Thaisa Galvão

7 de março de 2021 às 22:34

Diretor de empresa parceira da Cabo Telecom em Natal morre de covid [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Cabo Telecom, em Natal, emitiu nota de pesar pela morte de um de seus parceiros, que perdeu a batalha para o coronavírus.

Nota de pesar

A Cabo Telecom, em nome do seu diretor-presidente, Cláudio Alvarez e de todos seus colaboradores, lamenta a perda de Erivelto Farias Feitosa, diretor da empreiteira Construcable, fornecedor da Cabo Telecom ao longo dos seus 21 anos da história.

Erivelto perdeu a batalha neste sábado (6) contra a Covid-19, depois de passar 17 dias internado no Hospital São Lucas.

Neste momento de dor e tristeza, desejamos força e conforto ao coração de sua família e de todos que o admiravam.

Aproveitamos para reforçar que se cuidem. Estamos vivendo um momento atípico de nossa história e quem puder, fique em casa.

7 de março de 2021 às 21:39

Velório da nutricionista Lila Rezende acontecerá das 7 às 13h desta segunda-feira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Terá início às 7 da manhã desta segunda-feira, se estendendo até às 13 horas, o velório da nutricionista Lila Rezende, que morreu neste domingo.

O corpo será velado no Morada da Paz da rua São José, em Natal, e a cerimônia de cremação, privativa à família, está marcada para às 14 horas, em Emaús.

A família lembra que quem for se despedir de Lila use máscara e respeite o distanciamento social.

7 de março de 2021 às 20:04

STTU altera tráfego nas pontes de acesso à zona Norte a partir desta segunda-feira [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A STTU começará nesta segunda-feira a operação nas pontes de acesso à zona Norte de Natal na intenção de reduzir o tempo de viagens no transporte público.

Na ponte de Igapó, uma faixa ficará exclusiva para ônibus, das 6h às 9h, no sentido zona Norte-Centro.

Na volta para casa, uma faixa também será exclusiva na ponte por onde transitam cerca de 70 mil veículos por dia, mas o horário será definido a partir da avaliação dos técnicos da STTU neste primeiro dia.

Já na ponte Newton Navarro, onde o tráfego é de 35 mil carros por dia, a operação só acontecerá pela manhã.

A STTU vai fechar a ponte para quem vai para a zona Norte, e liberar todas as vias par quem sai da zona Norte para o centro.

Também entre 6 e 9 horas.

Na volta para casa o tráfego na ponte não sofrerá alteração.

7 de março de 2021 às 19:08

STTU perdeu dois agentes de mobilidade para a covid no final de semana [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Dois agentes de trânsito da STTU perderam a vida para a covid neste final de semana.

Os agentes de mobilidade Sérgio Batista e Walfran morreram, um na sexta-feira e outro no sábado.

7 de março de 2021 às 18:59

Secretaria de Obras da Prefeitura de Natal perde para a covid seu único topógrafo projetista, o engenheiro Ueliton Cabral [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A covid levou neste sábado, o servidor da Secretaria de Obras da Prefeitura de Natal, Ueliton Cabral da Silva.

Engenheiro civil, servidor de carreira, era o único topógrafo projetista da Semov, Ueliton Cabral da Silva.

Em seu twitter o prefeito Álvaro Dias falou sobre a perda do funcionário.

7 de março de 2021 às 17:44

Titular da Semsur chama atenção do DER para recuperar proteção no trecho da Via Costeira onde são registrados mais acidentes [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O DER deve recuperar, com urgência, a parte do guard rail (corrimão de proteção) de um trecho da Via Costeira, em Natal, onde são registrados acidentes com frequência.

De dezembro para cá, segundo o titular da Secretaria Municipal de Serviços Urbanos – Semsur – Irapoã Nóbrega, 6 acidentes ocorreram no mesmo ponto, e dos 6, 5 derrubaram o poste.

