Thaisa Galvão

18 de fevereiro de 2016 às 23:50

Candeeiro: Gutson Johnson e Clebson Bezerril serão ouvidos nesta sexta-feira  [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Mais uma rodada das audiências de instrução na operação Candeeiro vai movimentar o Forum Seabra Fagundes, em Natal, nesta sexta-feira.

Entre os envolvidos a prestar depoimento no auditório do Forum, com direito a plateia, estarão os ex-diretores do Idema, Gutson Johnson e Clebson Bezerril.

Clebson já assinou a delação premiada, acatada pelo Ministério Público, mas nesta sexta prestará depoimento seguindo as audiências.

Certo que já deverá começar a abrir a boca, mas as provas deverão ser entregues quando for convocado a depor como delator.

De acordo com as investigações do MP, ainda não há polígicos envolvidos no esquema, mass…o clima poderá esquentar com os depoimentos.

18 de fevereiro de 2016 às 22:27

Celso de cara nova [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Jornalista focado na região de Macau, Guamaré e por aí afora, Celso Amâncio reativa seu blog.

Que volta com cara nova.

  

18 de fevereiro de 2016 às 22:23

Troca-troca de partido em 3, 2, 1… [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do portal da Câmara Federal:
Promulgada emenda constitucional que permite troca de partido por 30 dias


O Congresso Nacional promulgou nesta quinta-feira (18), em sessão conjunta (Câmara e Senado), a emenda constitucional 91, que abre prazo de 30 dias para que políticos troquem de partido sem perder o mandato. 

É a chamada “janela partidária”. 

O texto promulgado é o da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 182/07.
A desfiliação, no entanto, não será considerada para fins de distribuição do dinheiro do Fundo Partidário e do acesso gratuito ao tempo de rádio e televisão.
Supremo

Desde 2008, o Supremo Tribunal Federal (STF) entende que os mandatos pertencem aos partidos e que, por isso, o detentor de mandato eletivo não pode mudar para outra legenda sem perder o mandato. Mas a desfiliação para a filiação em partido recém-criado não acarreta a perda do cargo. 
A emenda fez parte da reforma política aprovada pelos deputados no ano passado, que inclui também outras medidas, como o fim da reeleição para presidente, governador e prefeito. Estas medidas ainda serão examinadas pelo Senado. 
O deputado Arnaldo Faria de Sá (PTB-SP) defendeu a proposta na Câmara. Ele acredita que a emenda é positiva. “Ela permitirá a acomodação de novas realidades políticas regionais e municipais também. Estamos em um ano de eleição municipal e, apesar de não ter interesse em mudar de partido, de não ser beneficiário da proposta, a promulgação vai permitir uma acomodação extremamente importante.”
Por outro lado, o deputado Esperidião Amin (PP-SC), considera que a janela para a troca de partidos vai gerar oportunismo político. “Há prognósticos que a janela vai significar aqui na Câmara 30, 35 deputados que vão mudar de partido. Agora imagina no Brasil inteiro. 

Vereadores com mandato na maior parte dos municípios vão migrar ou para o partido do prefeito que é candidato à reeleição – oportunismo – ou para partidos que apoiam o candidato que está em primeiro lugar nas pesquisa que está sendo divulgada.”

18 de fevereiro de 2016 às 17:52

Ex-diretor do Idema assina acordo de delação premiada com o Ministério Público [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Réu na operação Candeeiro, que apura desvio de dinheiro no Idema, o ex-diretor financeiro, Clebson José Bezerril, assinou agora à tarde, acordo de delação premiada com o Ministério Público. 

Ele está preso desde 2 de setembro.

Clebson trabalhava com Gutson Johnson, principal envolvido no caso, e que, se conseguir benefícios, pretende também assinar delação premiada.

