Thaisa Galvão

29 de janeiro de 2020 às 22:30

Jornalista Octavio Santiago assume comando da comunicação do TRT/21 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Mudança no comando da Comunicação do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região, em Natal.

Na gestão do presidente desembargador Bento Herculano, assumirá o jornalista Octavio Santiago.

Inteligente e cheio de ideias, Octavio está sendo cedido – sem ônus – pela Assembleia Legislativa, de onde é servidor concursado, para ocupar o cargo no TRT, onde tomará posse segunda-feira, dia 3.

Octavio substitui o jornalista Ciro Pedroza, que permanece no Tribunal de onde é servidor concursado.

Já no diário eletrônico da AL a cessão de Octavio.

Estudando “belos textos” na faculdade paulista

29 de janeiro de 2020 às 22:15

Furo: Blog saiu na frente ao noticiar que Regina Duarte diria Sim nesta quarta-feira a Jair Bolsonaro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Como o Blog deu em primeira mão às 11h05 desta quarta-feira, Regina Duarte disse sim ao presidente Jair Bolsonaro e vai assumir a Secretaria Especial de Cultura.

Fonte do Blog viajou na poltrona atrás da atriz de São Paulo a Brasília, e ainda no aeroporto de Congonhas, onde ela embarcou, ela já falava como auxiliar do Governo.

Eis a nota.

Portais nacionais como o Antagonista publicaram a chegada dela a Brasilia depois do meio dia, mas sem adiantar que ela aceitaria o convite.

29 de janeiro de 2020 às 16:47

Lei das PPPs leva os deputados João Maia e Arnaldo Jardim a cumprirem agendão em SP e RJ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado federal João Maia, que preside a comissão especial que trata da criação da nova lei de concessões, tem afinado o discurso do novo marco regulatórios das PPPs com o relator do projeto, deputado Arnaldo Jardim.

Os dois montaram uma agenda que reforçam que a nova lei passará pelas cabeças que pensam o Brasil, e não somente os interesses de grupos privados.

Confira a agenda pel reportagem abaixo:

Reuniões tentam afinar Projeto de Lei de Concessões aprovado na Câmara

Dimmi Amora, da Agência iNFRA

Reuniões ao logo de toda a semana entre o presidente e o relator da comissão especial da Câmara que analisa a reforma do marco legal de concessões e PPPs (parcerias público-privadas), deputados João Maia (PL-RN) e Arnaldo Jardim (Cidadania-SP), e representantes de diferentes áreas do setor privado, buscam refinar o substitutivo ao PL 7.063/2017 do Senado, que foi aprovado no fim do ano passado, mesmo com oposição do Ministério da Economia.

O acordo com o governo foi que haveria a aprovação pela comissão, mas que melhorias poderiam ser feitas no projeto na fase de votação no plenário da Câmara, o que o relator quer realizar ainda no primeiro semestre deste ano.

Segundo Jardim, na segunda-feira (27) foram realizados encontros com associações que representam grandes setores da infraestrutura como Abidb, Abimaq, Abicom, ABCR, CBIC, ANTF, Abifer, Sinicesp e Brasinfra.

Em outro encontro, os parlamentares foram à FESP-SP para ouvir sugestões apresentadas por alunos e professores do MBA em PPP e Concessões, curso que é realizado na entidade.

Houve ainda encontro com grandes escritórios de advocacia que trabalham no setor de infraestrutura e com o ex-ministro José Roberto Mendonça de Barros.

Na terça-feira (28) os parlamentares tiveram reuniões com o ex-ministro Delfim Netto, com representantes do Insper e com fundos de investimentos, bancos e financiadores, representados pela Anbima.

Na quarta-feira (29) os encontros foram no Rio de Janeiro.

Foram conversas com representantes da Fundação Getulio Vargas e com os ex-presidentes do Banco Central Carlos Langoni (governo Figueiredo) e Armínio Fraga (Governo Fernando Henrique); e a ex-secretária de Desestatização do governo Fernando Henrique, Elena Landau.

Melhor panorama

Segundo Jardim, a intenção é ter o melhor panorama possível de contribuições de juristas, economistas e entidades do setor de infraestrutura para fazer aprimoramentos no projeto de lei.

“O que percebemos é que há em todos vontade de contribuir com a melhoria do projeto com sugestões, mas uma simpatia muito grande pela sua aprovação”, disse Jardim.

Garantias

Entre as sugestões já apresentadas de aprimoramento, Jardim cita o capítulo de garantias da proposta, em que os representantes de entidades querem que fique mais claro o que são as condições para que sejam revertidas. Também pedem maior detalhamento no capitulo de caducidade das concessões.

Outro pedido de mudança foi em relação às concessões que tiverem outorga. Um artigo previa que os valores fossem revertidos para um fundo a ser usado para investimentos no próprio setor, mas os representantes ouvidos pediram uma maior flexibilidade nessa regra, já que nem todas as áreas necessitam da destinação de recursos de outorga.

Esse foi um dos pontos que mais incomodou o Ministério da Economia no projeto aprovado pela comissão, já que haveria pressão para que recursos arrecadados em outorgas deixem de ser destinados ao Tesouro Nacional. Nos últimos dois anos, as outorgas têm sido um dos principais recursos atípicos usados para reduzir o déficit primário nas contas públicas.