Segundo o secretário, o custo do poste acaba sendo da prefeitura, já que para o causador do acidente arcar com o prejuízo, o poder público teria que acionar a justiça e a demora seria grande para repor o poste.

De tantos acidentes ocorridos nos anos anteriores, sempre no mesmo local, a proteção foi arrancada, e o que impedia o veículo de atravessar a pista e alcançar outro automóvel, era exatamente o poste.

Era, porque o poste não será mais recolocado.

É urgente que o DER providencie a proteção da pista para não dobrar o número de vítimas, caso o causador de um acidente atinja outros motoristas.

Cabe ainda uma sinalização mais firme para chamar atenção dos motoristas para o mesmo ponto onde acontecem os acidentes.

Essa semana, quando mais um veículo colidiu com o poste levando-o ao chão, o secretário Irapoã postou em suas redes sociais:

7 de março de 2021 às 17:04

Morre a nutricionista Lila Rezende após batalha de 5 anos para viver [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Morreu neste domingo, aos 58 anos, depois de 5 anos enfrentando um câncer, a nutricionista Lila Rezende.

Mãe de duas filhas, uma delas a primeira bebê de proveta do Rio Grande do Norte, ela nasceu Lílian, mas virou Lila entre familiares, amigos, na profissão.

Lila é irmã de Fernandinho, de Jorge e do jornalista Flávio Rezende, que escreveu sobre ela neste domingo, o que o Blog reproduz abaixo:

Escritos da Alm

uma mana viva

Para um escritor, os acontecimentos precisam encontrar nas palavras ressonância.

Se algo que acontece não é descrito, para um escritor é como se não houvesse existido.

Tudo so faz sentido se passar pelo jogo de letras que a mente produz e, hoje, os dedos ao dedilhar num celular, tornam realidade.

Assim vou dando vida às minhas viagens pensamentais, amores familiares, insatisfações políticas, questões filosóficas e espirituais e, a mais dolorosa das escritas, às partidas.

Evitei, não sei se percebeu, escrever perda, afinal é muito forte e injusta, quando quem parte, passou a vida acrescentando muitas maravilhas a todos nós.

No quadrado mais próximo a meu ser, papai e mamãe partiram e não perdi nada. Pelo contrário, com enfermidades decorrentes de idades avançadas, foram deixando até hoje, mil motivos para uma ruma de bem querer, exemplos, histórias e estórias para relembrar, contar, revivenciar.

Agora chegou a vez de nova partida, da mana Lila, Liloca nariz de tapioca.

Pense numa alma show, ótima, maravilhosa. Pergunte por ela entre as amigas do Maria Auxiliadora, da rua Conselheiro Brito Guerra, dos blocos carnavalescos, do hospital Onofre Lopes, aos familiares, filhas, qualquer ser que tenha tido o prazer de usufruir de sua presença, mínima que fosse.

Nunca, jamais, em tempo algum, ouvi alguma alma viva dizer absolutamente nada negativo da mana. Mas ouvi, testemunhei, milhares de relatos, citações, depoimentos positivos, altamente nobres, sobre sua alegria, disposição ao bem, companheirismo, a entronizando como amiga sem igual, mãe sensacional, mana excepcional, filha amorosa e ser humano de luz superior e positiva.

Por qualquer ângulo, situação, canto e recanto que a existência física da mana Lila possa ser analisada, haverá em todos os espaços possíveis, o DNA da divindade no que diz respeito a força máxima de sua amorosidade na criação de nossa raça.

No panteão dos sapiens, que possa servir de bom exemplo e orgulhar a espécie que pertencemos, mana Liloca terá presença certa.

Por isso, como escritor me alimento do seu bom exemplo. Como mano me abasteço de sua permanente presença a meu lado na Casa do Bem, lançamento de todos os meus livros, casamentos, nascimento dos filhos, comemorações, com Lila nunca abstendo-se, sempre dizendo sim, estou aqui.

