontos polêmicos como demissões e o aumento na alíquota da previdência sobre os salários dos servidores.

Nosso entrevistado no Jornal da Noite, da 95FM, o secretário estadual de Administração, Cristiano Feitosa, relatou detalhes da reforma.

4 respostas para “Entrevista: Secretário Cristiano Feitosa explica detalhes da reforma que será votada na Assembleia Legislativa”

  1. esse secretário parece sentir orgasmo quando fala em demitir servidor público. Perceberam? Ele é do judiciário (PGE). Olha quem paga a conta: o servidor assalariado.

  2. Luiza disse:

    Gente essas demissões vai mexer com muitas famílias que já tem seu padrão de vida um pouco melhor! Existem outras opções como deixar de atender pedidos de políticos para criar cargos tais como Secretaria da mulher, da juventude, entre outras! Pelo amor de Deus! Sem falar nos secretários que recebem de dois lugares. Tirem todos os cargos e ofereça-o aos servidores que realmente fazem o trabalho de vocês! Datanorte nunca foi “cabide de emprego” Taisa !

  3. Luiza disse:

    Pergunta: por que 270 cargos extintos e 600 servidores demitidos? Essa expressão de satisfação desse secretário em falar de demissões chega a ser cruel! Nos servidores celetistas não fazemos parte de cabide de emprego não. Proponho extinguir 80 por cento dos cargos e deixar os servidores tocarem a máquina pública apenas com seus salários ou escolhendo o salário ou a gratificação. Acho que esse secretário ganha de duas fontes, ou estou enganada?

  4. Luiza disse:

    O brilho no olhar desse secretário é nítido, quando ele fala em demissões de servidores. Pergunta: secretário o senhor só recebe por uma fonte? Porque nos não recebemos dobrado não, gozamos o nosso direito de contribuinte do INSS e também do direito de permanecer na ativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.