18 de fevereiro de 2016 às 13:14

Em nota, escolas católicas repudiam uso, comércio e apologia a drogas nos estabelecimentos de ensino [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Associação de escolas católicas se pronuncia sobre denúncias envolvendo estudantes e drogas:
NOTA OFICIAL
A Associação Nacional de Educação Católica do Brasil – ANEC, por meio do Conselho Estadual do RN, vem a público repudiar a criação e veiculação de todos e quaisquer boatos que venham associar as Escolas Católicas de Natal à aceitação de práticas de: consumo, venda, distribuição, apologia e divulgação acerca de drogas e substâncias ilícitas de qualquer natureza.
Utilizando-se de informações falsas e completamente desconexas da realidade, algumas pessoas têm tentado por meio de redes sociais e aplicativos de celular, de forma absolutamente irresponsável e criminosa, denegrir a imagem de nossas Escolas e de nossos estudantes. Diante disso, queremos esclarecer que, havendo qualquer ocorrência desse tipo, em qualquer de nossas Escolas, ou mesmo em situações ocorridas fora do ambiente escolar, sempre serão tomadas as devidas providências pedagógicas, jurídicas e administrativas.
No seio da Escola Católica busca-se promover uma educação cristã evangélico-libertadora, que visa à formação integral da pessoa humana, sujeito e agente de construção de uma sociedade justa, fraterna e solidária, em favor da vida. Portanto, reiteramos que, enquanto Escolas Católicas, trazemos já na nossa natureza, uma total oposição a quaisquer práticas ilícitas e/ou incompatíveis com os valores que nos identificam.
Natal, 18 de fevereiro de 2016.
Conselho Estadual da ANEC no Rio Grande do Norte

18 de fevereiro de 2016 às 12:52

Direção do Salesiano garante que não há consumo nem comércio de drogas dentro da escola [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Comunicado dos Colégios Salesiano sobre a venda de drogas em escolas de Natal:
NOTA

Os Colégios Salesianos do RN, unidades São José e Dom Bosco, vêm por meio deste comunicado se pronunciar a respeito de conversas que estão sendo veiculadas no aplicativo Whats App onde mencionam-se que alunos provenientes de outras escolas, supostamente em conflito com a lei, estariam sendo transferidos para nossas unidades salesianas.
Ressaltamos que:
Nossas unidades dispõem de sistema de segurança monitorada 24 horas em todos os ambientes do colégio;
Não foram constatados casos de infração dentro das instalações salesianas;
Casos de infração ocorridos fora do ambiente escolar são de responsabilidade investigativa pelos órgãos competentes, como a Polícia Civil;
A direção dos Colégios Salesianos do RN, bem como toda a comunidade educativa, empenha-se diariamente para proporcionar um ambiente escolar saudável, seguro e transparente. Contamos com equipes de educadores e profissionais altamente capacitados para acompanhar sistematicamente os educandos a eles confiados. Reafirmamos que nossos Colégios são lugares seguros nos quais os pais podem confiar.
Contamos com a colaboração de todos.
Atenciosamente,

Padre Robson Barros

Diretor Geral

18 de fevereiro de 2016 às 11:56

Advogado quer negociar delação para ex-diretor do Idema abrir a boca [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do G1RN:
‘Queremos a delação premiada’, diz defesa de suspeito de fraudes no RN


Advogado Fábio Hollanda diz que Gutson Reinaldo quer ‘revelar esquema’. ‘Ele sabe de muita coisa’, antecipa; audiências começam nesta quarta (17)
“Nós queremos e estamos dispostos a negociar uma delação premiada. Meu cliente sabe de muita coisa. Sabe como funcionava todo o esquema dentro do Idema. Mas ele só irá revelar, obviamente, se houver esse acordo de delação premiada. A partir de agora, só depende do Ministério Público”. 

A declaração é do advogado Fábio Hollanda, que defende Gutson Johnson Giovany Reinaldo Bezerra, apontado pelo MP do Rio Grande do Norte como líder de suposto esquema fraudulento que desviou mais de R$ 19 milhões do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) entre anos de 2013 e 2014. Gutson é ex-diretor administrativo do órgão.
Os desvios foram investigados na operação Candeeiro, deflagrada em 2 de setembro do ano passado. 

De acordo com as investigações do MP, o esquema contava com a participação de pessoas da Unidade Instrumental de Finanças e Contabilidade do Idema em comunhão com o então diretor administrativo e com auxílio de terceiros, estranhos ao órgão.

