Thaisa Galvão

15 de outubro de 2020 às 3:08

Tudo igual: Senador vice-líder de Bolsonaro é flagrado com dinheiro dentro da cueca repetindo episódio da era petista [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Quando eu digo que entre a esquerda lulista e a direita bolsonarista há cada vez mais semelhança, jamais poderia imaginar que até mesmo o dinheiro na cueca que marcaram a era petista seria repetida no círculo do presidente Jair Bolsonaro.

E de forma mais grave.

Em 2005 aconteceu com um assessor de um deputado do PT, que foi preso com dólares na cueca no aeroporto de Congonhas (SP).

Nesta quarta-feira não foi um assessor.

Foi um senador.

Foi um vice-líder do governo Bolsonaro, escolhido para a função pelo próprio Bolsonaro.

A Polícia Federal encontrou notas de dinheiro que totalizaram cerca de R$ 30 mil escondidas dentro da cueca do senador Chico Rodrigues, do DEM de Roraima, que estando parte das notas dentro do seu ânus e entre as nádegas do senador.

Com um detalhe: sejas de fezes.

Literalmente, deu merda para o bolsonarista.

Leia reportagem da revista Crusoé:

A crônica político-policial brasileira consegue se superar sempre, e de forma cada vez mais repugnante — escatológica, até.

Se histórias de dinheiro escondido em cueca por suspeitos de corrupção fizeram barulho em um passado recente, pode-se dizer que nesta quarta-feira, 14, elas foram superadas na escala da indecência.

Ao cumprir mandado de busca e apreensão na manhã desta quarta-feira, 14, na casa de Chico Rodrigues, vice-líder do governo de Jair Bolsonaro no Senado, a Polícia Federal encontrou cédulas de dinheiro escondidas entre as nádegas do senador.

O instante da apreensão foi registrado em imagens pelos policiais, segundo uma fonte com acesso ao caso. Para se ter uma ideia do absurdo da situação, algumas notas recuperadas estavam sujas de fezes.

O constrangimento foi geral. Ao todo, os policiais encontraram cerca de 30 mil reais escondidos sob as roupas do senador, em Boa Vista.

Uma parte do valor estava escondida na cueca dele.

Foi justamente ao averiguar os maços na cueca que os investigadores se deram conta de que havia mais e localizaram notas entre as nádegas do vice-lider de Bolsonaro.

Além do dinheiro localizado junto ao corpo do senador, os policiais apreenderam pelo menos mais 40 mil reais na casa dele, parte em moeda estrangeira.

O senador foi alvo da Operação Desvid-19, que investiga um esquema de desvio de 20 milhões de reais de emendas parlamentares destinadas à Secretaria de Saúde de Roraima para o combate à pandemia de coronavírus.

Sete mandados de busca e apreensão foram cumpridos na capital de Roraima.

O Supremo Tribunal Federal autorizou a ação policial no curso de um inquérito que corre sob sigilo. A Controladoria-Geral da União participou da apuração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.