Thaisa Galvão

5 de março de 2020 às 16:39

Quem ganhou e quem perdeu com o falido aeroporto de São Gonçalo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O aeroporto de São Gonçalo do Amarante e suas paternidades…

Foram muitos os interesses em relação à construção de uma obra tão desnecessária para o Rio Grande do Norte como comprovado agora.

Mas à época, valeu de tudo para convencer a população que o novo aeroporto seria a oportunidade do RN se transformar em Dubai.

As comparações eram feitas quase que diariamente.

O aeroporto que seria um hub para todos os países do mundo, que teria a única pista do país apta a receber o maior avião do mundo…seria a redenção para um estado acostumado a perder para Pernambuco, para o Ceará e até para a Paraíba.

Mas na realidade, a grande obra seria – e foi – redenção para muitos interessados no projeto que pagou e pagou caro a proprietários de terrenos onde o aeroporto foi construído…

Que beneficiou algumas campanhas eleitorais….

Que garante lucros altíssimos a quem opera o estacionamento, se brincar mais rentável do que o próprio aeroporto…

A decisão do grupo Inframérica nada mais é do que a constatação do que sempre se falou em relação ao aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

Nada mais é a prova concreta que os potiguares precisavam de tudo, menos de um aeroporto construído nos confins do mundo…

O ex-governador, ex-deputado e ex-ministro Aluízio Alves, não merecia emprestar seu nome a um investimento que já nasceu falido, apesar de ter valido muito a pena para poucos.

Para bem poucos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*