Thaisa Galvão

21 de outubro de 2020 às 16:42

Depois de anunciar compra de vacinas aos governadores, ministro da Saúde vai ter que desmentir após ter levado carão do presidente [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Não valeu de nada a reunião do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, nesta terça-feira, com o Fórum de Governadores.

Na reunião por videoconferência, com participação da governadora Fátima Bezerra, Pazuello anunciou que o Governo Federal deveria investir R$ 2,6 bilhões até janeiro para incluir a vacina contra Covid-19 no Plano Nacional de Imunizações (PNI).

Segundo informou o ministro da Saúde aos governadores, o governo federal iria comprar 46 milhões de doses da CoronaVac, vacina que está sendo produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a empresa chinesa Sinovac.

Nesta quarta, enquanto Pazuello anunciava que estava com covid, o presidente Bolsonaro anunciava que não iria gastar 1 real com essa vacina.

Fátima chegou a ficar bem animada antes da notícia sem graça anunciada por Bolsonaro.

“Não foi uma reunião qualquer, afinal de contas ela tratou daquilo que é mais urgente, necessário e imprescindível nesse momento, enquanto estratégia de saúde, que é a vacina contra a Covid-19”, disse Fátima Bezerra logo depois da reunião, acreditando cegamente nas palavras do ministro.

Além do ministro, participaram da videoconferência representantes da Fiocruz, Instituto Butantan, Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), Conselho Nacional de Secretarias Municipais de Saúde (Conasems), Confederação Nacional dos Municípios (CNM), e técnicos da Anvisa.

Ninguém deve ter entendido a decisão de hoje de Bolsonaro que explicou com uma frase quase monossilábica: “O presidente sou eu”.

Um carão no ministro da Saúde.

Ponto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.