Thaisa Galvão

11 de julho de 2020 às 20:35

Transbordamentos de lagoa do Jiqui tem alagado residências no Jiqui [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Moradores do bairro Jiqui, na zona Sul de Natal, estão pedindo socorro por causa da lagoa que vem transbordando com as chuvas que tem caído.

Eles pedem que a Semov ou Defesa Civil possa bombear a água.

11 de julho de 2020 às 19:06

Médicos orientam tratamento precoce da covid e apoiam protocolos do Ministério da Saúde, Cremern e Prefeitura de Natal [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Médicos de Natal estão assinando uma carta aberta à população, orientando que os cuidados com a covid podem começar antes mesmo dos primeiros sintomas.

E que logo após os primeiros sintomas o paciente tem que procurar tratamento para evitar que a busca por uma unidade de saúde só aconteça quando o caso já tiver se agravado.

Uma média de 300 médicos já assinaram a carta, onde todos apoiam os protocolos de tratamento precoce e prevenção da covid estabelecidos pelo Ministério da Saúde, Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Norte e pela Prefeitura de Natal.

11 de julho de 2020 às 11:00

Mãe de autistas é obrigada a se mudar depois de reclamações de síndica alegando que condomínio tinha “normas” e que os filhos dela eram barulhentos [4] Comentários | Deixe seu comentário.

Mãe de dois filhos autistas, Juliana Sodré teve que se mudar de casa depois das “ordens” recebidas da síndica do condomínio Porto Venneto, onde morava no bairro Pitimbu.

Ela reclamava que os filhos “barulhentos” incomodavam os vizinhos.

Juliana se mudou, mas foi orientada a prestar queixa contra o ato discriminatório.

Depois de tudo resolvido – para ela e para os filhos – resolveu postar nas redes sociais.

Contou com o apoio de Rochelle Elias, mãe de autista e idealizadora do projeto ‘Mães Corujas Batalhadoras’, que foi acionada pela psicóloga da Associação de Pais e Amigos de Autistas do Rio Grande do Norte (APAARN) onde Juliana faz terapia.

Sou Juliana, sou mãe solo do Gustavo de 10 anos e da Letícia de 5 anos ambos com AUTISMO(TEA). Morei no condomínio Porto Venetto há 1 ano e 4 meses. Durante o período da quarentena pela COVID 19 começei a receber reclamações constantes do condomínio de que meus filhos estariam fazendo barulho ao ponto de que não estavam deixando os vizinhos assistir TV. Desde que entrei no condomínio a síndica e subsíndica sabiam que meus filhos tem Autismo. Então resolvi pedir a autorização do condomínio para colocar um cartaz na entrada do bloco identificando que meus filhos são Autistas, e recebi a mensagem da síndica:

21/06/2020 20:00 – D Sônia:
Oi Jú boa noite. Não é porquer seus filhos tem problemas que os vizinhos tem que aguentar não. Esses dias recebi várias reclamações, muitos gritos e muitos barulhos vindo do seu apto, aqui é um condomínio aqui tem normas. Os vizinhos me reclamam demais e com razão. Então você como mãe tem que conversar com eles. Sabe Jú o ideal é você morar em uma casa, pois não tem normas e em condomínio sempre terá normas. Ninguém tem o direito de aguentar gritos e barulhos, tem morador que não pode assistir uma TV por causa do barulho. Você morou no Jardim satélite se lá não tinha normas mas aqui sempre nós tivemos normas .

21/06/2020 20:04 – D Sônia: Você pode colocar o cartaz no quadro de avisos. Mas normas aqui tem e o pessoal sempre vai reclamar com razão. Desculpe mas são normas.

Após receber essa mensagem entrei em estado de choque, no dia seguinte recebi a ligação da proprietária do apartamento onde fui informada que o condomínio entrou em contato com ela e que eu seria Notificada e Multada.
Entrei em contato com algumas mães de Autistas onde fui orientada a Fazer um Boletim de Ocorrência e comunicar ao Conselho Tutelar.
É muito triste que em plena pandemia quando as pessoas deveriam ter mais empatia e serem compreensivas. Estamos todos em isolamento social onde somos obrigados a ficar em casa. Todas as crianças estão em casa!
O barulho ou incômodo aos vizinhos foi durante o dia. E além de tudo meus filhos dormem cedo, a rotina normal passam mais tempo fora de casa pois além da escola eles tem acompanhamento médico e terapêutico.
As características do Autismo não mudam! Nós que temos que nos adaptar a eles. E todos tem a obrigação de RESPEITAR!
E NÃO EXISTE LEI QUE PROÍBA QUALQUER PESSOA COM DEFICIÊNCIA DE MORAR EM CONDOMÍNIO.
Decidi me mudar pois não me sentia mais bem naquele ambiente, não me mudei para uma casa como a síndica sugeriu, contínuo morando em outro apartamento onde meus filhos estão tranquilos e felizes. Quem decide onde devo morar sou eu!
Mudei sim mais não ficou impune tomei as medidas necessárias e não vamos deixar as pessoas cometerem esse tipo de crime sem ter punições!
Que esse texto ajude outras famílias terem a mesma atitude que eu tive.

Compartilhem!!

O condomínio onde Juliana morava com os filhos e de onde foi obrigada a se mudar.

11 de julho de 2020 às 8:19

Lei Dudu: Decreto da Prefeitura permite entrada de pessoas com deficiência com acompanhantes em supermercados de Natal [1] Comentários | Deixe seu comentário.

A partir de agora, estabelecimentos comerciais de Natal não podem mais impedir a entrada de pessoas com deficiência que estejam acompanhados de um familiar ou cuidador.

A “Lei Dudu” entra em vigor por decreto do prefeito da capital, Álvaro Dias, e foi instituída após denúncia do desembargador Cláudio Santos.

Cláudio estava com o filho Dudu, que tem síndrome de down, e foi barrado na entrada do supermercado Sam’s onde o rapaz queria fazer uma compra mas precisava da companhia.

O supermercado barrou a entrada sem levar em consideração a condição do acompanhado, e tomando como base o decreto estadual que impede a entrada de duas pessoas da mesma família em estabelecimentos comerciais durante a pandemia, no sentido de evitar a propagação do vírus da covid.

O supermercado não teve bom senso.

O desembargador Cláudio Santos questionou o fato de, com base no novo decreto da Prefeitura de Natal, poder frequentar restaurante acompanhado do filho mas não poder levá-lo ao supermercado.

Abaixo a decisão municipal.

11 de julho de 2020 às 8:02

Prefeito de Assu retoma atividade após licença para tratar de covid [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois de um mês entre tratamento para cura de covid, com dias internado em UTI em Mossoró e Natal, o prefeito de Assu, Gustavo Soares, retomou suas atividades.

E nesta sexta-feira já se reuniu com os secretários.

Na pauta da primeira reunião, a retomada das ações e obras do município.