Thaisa Galvão

9 de fevereiro de 2020 às 18:52

Radicalismo do PT não cabe no partido no Rio Grande do Norte [2] Comentários | Deixe seu comentário.

No evento de comemoração pelos 40 anos do PT, o partido decidiu pela não formação de alianças com partidos como DEM e PSDB, além dos que a sigla considera de extrema direita.

Porém, foi definido que em situações pontuais, alianças desse tipo podem ser consideradas.

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann não detalhou que situações seriam estas, mas bem que poderia ter citado o Rio Grande do Norte como exemplo.

Única mulher governante estadual do PT em todo o país, a potiguar Fátima Bezerra tem como aliado o presidente da Assembleia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ezequiel Ferreira, que é presidente do PSDB.

Um dos dois prefeitos do PT no RN, Odon Júnior, de Currais Novos, vai disputar reeleição e trabalha para ter o apoio do PSDB de Ezequiel.

E vários municípios vão repetir a aliança que a governadora Fátima fez com o PSDB de Ezequiel.

Logo…o RN não pode e não deve nunquinha seguir o radicalismo pregado pelo partido da governadora Fátima Bezerra.

Em 2008, quando disputou a Prefeitura de Parelhas, o hoje deputado estadual Francisco do PT teve o apoio do PSDB local.

No seu primeiro mandato como prefeita de Ouro Branco, em 2012, Fátima Silva (PT) também teve o PSDB local no arco de alianças.

2 respostas para “Radicalismo do PT não cabe no partido no Rio Grande do Norte”

  1. Onézimo Fernandes disse:

    “Única governante estadual do PT em todo o país” Isso está errado. O PT governa também o CE, a BA e também o PI.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*