#JornalismoSemFakeNews

6 de setembro de 2021 às 19:20

Ex-PM mineiro que disse que a polícia iria matar o ministro Alexandre de Moraes e a família dele tem prisão decretada

[0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do Metrópoles:

Ameaçado de morte, o ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), decretou, após pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR), nesta segunda-feira (6/9), a prisão preventiva do ex-policial militar Cássio Rodrigues Costa Souza, de Minas Gerais. O magistrado também solicitou que as redes sociais bloqueassem as contas dele.

“A conduta do requerido, narrada pela Procuradoria-Geral da República, revela-se ilícita e gravíssima, constituindo ameaça ilegal à segurança dos Ministros do Supremo Tribunal Federal, revestindo-se de claro intuito de, por meio de violência e grave ameaça – inclusive com ameaças de morte –, coagir e impedir o exercício da judicatura, atentando contra a independência do Poder Judiciário, com flagrante afronta à manutenção do Estado Democrático de Direito, em patente descompasso com o postulado da liberdade de expressão”, diz a decisão.

Rodrigues usou, na última sexta-feira (4/9), às redes sociais para dizer que mataria o ministro e toda a família dele e o chamou de “vagabundo”. “Morra Careca Filh…, terça-feira vamos te matar e toda sua família seu vagabundo. Advogadinho de merda do PCC, sou Policial Militar e nós militares te eliminaremos”, escreveu. A publicação foi excluída, mas acabou circulando pela internet.

Após a repercussão, a conta do ex-policial foi suspensa do Twitter por “violar as regras” da plataforma.

A reportagem do Metrópoles apurou que o nome de Cássio Rodrigues Costa Souza aparece no Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, expedido em 24 de julho de 2018. O militar figura na lista de policiais reformados por incapacidade física definitiva. Ele era lotado no 31º Batalhão de Polícia Militar do estado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.