Thaisa Galvão

31 de janeiro de 2021 às 19:57

Depois da varredura 2018, vem aí a varredura de 2022 [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Vendo aqui a disputa para eleger o presidente da Câmara dos Deputados, nesta segunda-feira em Brasília…

Queridinho do presidente Jair Bolsonaro, Arthur Lira, do PP, foi preso por se negar a prestar depoimento após denúncia de agressão contra a esposa.

Também foi denunciado e virou réu por peculato e lavagem de dinheiro, no processo que o aponta como líder de um esquema de rachadinha que movimentou quase 10 milhões de reais em sua conta quando era deputado estadual em Alagoas.

Aí é bom relembrar:

Grande parte dos políticos tradicionais foi derrotada e ficou sem mandato nas eleições de 2018, que promoveu uma grande varredura.

Políticos com mandatos há anos, surpreendentemente foram varridos do cenário político graças ao noticiário da lava jato que tomou conta da imprensa de 2014 a 2018.

Aí é bom prever…

A varredura de 2022 será uma realidade.

E deverão ficar fora do cenário futuro os que no momento batem palmas para o que não enxergam como corrupção, mesmo sendo.

Serão banidos os que ajudaram a prometer que a corrupção tinha chegado ao fim, mas trabalham de forma que continue existindo.

A vassoura que vai varrer em 2022 como varreu em 2018 já está prontinha.

2 respostas para “Depois da varredura 2018, vem aí a varredura de 2022”

  1. Elihedson André disse:

    Está esquecendo do santo do Baleia Rossi, nenhum processo e ainda mais apoiado por outro santo o Botafogo da Odebrecht m

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.