Thaisa Galvão

20 de maio de 2020 às 23:38

A última cena tosca e mal dirigida de Regina Duarte em Brasília [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Falta um autor para escrever o que Regina Duarte fala, falta um diretor para dirigir como ela se comporta.

A ex-atriz global, numa passagem de raspão pela Secretaria Nacional de Cultura, mostrou exatamente que nunca passou de uma exímia decoradora de textos.

Como gestora foi um grande fake no governo Bolsonaro e finalmente caiu.

Não leva nada no currículo.

O que ela fez que mais marcou foi passar dias da quarentena em casa, em São Paulo, longe de Brasília.

Nesta quarta-feira, ao anunciar que estava deixando a pasta, da qual foi exonerada, Regina tentou protagonizar uma cena tosca tendo como coadjuvante o presidente Jair Bolsonaro.

Regina disse que ganhou um prêmio ao deixar a pasta para ir coordenar a Cinemateca, em São Paulo, perto da sua casa.

A ex-atriz disse que estava precisando dos netos e dos filhos…e ganhou um prêmio ao ser distribuída para a Cinemateca.

Um cabide de emprego para a tosca namoradinha do Brasil garantir um salário no fim do mês e continuar em casa com os filhos e netos.

Olhe que cena mal dirigida em Brasília nesta quarta-feira.

Regina Duarte perguntando se Bolsonaro estava lhe fritando, quando quem se fritou foi ela mesma, tantas foram as besteiras cometidas na sua meteórica passagem pela Secretaria Nacional de Cultura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*