E assim, quem da vida material de todos nós esteve presente de diversas formas, dizendo sim, não existe partida, não existe morte, não existe perda, não existe fim. Apenas acaba uma parte, um pedaço, começando outro.

Sem algumas coisas, eu sei, mas com outras, também saberei, posto que quem aqui muito deixa, não acaba, vira cubo, potência, amplifica amor, espalha bem querer.

Agora a mana Liloca não precisa necessariamente ser encontrada num limitado corpo físico, ela esta presente no éter, no TODO, una que está com a Morada de Deus, que a tudo abarca e a tudo abraça.

Liloca agora não é mais a nariz de tapioca, é a onipresença real, a goma, a liga, o sabor, a nossa eterna amada UNIVERSAL.

Te amamos sempre.

Luzzzzzzz

7 de março de 2021 às 11:40

Parelhas: Ex-vereador Formiga Preta é mais uma vítima da covid [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ex-candidato a prefeito de Parelhas, e ex-vereador no município, o empresário Romildo Azevedo, conhecido por Formiga Preta, é mais uma vítima da covid.

Pai da vereadora Romiselia de Formiga Preta, do PSDB, Formiga foi filiado ao PR (hoje PL), e atuava nos bastidores.

Ele estava internado no hospital de Caicó onde chegou a ser intubado.

Morreu na madrugada.

O vídeo é da campanha passada:

7 de março de 2021 às 10:56

Matheus Magalhães: o relato do filho que entre um domingo e outro tentou salvar o pai da covid mas perdeu a luta para o vírus [4] Comentários | Deixe seu comentário.

Quem acompanhou pelas redes sociais a luta do jornalista Matheus Magalhães para salvar o pai da covid, começa o domingo com imensa tristeza.

Militar da Aeronáutica, “Magalha”, como Matheus o identificava, não resistiu às complicações da doença e morreu no hospital militar onde estava internado em Recife.

O pai de Matheus pegou covid no hospital da Aeronáutica em Natal, para onde foi tratar de outro problema, mas para tratar da covid não encontrou mais vaga.

Segue um resumo postado há dois dias por Matheus relatando a

angústia que a família viveu.

Até as primeiras horas do sábado, Matheus postava sob efeito de uma esperança que o pai estava quase saindo do período mais crítico e que poderia ser extubado (retirado o tubo). Mas aí veio uma outra complicação, como ele mesmo falou.

E neste domingo…a postagem que ele não queria fazer.

7 de março de 2021 às 9:29

Fecomercio lembra que competência para definir horários é dos municípios [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A Fecomércio do RN está lembrando, em nota, que o STF já decidiu que é de competência dos municípios disciplinar horários de funcionamento das atividades de comércio, serviços e turismo.

Mas é exatamente por isso que o decreto do Governo apenas recomenda, cabendo a cada município fazer o seu decreto, alinhado ou não.

As conversas da governadora Fátima Bezerra antes de baixar o decreto, com prefeitos do interior, acontecem para que a chefe do executivo estadual tente convencer os gestores a baixarem seus decretos.

Quem não baixa…deixa valer o decreto do estado.

Simples assim.

Por isso que em Natal, a cada decreto do Estado vem um da Prefeitura.

7 de março de 2021 às 9:17

Negacionismo mata mais do que a covid [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Da Folha de S.Paulo, provando que o negacionismo mata bem mais do que o vírus que transmite a covid:

Daniel Carvalho
Natália Cancian
BRASÍLIA


O governo brasileiro rejeitou no ano passado três ofertas da farmacêutica Pfizer, deixando de obter ao menos 3 milhões de doses em meio à escassez de vacinas contra a Covid-19. O volume, que era previsto até fevereiro, é equivalente a cerca de 20% das doses já distribuídas no país até agora.

O anúncio feito pelo Ministério da Saúde nesta última semana de que pretende comprar doses da vacina da empresa norte-americana ocorreu quase sete meses após a primeira oferta apresentada, que previa que as primeiras entregas fossem feitas ainda em dezembro de 2020.

