Thaisa Galvão

8 de outubro de 2020 às 19:15

No último dia após 31 anos como ministro do STF, Celso de Mello vota pelo depoimento presencial de Jair Bolsonaro no caso da interferência na PF [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Para o ministro Celso de Mello, no seu último dia no STF, o presidente Jair Bolsonaro deverá prestar depoimento presencial.

Este foi o último voto de Mello após 31 anos no Supremo Tribunal Federal (STF).

O ministro fez uma defesa do princípio de que todos são iguais perante a lei, e votou pela recusa a um pedido de Bolsonaro, para prestar depoimento por escrito.

O presidente é parte no inquérito que apura interferência política da presidência na Polícia Federal.

Celso de Mello criticou ‘privilégios’ e ‘tratamentos especiais’ e manteve a posição que havia demonstrado em setembro, quando determinou que Bolsonaro fosse ouvido presencialmente pela PF.

O ministro disse ainda em seu voto que Sérgio Moro, que é investigado também no caso, tem o direito de encaminhar aos advogados, perguntas para serem feitas a Bolsonaro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.