Propostas do governo

Na semana passada, representantes do governo estiveram reunidos com diretores de agências para tratar do PL das Concessões. O governo quer contribuições de todos os órgãos para aprimorar o projeto, não somente na questão das outorgas, mas também em outras áreas.

Os setores de energia e petróleo estão mais preocupados com as mudanças, já que o atual marco legal tem sido suficiente para a realização dos investimentos privados nesses setores. Já as áreas de transportes e infraestrutura urbana têm mais necessidade de mudança no atual marco.

O combinado entre as lideranças do governo na Câmara e os deputados que comandam a comissão é que o governo vai apresentar na segunda quinzena de fevereiro uma contribuição consolidada para ser analisada pelos deputados antes da votação em plenário.

29 de janeiro de 2020 às 16:18

Regina Duarte fala como secretária, não confirma se aceitará convite e diz a fã que não vai morar em Brasília [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A atriz Regina Duarte chegou a Brasília para se reunir com o noivo, presidente Jair Bolsonaro.

Na chegada não confirmou aos jornalistas se teria aceitado ou não o convite para assumir a Secretaria Especial de Cultura.

Ela disse que ainda há um protocolo a ser seguido e que não poderia falar mais sobre o assunto.

No voo 3700 da Latam, entre Congonhas e Brasília, ela conversava com a assessora como secretária.

Porém, quando desembarcou no aeroporto de Brasília e foi para a esteira pegar a bagagem – sem tamanho de mudança – foi questionada por uma senhora que lhe perguntou se ela estaria indo morar em Brasília.

“Não”, foi a resposta da atriz, segundo a fonte que viajou na poltrona atrás da “noiva” do Governo.

De repente…

Esse protocolo que ela falou, mas do qual se recusou a falar, pode ser a questão da moradia…

Brasília em definitivo pode não estar nos planos de Regina Duarte.

29 de janeiro de 2020 às 11:05

Regina Duarte conversa com assessora em voo da Latam sobre o Sim que dará ao presidente Bolsonaro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Fonte boa é essa.

Leitor do Blog acaba de embarcar no voo Latam 3700, em Congonhas, São Paulo, com destino a Brasília.

Na poltrona da frente, 1B, está sentada a atriz Regina Duarte, acompanhada de uma assessora.

As duas só entraram no avião depois que todo mundo já estava acomodado.

Na bagagem, pelo que está escutando a fonte, Regina Duarte leva um Sim para o presidente Jair Bolsonaro.

Regina Duarte será a secretária nacional de Cultura, e consequentemente será desligada da TV Globo.

O noivado vai virar casamento ainda hoje.

29 de janeiro de 2020 às 7:58

Álvaro garante não renunciar ao mandato para ter apoio de Carlos Eduardo Alves que quer disputar o Governo em 2022 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O que faz o prefeito de Natal, Álvaro Dias declarar que, se reeleito, não renunciará ao mandato dois anos depois para ser candidato a governador?

Ora, um acordo com o ex-prefeito Carlos Eduardo Alves.

Carlos apoia sua reeleição – ou pelo menos fica quieto e não fabrica outra candidatura, como quase fazia com o deputado Hermano Morais – e sendo reeleito Álvaro não disputará o Governo, apoiando, ainda na função de prefeito da capital, a terceira candidatura de Carlos ao Governo do Rio Grande do Norte.

Um acordo muito mais de ‘não me atrapalhe’ do que de ‘me ajude’, já que não se vê nenhum entusiamo do ex com o atual prefeito.

29 de janeiro de 2020 às 7:46

Álvaro Dias promete cumprir 4 anos e não renunciar para disputar Governo se for reeleito prefeito de Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Álvaro Dias não confirma se será candidato à reeleição.

Não confirma com essas palavras, mas, deixa claro em todo instante que seu plano não é terminar a gestão no final do ano e ir para casa.

Em entrevista que nos concedeu no Jornal da Noite, na 95MaisFM, Álvaro disse que se for reeleito, cumprirá os 4 anos de mandato e não renunciará para ser candidato a governador como tem se dito.

Tipo…não fará o que Carlos Eduardo Alves fez, que renunciou à Prefeitura e não se elegeu governador.

Perguntei se ele estava certo do que dizia e lembrei que Carlos Eduardo também prometeu isso mas não cumpriu.

Álvaro disse que cumpre.

*

Lembrando aqui a promessa não cumprida de Carlos Eduardo: quando decidiu que seria candidato, renunciando ao mandato de prefeito, foi cobrado pelo deputado Kelps Lima que espalhou outdoors pela cidade exibindo o twitter de CE, onde ele dizia que INAPELAVELMENTE cumpriria os 4 anos na Prefeitura.

29 de janeiro de 2020 às 3:42

Indicado de Hermano ao prefeito Álvaro Dias pede para sair [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito Álvaro Dias disse, em entrevista que nos foi concedida nesta terça-feira, no Jornal da Noite, na 95MaisFM, que exonerou, a pedido dele, o adjunto da Secretaria de Administração, Carlos Morais.

Morais foi indicado pelo deputado Hermano Morais, que definiu que será candidato a prefeito de Natal, e virou adversário do prefeito do prefeito Álvaro.

Segundo Álvaro, a decisão foi do próprio Carlos e ele lamentou a saída dele da gestão.