Duas das propostas feitas antes da que o governo diz ter aceitado agora —o contrato ainda não foi assinado— previam vacinas já em dezembro, quando imunizante passou a ser aplicado em países como Reino Unido e EUA. A terceira previa as vacinas em janeiro. Agora, membros do ministério tentam negociar com a empresa entregas a partir de maio.

A Pfizer não foi a única a ter propostas rejeitadas. Documentos mostram que outros laboratórios também tiveram ofertas que previam entregas mais cedo ignoradas, a exemplo do Instituto Butantan, que hoje é responsável por pelo menos 78% das vacinas já distribuídas no país contra a Covid.

Além disso, embora o ministro da Saúde, o general Eduardo Pazuello, tenha afirmado recentemente que encontrou dificuldade em negociações com o consórcio Covax Facility, da Organização Mundial de Saúde, pessoas ligadas às conversas apontam que foi da pasta a decisão de adquirir doses para apenas 10% da população por meio da iniciativa.

Hoje, além da Coronavac, o Brasil aplica a vacina Oxford/AstraZeneca, cuja entrega tem enfrentado atrasos. Nesta semana, diante do agravamento da crise e do aumento da pressão de governadores, o Ministério da Saúde Saúde anunciou que prepara contratos com Pfizer, Janssen e Moderna para obter 151 milhões de doses entre maio e dezembro de 2021.

O contrato com a Pfizer deve ser assinado nos próximos dias, depois que o presidente Jair Bolsonaro sancionar projeto de lei aprovado pelo Congresso que cria um ambiente jurídico mais favorável para que as cláusulas exigidas pela farmacêutica sejam atendidas, como a que isenta a empresa de responsabilidade por eventuais eventos adversos.

Embora tenha feito reuniões anteriores com representantes do governo, a farmacêutica fez a primeira oferta em 14 de agosto de 2020, segundo informações obtidas pela Folha. A proposta previa 500 mil doses ainda em dezembro de 2020, totalizando 70 milhões até junho deste ano.

A Pfizer aumentou a oferta inicial quatro dias depois, elevando para 1,5 milhão o número de doses ainda em 2020, com possibilidade de mais 1,5 milhão até fevereiro de 2021 e o restante nos meses seguintes.

Sem aprovação do governo, uma nova proposta foi apresentada em 11 de novembro. Com o passar do tempo, governos de outros países foram tomando o lugar do Brasil, e as primeiras doses ficariam para janeiro e fevereiro —2 milhões de unidades. Dessa vez, o contrato ficou em vias de ser assinado, segundo pessoas envolvidas nas negociações disseram à Folha.

Em 7 de dezembro, o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), anunciou o plano para iniciar a vacinação em São Paulo no dia 25 de janeiro com as doses da Coronavac, envasadas pelo Instituto Butantan, ligado ao estado.

Bolsonaro, então, ensaiou reação na tentativa de contrapor o adversário político. Dias depois, o Ministério da Saúde chegou a anunciar um memorando de intenção para obter doses da Pfizer, mas a assinatura do contrato foi brecada pelo governo por causa das cláusulas contratuais envolvidas na negociação.

A partir daí, pressionado por não ter fechado o acordo, o governo passou a fazer críticas públicas à empresa.

Em 23 de janeiro, o ministério divulgou carta em que afirma que um eventual acordo causaria “frustração aos brasileiros” por envolver apenas 2 milhões de doses na entrega inicial. Naquela mesma semana, no entanto, a pasta comemorava ter importado número semelhante de doses do imunizante Oxford/AstraZeneca por meio da Fiocruz.

Em 15 de fevereiro, a Pfizer fez nova oferta ao governo, a que está em vigor, de 100 milhões de doses, 30 milhões a mais que a primeira oferta, mas com início apenas em junho —prazo que o ministério agora tenta adiantar para maio.

