Thaisa Galvão

14 de janeiro de 2020 às 3:03

Dilma supera Coringa na mídia brasileira [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Que Coringa que nada.

Apesar do maior número de indicações, o enredo americano de suspense psicológico lançado em outubro do ano passado, não é o mais citado pela mídia brasileira nesta segunda-feira, após divulgação da lista dos indicados ao maior prêmio do cinema.

No Brasil só se fala em “Democracia em vertigem”, documentário da diretora brasileira Petra Costa, que mostra o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff e a crise política no Brasil.

O filme foi lançado pela Netflix em junho passado.

 

Veja destaques do Oscar:

 

Coringa” é o filme com maior número de indicações, 11, inclusive melhor filme, melhor diretor (Todd Philips), e melhor ator (Joaquin Phoenix).

Democracia em vertigem“, documentário brasileiro da diretora Petra Costa, que mostra o processo de impeachment de Dilma Rousseff, também foi indicado.

Era uma vez em Hollywood“, “1917” e “O Irlandês” dividem a segunda colocação na lista, com 10 indicações cada.

Atrás deles, com seis indicações, estão “História de um casamento“, “Adoráveis mulheres“, “Jojo Rabitt” e o coreano “Parasita

“Parasita” se tornou o 11º filme estrangeiro a ser indicado na categoria principal.

Dois Papas“, dirigido por Fernando Meirelles, teve três indicações, mas o brasileiro não entrou na lista de diretores.

Scarlett Johansson concorre a melhor atriz por “História de um casamento” e atriz coadjuvante por “Jojo Rabbit“. Antes dela, 11 atores foram indicados no mesmo ano nas duas categorias. A mais recente foi Cate Blanchett, em 2008.

Um casal entrou nas categorias de roteiro.

Greta Gerwig foi indicada em roteiro adaptado por “Adoráveis mulheres” e seu namorado, Noah Baumbach, em roteiro original, por “História de um casamento”.

John Williams, indicado a trilha de “Star wars” bateu o próprio recorde como pessoa viva com mais indicações: 52.

Walt Disney continua com a liderança histórica, com 59

Uma resposta para “Dilma supera Coringa na mídia brasileira”

  1. Ujuara disse:

    Interessante: Não li algo sobre se o documentário 1964: “O Brasil entre armas e livro”, foi indicado a algo de destaque. E olha, que é todo baseado e documentos reais e com depoimentos de alto níveis.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*