Fábio Hollanda não quis antecipar o teor do que poderia ser revelado por Gutson Reinaldo. 

“Já entrei em contato com os promotores responsáveis pela operação Candeeiro. Propus a delação premiada. Agora resta apenas eles negociarem conosco como isso será feito. Se quiserem, meu cliente está disposto a colaborar”, ressaltou.
De acordo com o MP, os pagamentos eram realizados a empresas que não possuíam qualquer vínculo contratual com o órgão. O pagamento acontecia sem que fosse realizado qualquer registro no Sistema Integrado de Administração Financeira do Estado do Rio Grande do Norte (SIAF), nem informada a contratação das empresas beneficiárias ao Tribunal de Contas do Estado ou mesmo disponibilizada a informação no Portal da Transparência.
Com as investigações, o MP afirma que há provas e ainda fortes indícios de autoria dos crimes de quadrilha/associação criminosa, peculato, lavagem de dinheiro, falsificação de documento público, uso de documento falso, extravio, sonegação ou inutilização de livro ou documento.

Segundo o Ministério Público, o dinheiro supostamente desviado do Idema foi usado para comprar apartamentos de luxo, construir uma academia de alto padrão e reformar a loja de uma equipadora de veículos.
Os destinos dos recursos foram identificados pelo Ministério Público do estado nos oito meses de investigações que culminaram na operação Candeeiro, deflagrada em Natal, Parnamirim, Santana do Matos e Mossoró. 

De acordo com o promotor Paulo Batista de Lopes Neto, o esquema criminoso se utilizou de “ofícios fantasmas” para desviar R$ 19.321.726,13 do órgão entre 2013 e 2014. Os documentos eram emitidos pelo Idema ao Banco do Brasil solicitando transferências de recursos do órgão para pelo menos sete empresas. Nenhuma delas possuía vínculo com o instituto.
Audiência de instrução

O juiz da 6ª vara Criminal de Natal, Guilherme Newton do Monte Pinto, marcou para estas quarta e sexta-feiras (17 e 19), o início da audiência de instrução do processo da operação Candeeiro. Nessa fase do processo, serão ouvidas as testemunhas de defesa e de acusação, além dos réus do processo. 

São réus na ação: Antônio Tavares Neto, Aratusa Barbalho de Oliveira, Clebson José Bezerril, Eliziana Alves da Silva, Elmo Pereira da Silva Júnior, Euclides Paulino de Macedo Neto, Fabiola Mercedes da Silveira, Faulkner Max Barbosa Mafra, Geraldo Alves de Souza, Guilherme de Negreiros Diógenes Reinaldo, Gutson Johnson Giovany Reinaldo Bezerra, Handerson Raniery Pereira, João Eduardo de Oliveira Soares, Ramon Andrade Bacelar Felipe Sousa e Renato Bezerra de Medeiros. Os acusados responderão pelos crimes de peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.
As audiências estão marcadas para serem iniciadas às 8h30 e devem se estender até o fim do expediente no “plenarinho” do fórum Miguel Seabra Fagundes, em Natal.

18 de fevereiro de 2016 às 11:41

Mãe denuncia venda de drogas sintéticas em escolas de Natal e revela que seu filho foi vítima [2] Comentários | Deixe seu comentário.

Drogas nas escolas.

O assunto assusta pais e diretores e professores de escolas públicas e particulares de Natal.

Uma mãe gravou um áudio que está circulando nas redes sociais, falando de uma tarde de pizza na casa de amigos onde a seu filho menor teriam aplicado um papelote e meio de LSD.

O menino foi parar no hospital e, ao pressionar o anfitrião, a mãe descobriu o que fez o menino chegar em casa dizendo que estava morrendo e, levado ao hospital, chegar espumando.

A mãe do menino, que está denunciando o que aconteceu, deu entrevista à TV Metropolitano.

A reportagem, que fala de várias denúncias de venda de drogas em escolas públicas e particulares, irá ao ar agora às 12h45.