Pessoas que participam das tratativas viram a decisão de anunciar intenção de compra antes mesmo de Bolsonaro sancionar o projeto de lei aprovado pelo Legislativo como uma nova reação a Doria, que externou interesse em negociar com Pfizer e Janssen.

Antes de fechar com o Butantan, em janeiro, o governo federal recebeu ao menos três ofertas do Instituto Butantan para compra da Coronavac, segundo ofícios divulgados pelo laboratório.

A primeira foi feita em 30 de julho de 2020 e previa possibilidade de entrega de 60 milhões de doses ainda no último trimestre do ano passado, mas não houve retorno.

Ainda assim, uma segunda oferta foi feita em agosto, quando a previsão de entrega no último trimestre foi revista para 45 milhões de doses, com as 15 milhões restantes no primeiro trimestre de 2021. Novamente foi ignorada.

Em novembro, o instituto refez a mesma proposta, adicionando mais 40 milhões de doses na sequência das entregas, mas a guerra política em torno da vacina já estava em curso havia pelo menos um mês, quando Bolsonaro fez o ministério recuar em uma intenção de acordo com o instituto.

A situação só mudou em 7 de janeiro, quando a pasta, enfim, anunciou ter fechado contrato poucos dias antes de o instituto entrar com pedido de uso emergencial da vacina na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e em meio a pressão do governo paulista, que já havia anunciado data de início da vacinação no estado.

No caso da iniciativa Covax Facility, documentos mostram que cada país poderia optar por doses para 20% da população ou mais.

“Quando a gente fala em 42 milhões de doses, o pessoal abre o olho. São 10% da população, por isso é que foram 42 milhões –só 10%. É o máximo que a gente conseguiu nessa primeira negociação”, disse Pazuello em fevereiro.

Segundo pessoas que acompanharam as discussões, a opção por apenas 10% veio do governo brasileiro, que apostava época em um acordo com a Fiocruz —que, até agora, só conseguiu entregar 4 milhões de doses.

Procurado, o Ministério da Saúde não se manifestou até a publicação desta reportagem.

Em audiência no Senado na quinta-feira (4), o secretário-executivo da pasta, Elcio Franco, disse que o ministério faz discussões sobre vacinas desde abril de 2020, mas que óbices “técnicos” e “legais” impediram fechar acordos mais cedo.

“Com relação à Pfizer e à Janssen, nós tínhamos óbices legais, como também com o Butantan”, disse ele, segundo quem a contratação do instituto paulista só foi possível após medida provisória aprovada em janeiro.

A MP dizia que era possível fechar acordos para compra antes do registro da Anvisa, o que não foi obstáculo para que o governo acordasse com a AstraZeneca ainda em setembro de 2020.

7 de março de 2021 às 7:45

Partido de Bolsonaro já nas mãos de Rogério Marinho no RN [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Lauro Jardim, no Globo deste domingo:

Bolsonaro deverá se filiar ao Patriota.

Que no Rio Grande do Norte já está sob o comando do ministro Rogério Marinho, apesar do auxiliar do presidente sequer estar filiado ao partido.

Mas o diretório potiguar foi todo escolhido por Rogério.

7 de março de 2021 às 7:07

No twitter senador Jean Paul responde a Fábio Faria depois dele falar em ‘folhas atrasadas’ para agradar Bolsonaro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O sábado não estava pra peixe para o ministro Fábio Faria no twitter.

Depois das respostas dos dois jornalistas que ele tentou intimidar só porque foi questionado sobre a televisão estatal que opera no vermelho e que o governo Bolsonaro paga a conta, Fábio enfrentou a ira de tuiteiros, e depois as respostas bem formuladas do senador Jean Paul Prates.

O parlamentar usou o twitter para responder a Fábio, depois dele, talvez num momento de sonambulismo em cima do palanque do presidente em Goiás, disse que a governadora Fátima Bezerra pagou folhas “em atraso” com dinheiro da covid.

