Thaisa Galvão

21 de fevereiro de 2021 às 22:34

Diante da falta de leitos e da presença de novas variantes do coronavírus, prefeituras da Grande Natal decretam medidas restritivas com base nas recomendações do governo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Com os leitos críticos de covid de 14 dos 20 hospitais do Estado, lotados, sem vagas de UTIs nem nos hospitais privados da capital, prefeituras da região metropolitana de Natal seguem fazendo sua parte.

E através de decretos, estão adotando medidas restritivas para tentar reduzir os índices de transmissibilidade do coronavírus, principalmente depois que foi detectada a presença de novas variantes do vírus circulando no Rio Grande do Norte.

A Prefeitura de João Câmara foi a primeira a decretar medidas rígidas para tentar conter os efeitos da pandemia.

Depois foi o prefeito de Ceará-Mirim, Júlio César, que baixou decreto com maior redução de horário de funcionamento de bares e restaurantes em relação às recomendações do Governo do Estado.

Neste sábado, 20, o prefeito de São Gonçalo do Amarante, Paulinho Emídio, publicou decreto seguindo a recomendação do Estado.

Entre as medidas, o funcionamento de bares e restaurantes durante todo o dia e parte da noite, mas fechando entre 10 da noite e 5 da manhã.

A prefeita de Extremoz, Jussara Torres, baixou decreto neste domingo, também adotando as medidas recomendadas pelo decreto estadual, entre as medidas, a limitação no horário de bares e restaurantes, que continuam funcionando durante todo o dia e parte da noite.

A Prefeitura de Macaíba já confirmou ao Governo que baixará seu decreto nesta segunda-feira (22), e a Prefeitura de Parnamirim na terça-feira (23).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.