Thaisa Galvão

14 de maio de 2020 às 17:22

Empresas responsáveis pela construção da barragem Oiticica não cumprem protocolos para proteger trabalhadores do coronavírus e obras tem que ser adiadas para evitar mais casos de Covid [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Após diálogo com o Movimento dos Atingidos pela construção da Barragem de Oiticica e a constatação, pela Secretaria de Recursos Hídricos, de que o Consórcio EIT/Encalso não teria condição de cumprir as exigências sanitárias e preventivas para evitar contágio da Covid-19, o Governo do Estado adiou, até o próximo dia 20, a retomada das obras do reservatório, em Jucurutu.

Em nota endereçada à governadora Fátima Bezerra, a comunidade expôs preocupação com a atual situação de crescimento acelerado do contágio da Covid-19 no interior, levando em consideração que a maioria dos trabalhadores da obra são moradores de Barra de Santana, a comunidade a ser realocada.

Os recursos de R$ 50 milhões destinados ao Complexo de Oiticica são provenientes das emendas impositivas da bancada federal em 2019, então, segundo o Governo, não existe a possibilidade de serem contingenciados, já que estão na conta da Secretaria e parte já foi utilizado para pagamento de faturas.

“A questão de Oiticica e a redenção hídrica do Seridó é uma prioridade que sempre esteve pautada nas minhas principais lutas enquanto pessoa pública. E agora como governadora não é diferente. Estamos trabalhando com muito afinco e não mediremos esforços para tornar possível esse sonho da região do Seridó” explicou a governadora.

Logo que o Consórcio concluir a implantação de todos os protocolos e medidas preventivas para evitar contaminação, a Secretaria de Saúde fará uma vistoria para atestar o cumprimento do que foi pactuado.

Até que isso aconteça, a orientação ao consórcio é que garanta o pagamento dos salários dos trabalhadores, uma vez que não existe nenhuma fatura em atraso.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*