Fábio pode falar em tudo no Rio Grande do Norte, tecer críticas a todos os políticos porque democracia é isso.

Mas, no afã de agradar a Bolsonaro, acabou falando de um tema que expõe o pai.

Portanto, Fábio pode falar de tudo no Rio Grande do Norte, menos de salários atrasados.

E foi por isso que Jean Paul respondeu.

7 de março de 2021 às 1:58

Tuiteiros reagem a declaração de Fábio Faria sobre prejuízo mantido pelo governo e criticam tentativa de intimidar jornalistas [0] Comentários | Deixe seu comentário.

As tuitadas do sábado do ministro Fábio Faria, tentando intimidar os jornalistas Carlos Andreaza (O Globo/CBN) e Felippe Hermes, do site Infomoney, respeitado no mercado financeiro, movimentaram a rede social.

Centenas de tuiteiros criticaram o governo Bolsonaro por manter a TV estatal bancando o prejuízo revelado por Fábio, e ainda o estilo do ministro que tentou intimidar jornalista chamando atenção do veículo que trabalha, na intenção dele perder o espaço.

Pelos comentários, tuiteiros deram de capote no ministro.

A seguir, só alguns dos comentários…

7 de março de 2021 às 0:58

No twitter, Fábio Faria tenta calar boca de jornalistas e ainda tenta tirá-los do mercado chamando atenção de empresários contratantes [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Do site Congresso em Foco, de Brasília:

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, teve um sábado intenso no Twitter. Ao longo da tarde, ele bateu boca com dois jornalistas que criticavam a atuação do governo Jair Bolsonaro e cobravam do presidente o cumprimento da promessa de campanha de que privatizaria a Empresa Brasil de Comunicação (EBC), chamada pelo então candidato de “TV do Lula”. No meio da discussão, Fábio Faria revelou que a estatal dá prejuízo anual de R$ 550 milhões e, por isso, segundo ele, não há como vendê-la.

As discussões começaram com o colunista Carlos Andreazza, do jornal O Globo e da rádio CBN, e continuaram com outro colunista, Felippe Hermes, do site especializado em finanças Infomoney.

Questionado por ambos por que o governo não havia privatizado a empresa, Fábio perguntou a Hermes se ele não estava “muito militante” para alguém que trabalha em um veículo que cobre o mercado financeiro e é controlado pela XP Investimentos. Na mesma mensagem, no Twitter, o ministro “marcou” os executivos Guilherme Benchimol e Rafael Furlanetti, da XP, chamando a atenção deles para a mensagem do colunista.

O gesto do ministro foi criticado por seguidores, que o acusaram de tentar intimidar o jornalista ao mostrar a mensagem aos donos da financeira e do site.

O governo tem sido acusado pela oposição e questionado pelo Ministério Público de usar os veículos da EBC para fazer promoção pessoal do presidente, com a transmissão, por exemplo, de uma partida de futebol da qual ele participou e de elogios feitos por um narrador durante um jogo da seleção brasileira. Na ocasião, ele chegou a mandar um abraço para Bolsonaro. Para o MPF, isso caracteriza indício de improbidade administrativa.

Fábio Faria começou a bater boca com Andreazza no início da tarde, após o jornalista criticar o governo pela falta de obras. “Acabou o estoque de obras herdado de governos anteriores e agora Tarcísio inaugura até Wi-Fi em praça”, escreveu no Twitter o jornalista, em referência à inauguração de uma obra pelo ministro da Infraestrutura, Tarcisio Gomes de Freitas, em Goiás, esta semana.

Segundo Fábio Faria, o presidente e o ministro foram ao interior goiano para inaugurar trecho da Ferrovia Norte-Sul. No mesmo evento foi entregue um sinal de internet livre do programa Wi-Fi Brasil.

