Thaisa Galvão

1 de novembro de 2020 às 12:07

No Piauí, desabafo de PM contra desembargador que teve a mulher assaltada por bandido solto em audiência de custódia faz eco no Brasil: “É um cara de pau” [6] Comentários | Deixe seu comentário.

Aconteceu em Teresina, no Piauí, mas poderia ter sido no Rio Grande do Norte ou em qualquer estado brasileiro que vive o mesmo dilema das audiências de custódia que botam nas ruas os bandidos perigosos que a polícia prende.

A mulher do desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí Luiz Gonzaga Brandão de Carvalho foi assaltada ficando sob a mira de um revólver por alguns instantes. Maria Zilda Brandão, 62 anos, teve seu carro levado.

Ao Portal Pauta Judicial o desembagador fez um apelo a todos os magistrados:

“Conclamo aqui a todos que fechem as portas da liberação para habeas corpus de bandidos perigosos que atacam a dignidade humana e o patrimônio e a vida alheia”.

Brandão também apelou à Secretaria de Segurança:

“Faço aqui um apelo aos responsáveis por essa pasta que tanto a população clama, coloquem viaturas nas ruas, coloquem um policiamento ostensivo, o povo não suporta mais tamanho descaso com nossa segurança”.

O coronel Márcio, da Polícia Militar do Piauí, deu a resposta certeira.

Certeira no Piauí e em qualquer estado brasileiro.

A Associação dos Magistrados Piauienses, que representa juízes e desembargadores, emitiu uma nota de repúdio às declarações do militar.

Faltando agora só a nota de repúdio à Associação, assinada pela sociedade brasileira, vítima de criminosos soltos em audiências de custódia…

6 respostas para “No Piauí, desabafo de PM contra desembargador que teve a mulher assaltada por bandido solto em audiência de custódia faz eco no Brasil: “É um cara de pau””

  1. Lopes disse:

    É já que os patriotas, constitucionalistas, do direito às liberdades, da dignidade da pessoa humana, etc e tal, vão incriminar esse policial militar, se possível, atendê-lo e exonera-lo.

  2. Severino de Azevêdo Neto disse:

    Essa Associação é muito cínica!

  3. Tião Gavião disse:

    Parabéns ao Cel. Márcio pelas palavras e atitude. E quanto ao desembargador, isso é um palhaço! Agora porque assaltou a esposa, quer que prenda os criminosos. E é??!! Não eh pra deixar mais soltos nao? Oxente!! Só porque o coitado assaltou para comer, o bichinho? Eh muita cara de pau mesmo! Faça o seguinte, desembargador: pegue sua arma que o senhor tem “o porte devido ao cargo” (mas não sabe nem atirar, aposto) e atire na perna do bandido, para imobiliza-lo enquanto a polícia vem. Ligue para o 190, espere e assista ele ser solto 24 h depois por um colega dele, aliás, seu (dá no mesmo, são todos desonestos mesmo).

  4. Luiz Carneiro disse:

    Justiça brasileira formada por pústulas interesseiros q têm em sua representação máxima os bandidos q compõem o stf ( com minúsculas mesmo). Vergonha p/ td brasileiro q paga o salário e mordomias desses vagabundo de toga. A polícia devia entrar lah e fuzilar esses assaltantes da moral e da honra do contribuinte. Seria a melhor ação da corporação p/ mto tempo..

  5. José Neto Felinto disse:

    Esse Judiciário brasileiro é uma vergonha nacional, “cambada” de bandidos que se vendem a troco de uma lei ultrapassada e vendas de sentenças, existe magistrados competentes, mas existe incompetentes e sem vergonha na cara como diz aí o nobre e certeiro militar piauiense.

  6. ELIAS DE AZEVEDO SANTOS disse:

    PODE TER UMA VIATURA COM CINCO POLICIAIS EM CADA ESQUINA, SE O POLICIAL PRENDE EM FLAGRANTE E O JUIZ SOLTA NA AUDIÊNCIA, COMO PODE TER POLICIAIS MOTIVADOS E SUFICIENTES PRA PRENDER QUEM A JUSTIÇA IRÁ SOLTAR.
    VEIO A PANDEMIA E A ‘JUSTIÇA’ MANDOU SOLTAR UM MONTE DE CRIMINOSOS CONDENADOS POR CAUSA DO COVID19. OS PILANTRAS NÃO ESTAVAM CONFINADOS? PORQUÊ LIBERARAM? CADA VEZ MAIS PRENDEM OS TRABALHADORES E SOLTAM QUEM ESTÁ A MARGEM DA LEI. PRA ELES NÃO EXISTE BUROCRACIA PRA NADA. CONSEGUEM HABEAS CORPUS EM PLENO CARNAVAL, FERIADO, RESSESSO JURÍDICO ENTRE OUTRAS DATAS. VAI O TRABALHADOR QUERER UMA SOLUÇÃO, SÓ DEPOIS DO RESSESSO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.