Thaisa Galvão

1 de dezembro de 2020 às 14:49

Governadora vai ao Cade tentar acelerar acesso de empresas à unidade de processamento de gás matural de Guamaré [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A governadora Fátima Bezerra, que está em Brasília cumprindo agenda, se reuniu na manhã desta terça-feira com o presidente do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), Alexandre Barreto de Souza.

Ela foi tratar da abertura da Unidade de Processamento de Gás Natural (UPGN) da Petrobras, em Guamaré.

“No contexto do plano de desinvestimento da Petrobras em curso no Rio Grande do Norte demos um passo importante na defesa dos interesses do nosso estado. O presidente do Cade demonstrou sensibilidade para buscar uma solução de acesso à UPGN. Esta é uma questão que precisa ser resolvida o mais rápido possível. É preciso reduzir preço ao consumidor, o que significa desenvolvimento e representa emprego e renda para o nosso povo”, disse a governadora.

As empresas que adquiriram os poços maduros durante o processo de desinvestimento da Petrobras ainda não têm acesso à UPGN, mas a liberação é prevista no acordo firmado entre Petrobras e o Cade para abertura do mercado de gás no RN.

“Queremos um preço justo para favorecer a concorrência e o consumidor final que vai da indústria ao ramo veicular. Precisamos de celeridade, que seja destravado o acesso à UPGN para aumento da produção e redução do preço ao consumidor final. Vejo seriedade e competência do Cade e sensibilidade do diretor Alexandre Barreto. O RN tem pressa”, reforçou Fátima.

Hoje o gás distribuído pela Potigás é adquirido exclusivamente junto à Petrobras. Com a abertura da UPGN às operadoras privadas, a Potigás vai adquirir o combustível a mais de um fornecedor e a previsão é de que o preço do gás seja reduzido em 30%.

“A governadora trouxe preocupação com relação aos desinvestimentos dos ativos da Petrobras no estado, especialmente em relação aos campos maduros de gás e óleo e sobre a Unidade de Processamento de Gás Natural de Guamaré. Nós estamos acompanhando de maneira detalhada e firme. O objetivo do Cade, quando fez o acordo com a Petrobras que permitiu a venda dos ativos, era garantir que o gás chegasse na ponta aos consumidores com um preço melhor. Temos trabalhado com afinco para garantir que os detalhes do desinvestimento permitam atingir este objetivo”, explicou Barreto, que se comprometeu a acompanhar os prazos do desinvestimento e as questões de regulação junto à Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). “Garanto que tudo será olhado detidamente pelo Cade para que objetivos sejam alcançados”, completou o gestor. 

Foto Central Notícias – Bsb

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.