#JornalismoSemFakeNews

1 de julho de 2020 às 3:07

As mentiras de Decotelli

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

O – o quê, mesmo? – Carlos Alberto Decotelli, foi nomeado para o Ministério da Educação com um currículo, e exonerado com outro.

Aos poucos seus atributos foram se desconstruindo diante de tantas mentiras apresentadas.

Um fake na essência.

Primeira mentira: o Doutorado concluído em uma universidade da Argentina.

Segunda mentira: a autoria da tese, plagiada.

Terceira mentira: o Pós Doutorado em uma universidade na Alemanha – quem não é Doutor não pode ser Pós.

Quarta mentira: professor em escola da Fundação Getúlio Vargas.

Quinta mentira: não é “Oficial da Reserva da Marinha” como publicado no portal do MEC quando assumiu a presidência do FNDE.

De pós-doutor a mentiroso convicto, foi bem ligeirinho.

Será assim que ele vai ser conhecido daqui pra frente.

Se jogou na lama por nada.

Já na gestão Bolsonaro, Decotelli presidiu a FNDE, no Ministério da Educação, e foi questionado por ter dado aval a uma licitação de três bilhões de reais para compra de equipamentos eletrônicos para escolas em todo o país.

A licitação foi suspensa pela Controladoria-Geral da União (CGU) depois de descobrir que o FNDE pedia mais de 30 mil laptops para uma escola do interior de Minas Gerais com apenas 255 alunos.

Fazendo as contas, o FNDE, na gestão Decotelli, iria entregar 118 laptops para cada estudante matriculado.

Decotelli nega participação nesse escândalo.

*

Assim que foi nomeado ministro, uma rede social em seu nome surgiu com ataques a jornalistas, políticos, ao STF…

Decotelli chegou a dizer que a rede social não era dele.

Agora danado é quem acredita.

Alguém pode pesquisar na certidão de nascimento como ele se chama mesmo?

Tá difícil!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.