Thaisa Galvão

3 de abril de 2021 às 11:36

A carta de um menino de 12 anos que perdeu a mãe para a covid [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Enquanto muita gente segue ignorando os cuidados necessários para não se contaminar pelo coronavírus, mais famílias vão sendo devastadas pela covid.

Nesta sexta-feira meu colega jornalista Gustavo Mariano – Negrita para seus amigos dos tempos de faculdade – viu sua família destruída com a morte da esposa Geny.

Assim como Geny, supervisora financeira, Gustavo chegou a ser internado, mas ao contrário dela, não precisou de UTI.

Geny foi intubada.

Em casa, na expectativa do retorno dos pais, Miguel de apenas 12 anos.

Gustavo voltou pra casa.

Geny, de 50 anos, perdeu a batalha para o vírus.

Miguel perdeu a mãe. Perdeu o rumo, como seria para qualquer criança de 12 anos.

Para se despedir da mãe, o menino escreveu a carta que segue: “Nenhuma mãe de criança pode morrer”.

Mamãe,

Eu me lembro de cada segundo que eu passei ao seu lado, sempre enfrentando as dificuldades da vida e superando logo em seguida, sem dúvidas você foi a pessoa mais forte que eu já conheci, pois com todos os seus problemas você sempre manteve um sorriso no rosto e cuidou de nós como se fossemos partes de você.

Você era uma mulher muito iluminada, e continua sendo, cada momento com você foi um tesouro para mim, vai ser o maior presente que eu vou carregar para a vida inteira, era você que sempre quando eu acordava encantava meu dia com tudo que fazia, me apoiava em momentos ruins, aliviava o meu estresse e ansiedade, era a flor mais linda do meu jardim, o motivo de eu seguir em frente, o meu coração bate por você firmemente, não tinha um dia que eu não dizia que te amava, apesar de todas as discussões que eu tive com a senhora, eu reconheço que você sempre esteve certa em tudo, você é a minha razão, mãe.

Eu daria de tudo para ouvir a sua voz novamente, poder sentir o conforto de seus braços e admirar o brilho ofuscante dos seus lindos olhos, a gente vai seguir lutando por você, honrando a pessoa maravilhosa que você é, faremos com que seu esforço aqui não tenha sido em vão.

Eu ainda me lembro dos dias em que eu estive doente e você deixou que eu dormisse com você, sempre me dando carinho e me abençoando com as suas orações, você foi minha heroína mãe, e continua sendo dentro do meu coração, aonde você sempre esteve, vai ser difícil, isso eu tenho certeza, mas todos nós aqui persistindo e louvando por você somos a prova de que sua missão foi concluída, seu brilho não se apagou e sempre continuará conosco.

Você é a jóia inestimável que deus fez questão de nos dar, e agora devolvemos com todo amor e carinho, rezamos para que tenha sido bem recebida.

Você é o meu sol mãe, que me ilumina todas as manhãs, a minha razão de viver, continuarei abraçando você e suas memórias como se fossem minhas e da família, e espero que um dia você possa voltar para mim, para meus braços, aonde nós dois vivemos uma eternidade.

Com amor, seu filho Miguel.

Você é a Luz dos meus Olhos, Mamãe.

2 respostas para “A carta de um menino de 12 anos que perdeu a mãe para a covid”

  1. Vanísia Nobre disse:

    Que carta linda. Que dor e amor dessa criança. Deus o conforte.

  2. Luzinete Faustino disse:

    Linda mensagem, o pequeno Miguel falou tudo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.