Thaisa Galvão

22 de março de 2020 às 9:20

Hospital de São Paulo anuncia que vai testar efeitos de medicamento para curar coronavírus e Ministério da Saúde pode autorizar uso já na 3ª feira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo, informou neste sábado (21) que dará início ao protocolo de pesquisas para o uso de cloroquina e da hidroxicloroquina no combate à Covid-19.

Isso não significa que o medicamento seja a cura da doença, apenas que ele será testado.

Em nota, o hospital disse:

“A Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein prepara um protocolo de pesquisa para testes sobre a eficácia do medicamento hidroxicloroquina no tratamento da Covid-19”

A cloroquina e a hidroxicloroquina são usadas no tratamento da malária, no combate ao lúpus e à artrite reumatoide. Para evitar a corrida às farmácias, que pode provocar a redução de estoque do medicamento, prejudicando quem realmente precisa, a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) precisou enrijecer as vendas.

Saúde pode autorizar uso em pacientes graves

O Ministério da Saúde pode autorizar, até terça-feira (24), a prescrição da cloroquina e da hidroxicloroquina para casos graves de Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. A declaração foi feita há pouco pelo secretário executivo da pasta, João Gabbardo dos Reis. Até lá, o ministério soltará uma nota com orientações sobre o uso dos medicamentos.

O secretário, no entanto, informou que a eventual liberação dos remédios terá caráter experimental e valerá apenas para pacientes internados em estado grave. Ele reiterou que os dois componentes têm efeitos colaterais fortes e não podem ser estocados para serem usados em caso de eventual gripe.

“Hoje, [os medicamentos] são usados em pesquisas clínicas, com autorização dos comitês de ética dos hospitais, em associação com outros medicamentos. Caso o Ministério da Saúde libere a prescrição, poderá ser usado para pacientes graves, internados em hospitais. Não é para ser usado por quem está gripado e acha que se tomar esse medicamento e não vai ter complicações”, destacou Gabbardo.

Fontes: Agência Brasil / BHAZ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*