Thaisa Galvão

16 de outubro de 2020 às 3:28

Tudo em casa: Caso senador Chico Rodrigues seja afastado por mais de 120 dias será substituído no Senado pelo filho [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Se o Senado aprovar o afastamento do senador Chico Rodrigues (DEM) por 90 dias, como determinou o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, o gabinete do senador fica sem titular.

É que pela regra do Senado, o suplente só assume se o mandato ficar sem titular por mais de 120 dias.

Porém, se o afastamento do homem da cueca endinheirada for estendido…sabe quem assume a vaga?

Adivinha!

O suplente Pedro Arthur Ferreira Rodrigues, de 41 anos.

Que vem a ser quem mesmo?

O filho do senador.

Tudo em casa.

Conheça a história de Chico e Pedro, pai e filho, contada pelo site BRPolítico, da jornalista Vera Magalhães:

Pedro tem uma longa história de parceria com seu pai. Foi funcionário no gabinete de Chico Rodrigues enquanto deputado federal, entre 2003 e 2007. Segundo a divulgação de contas na campanha eleitoral de 2018, ambos tem participação na empresa San Sebastian Construções Transportes, Terraplanagem e Agropecuária. Pedro declarou possuir R$ 25 mil investidos na empresa, enquanto seu pai tem R$ 350 mil.

O suplente de senador declarou, aliás, possuir apenas R$ 70 mil em bens, sendo R$ 20 mil em um sítio localizado na cidade de Alto Alegre, em Roraima. A estrada que corta a cidade foi beneficiada recentemente por emenda parlamentar de seu pai. Chico Rodrigues destinou R$ 12 milhões em parceria com a Sudam (Superintendência de Desenvolvimento da Amazônia) para duplicar a RR-205, que liga Boa Vista a Alto Alegre.

Chico Rodrigues já foi acusado pelo crime de peculato justamente por direcionar emendas parlamentares que favoreceram a empresa Art Tec Tecnologia em Construção, Terraplanagem e Comércio Ltada, que pertencia a um irmão e a cunhada do então deputado. Posteriormente a empresa passou para Pedro e seu irmão, Thiago Henrique Ferreira Rodrigues.  Posteriormente, Tiago chegou a ser nomeado em 2019 como assessor-técnico na coordenação de logística da gerência de logística da EPL, a estatal responsável pelo trem-bala que nunca saiu.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.