Thaisa Galvão

6 de maio de 2020 às 3:55

Celso de Mello dá 72 horas para Planalto entregar gravação de reunião onde Bolsonaro teria feito ameaças para trocar PF no Rio de Janeiro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ministro do STF Celso de Mello deu um prazo de 72 horas, a contar desta terça-feira, para o governo federal entregar as gravações de reunião citada em depoimento do ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro.

A reunião, segundo o depoimento, aconteceu no dia 22 de abril, entre o presidente Jair Bolsonaro, o vice, Hamilton Mourão, e ministros, e a interferência do Planalto na Polícia Federal teria sido o tom do debate.

O procurador da República, Augusto Aras, recomendou que os ministros Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo), Augusto Heleno (Gabinete de Segurança Institucional) e Walter Braga Netto (Casa Civil), além da deputada Carla Zambelli (PSL-SP), fossem ouvidos, e o STF já autorizou o depoimento dos 4.

A gravação solicitada por Celso de Mello refere-se ao trecho do depoimento em que Moro afirma que na reunião do conselho de ministros para apresentar o programa econômico Pró-Brasil, o presidente cobrou a substituição do superintendente da PF do Rio de Janeiro e do ex-diretor geral Alexandre Valeixo, além relatórios de inteligência e informação da PF.

Na mesma reunião, o presidente disse que, se não pudesse trocar o superintendente da PF do Rio de Janeiro, poderia então trocar o diretor-geral e o próprio ministro da Justiça.

Essas reuniões eram gravadas e tinham participação de todos os ministros e servidores da assessoria do Planalto.

Bora ver agora se esse vídeo vai aparecer…

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.