#JornalismoSemFakeNews

8 de outubro de 2018 às 16:15

Reforma trabalhista mudou o cenário político no Rio Grande do Norte

[1] Comentários | Deixe seu comentário.

O resultado das urnas no caso de deputado federal no Rio Grande do Norte deixou bem claro: valeu muito mais o posicionamento político dos parlamentares, do que os milhões em emendas destinadas ao Estado e a muitos municípios.

A reforma trabalhista elegeu e deselegeu.

Elegeu os deputados Rafael Motta que votou contra, e Walter Alves que não votou. Elegeu João Maia que não tinha mandato e não votou contra nem a favor, elegeu os novos nomes que surgiram para a Câmara…

Deselegeu o relator da reforma, Rogério Marinho, o deputado Beto Rosado, e o senador candidato a federal José Agripino Maia, que no Senado se pronunciou favorável à nova lei, e na Câmara manteve o posicionamento através do filho deputado Felipe Maia.

A reforma trabalhista foi fatal também para o senador Garibaldi Filho, que perdeu a eleição com uma diferença de mais de 280 mil votos entre ele e a segunda colocada, a senadora eleita Zenaide Maia (PHS).

A reforma trabalhista, por mais explicada que pareça ter sido, não teve ouvidos do eleitorado.

O que prevaleceu foi que “a reforma tirou direitos dos trabalhadores”.

E ponto final.

Se tinha pontos interessantes, o eleitorado não viu e não quis ver. Não compreendeu e não quis compreender.

E qualquer emenda, seja lá qual fosse, do tamanho que fosse, saiu maior do que o soneto para os parlamentares que votaram Sim ao projeto de reforma relatado por um deputado do Rio Grande do Norte, agora sem mandato.

Uma resposta para “Reforma trabalhista mudou o cenário político no Rio Grande do Norte”

  1. Cássia Floquet disse:

    Êgueee foi isso mesmo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.