De maneira irônica, Andreazza chamou Fábio Faria de ministro da Verdade. “O senhor, Fábio Faria, cumpre o papel – que considero vergonhoso – de dar sustentação às versões de um governo que antes fosse apenas incompetente. E em vez de ficar no Twitter jogando pra troll, vá trabalhar pelo 5G. Produza algo além de blindagem a seu chefe”, escreveu o jornalista.

O ministro retrucou: “Vergonhoso é ser jornalista e mentir! Você é mentiroso e desonra a sua profissão, só porque não gosta do presidente que foi eleito democraticamente. Aceite e se limite aos fatos ao invés de mentir. Continuar obras é uma obrigação. Errado é largar a obra porque veio de governo anterior!”.

Andreazza questionou o ministro por que o governo não estava levando vacinas, em vez de internet, para a população. “Ah, tá. Então vou deixar de levar internet para os postos de saúde que estão sem nenhuma comunicação as escolas rurais também né? Você é gênio. O seu ódio ao governo está te fazendo esquecer as premissas que um jornalista deve ter”, prosseguiu Fábio Faria.

O colunista disse que o ministro se guia pelo “sinal mais forte”, em alusão ao seu apoio a sucessivos governos, inclusive da petista Dilma Rousseff. Fábio Faria afirmou que votou em Lula, em 2006, em Dilma, em 2010, e em Aécio, em 2014, e que apoiou o impeachment da presidente em 2016. Afirmou, ainda, que nunca teve cargo federal.

Farra das passagens

Filho do ex-governador Robinson Faria, do Rio Grande do Norte, Fábio é genro do empresário e apresentador Silvio Santos, que tem relação próxima com Bolsonaro, a quem já chamou de “patrão”, por ser a emissora uma concessão pública.

Em 2009, como deputado – cargo do qual hoje está licenciado -, Fábio Faria se envolveu na chamada farra das passagens, revelada pelo Congresso em Foco. A Câmara pagou na época passagem para os atores Kayky Brito, Sthefany Brito e Samara Felippo participarem do carnaval fora de época em Natal. Os bilhetes saíram da cota de Fábio Faria, na ocasião dono do camarote Athlética, um dos mais concorridos do Carnatal por reunir o maior número de celebridades.

O deputado também utilizou a cota parlamentar para pagar sete viagens para a ex-namorada, a apresentadora de TV Adriane Galisteu, e a mãe dela, Emma Galisteu, entre 2007 e 2008. Um dos trechos pagos com recursos da Câmara transportou Emma de Miami, nos Estados Unidos, a Guarulhos.

Os artistas, a apresentadora e sua mãe afirmaram que não sabiam da origem dos recursos dos bilhetes e que acreditavam que o dinheiro havia sido desembolsado pelo próprio deputado. Após a reportagem, Fábio Faria ressarciu a Câmara pelo gasto indevido. Mas o caso não resultou em punição para ele nem para centenas de outros parlamentares que também voaram com dinheiro público mundo afora, inclusive em viagens de turismo com parentes e amigos.

7 de março de 2021 às 0:23

Secretaria de Saúde do Estado apresenta dados para mostrar que anúncio já feito pelo governo tornará João Machado do tamanho do hospital de campanha de Natal [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Dados da Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Norye sobre o Hospital Psiquiátrico João Machado, onde o prefeito de Natal, Álvaro Dias, sugere que a governadora Fátima Bezerra instale um hospital de campanha.

O hospital, em sua ala covid, deverá em breve chegar a 100 leitos, do tamanho que é hoje o hospital de campanha da Prefeitura de Natal, sendo transformado, depois da pandemia, no maior hospital de clínicas do Rio Grande do Norte.

Hoje o hospital funciona assim, segundo dados da Secretaria:

A unidade tem 70 leitos de saúde mental, leitos clínicos e de outras patologias.

De covid atualmente são 50 leitos, sendo 35 de UTI e 15 clínicos.

O governo já anunciou mais 40 leitos de UTI covid e 10 leitos clínicos.