#JornalismoSemFakeNews

21 de julho de 2021 às 12:41

Denunciado pela PGR comandada por Augusto Aras, Ciro Nogueira poderá ser o ministro mais próximo do presidente Bolsonaro

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Tá tudo trocado no governo que prometeu acabar com a corrupção.

Sabe quem o presidente Jair Bolsonaro deverá ter como Chefe da Casa Civil?

O senador Ciro Nogueira, presidente do PP, o partido mais Centrão do país.

O engraçado é que Bolsonaro terá como seu maior interlocutor, o senador que em fevereiro de 2020, foi denunciado pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que tem como procurador geral Augusto Aras, indicado para o cargo por Bolsonaro.

Tipo assim…

O PGR de Bolsonaro denunciou Ciro por corrupção passiva e lavagem de dinheiro, sob acusação de ter recebido R$ 7,3 milhões da Odebrecht em propina, em troca de benefícios à empresa, e agora Bolsonaro acolhe Ciro como se nada tivesse acontecido, e como ele mesmo nunca tivesse prometido acabar com a corrupção no Brasil.

Ciro Nogueira foi acusado pela PGR, em denúncia apresentada pela coordenadora Lindôra Araújo, de receber propina de forma parcelada entre 2014 e 2015.

O líder do Centrão, e agora homem fortíssimo de Bolsonaro, era alvo de ao menos três inquéritos em tramitação no Supremo Tribunal Federal (STF), que tratavam de denúncias oferecidas pela Operação Lava-Jato e envolviam acusações de recebimento de dinheiro para que o PP apoiasse o governo de Dilma Roussef, de participação em um esquema de corrupção envolvendo a empreiteira UTC em obras do Ministério das Cidades no Piauí, e de recebimento de dinheiro ilegal da Odebrecht para campanhas eleitorais. 

Dois inquéritos da Lava-Jato foram arquivados pela Segunda Turma do STF, ambos relativos a supostos esquemas de propina na Petrobras.

Em um deles, Ciro Nogueira era investigados por corrupção passiva, corrupção ativa, evasão de divisas e lavagem de capitais.

As articulações para mudanças nos ministérios foram comandadas nesta terça-feira pelo ministro Fábio Faria, das Comunicações.

*

De mais mudanças no Ministério de Bolsonaro:

Paulo Guedes dividirá sua pasta com Onyx Lorenzoni.

Guedes segue com Economia e Lorenzoni ganhará o Ministério do Emprego e Previdência, que será criado.

Sim, será criado.

Mais uma criação pelo governo que prometeu reduzir ministérios.

Tudo trocado…

E por que Lorenzoni vai ganhar novo Ministério?

Porque será desalojado da Secretaria-Geral da Presidência, que passará a ser ocupado pelo general da reserva Luiz Eduardo Ramos, que está sendo desalojado – a contragosto – da Casa Civil, que será ocupada pelo líder do Centrão, senador Ciro Nogueira.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.