Thaisa Galvão

17 de fevereiro de 2020 às 17:30

Recepção de juiz da lava-jato ao presidente da República pode ter ultrapassado a liturgia institucional [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ninguém melhor do que um juiz para julgar o cabível e o contra a lei.

É sobre isso que está sendo questionado no Rio de Janeiro o juiz da lava-jato, Marcelo Bretas.

Neste final de semana ele se mostrou bolsonarista e foi ao aeroporto esperar o presodente Jair Bolsonaro que foi ao Rio inaugurar obras.

O que danado foi fazer o juiz da lava-jato na recepção ao presidente?

Segundo reportagem do Globo, o comportamento do juiz da lava-jato do Rio está em dissonância com a Lei Orgânica da Magistratura e a resolução do Conselho Nacional de Justiça.

Segundo a reportagem, a ligação do juiz com Bolsonaro parece ter ultrapassado a liturgia institucional.

Leia mais um trecho do texto assinado pela repórter Carolina Brígido:

Quando Bolsonaro passou a seguir o perfil de Bretas do Twitter, o juiz comemorou. Disse que estava honrado com o novo seguidor. No fim de semana, Bretas publicou em sua conta do Instagram boas-vindas para o presidente na chegada ao Rio. As duas manifestações parecem se chocar com a resolução aprovada pelo CNJ em dezembro do ano passado para regular o uso das redes sociais por juízes de todo o país.

O juiz apagou o vídeo do seu instagram, mas era tarde.

A comemoração já havia rodado nas redes sociais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*