Para assistir é só sintonizar o canal 30 da Cabo TV ou acessar o site www.thaisagalvao.com.br

18 de fevereiro de 2016 às 11:31

PSDB continua disposto a trocar comando no Rio Grande do Norte [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O movimento do deputado federal Rogério Marinho, ontem no comando do PSDB, em Brasília, não deverá ter o resultado esperado pelo grupo tucano no Rio Grande do Norte.

A intenção do PSDB continua sendo a de trocar a legenda do partido no Rio Grande do Norte.

18 de fevereiro de 2016 às 8:21

Da jornalista Mirian Dutra: “Por que ninguém nunca investigou as contas que o Fernando Henrique tem aqui fora?” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Natuza Nery, na Folha, sobre a jornalista da Globo que manteve um romance com o ex-presidente FHC:

“Não quero morrer e isso ficar na tumba”, diz jornalista sobre FHC
NATUZA NERY

EDITORA DO PAINEL

A jornalista Mirian Dutra Schmidt, 55, com quem Fernando Henrique Cardoso manteve um relacionamento amoroso, sustenta que o ex-presidente da República bancou despesas de seu filho Tomás no exterior por meio de uma empresa.
Em entrevista à Folha, ela afirma que esses pagamentos coincidiram com o período em que FHC comandava o país (1994-2002), mas não quis revelar a identidade da companhia.
Garantiu ter provas para atestar o que diz.
Segundo a Folha apurou, a Brasif S.A. Exportação e Importação ajudou FHC a enviar ao exterior recursos para Mirian.
De Madri, onde mora, Mirian falou longamente com a reportagem por telefone. “Eu não quero morrer amanhã e tudo isso ficar na tumba. Eu quero falar e fechar a página”, afirma.
Fernando Henrique admitiu manter contas no exterior e ter mandado dinheiro para Tomás, mas nega ter usado empresa para bancar a jornalista (leia abaixo).
*
Folha – Por que decidiu falar, depois de 30 anos?

Mirian Dutra – Para mim foi muito difícil. É muito complicado porque a minha vida inteira sempre foi trabalho e, de repente, essa história pessoal cruzou a minha vida.

Como foi a história de vocês?

Eu o conheci em janeiro de 1985, quando Tancredo [Neves] estava no hospital. Eu estava jantando no restaurante Piantella [em Brasília] com vários amigos jornalistas e ele entrou sozinho. Um amigo jornalista o convidou para a nossa mesa.
Logo que a gente se conheceu, um mês depois, ele disse para mim, era o governo Sarney: “Vai ter espaço para mim. Eu tenho que ser presidente. Só eu tenho capacidade para levar este país”.
Dei a entrevista à revista “BrazilcomZ” para desmentir tudo o que escreveram ao meu respeito. Eu quero que meu nome não fique numa rede social como uma rameira. Eu fui uma pessoa apaixonada por um homem. Quando tentei sair

Descobriu que estava grávida

Eu estava grávida de quase três meses. Eu não estava aguentando mais essa história toda de ser amante, de ser a outra. Aí eu fiquei quieta, esperei ele voltar [de viagem] e, quando voltou, foi jantar na minha casa.
Quando disse que estava grávida, ele disse “você pode ter este filho de quem você quiser, menos meu”. Eu falei: “não acredito que estou escutando isso de uma pessoa que está há seis anos comigo”.

Ele pediu para você abortar?

Pediu. Óbvio. “Eu te pago o aborto agora”, disse. Aliás, vou te contar uma coisa mais séria ainda. Durante os seis anos com ele, fiquei grávida outras duas vezes, e eu abortei.

Ele soube?

Ele pagou. Pagou por dois abortos. Eu não queria ter outro filho, eu tinha minha filha estava muito feliz. Nunca pude tomar pílula, colocar DIU [método intrauterino], porque tenho um problema de rejeição absoluta a hormônio que venha de fora. Ele sabia disso.

O que houve a partir daí?

Aí que, pela primeira vez, em seis anos, ele deixa de falar comigo. Porque sentiu que a decisão era firme. Aí eu disse que não tinha que contar para ninguém quem era o pai, que era livre e desimpedida.

Ficaram sem se falar até o nascimento do seu filho?

Ele foi umas duas ou três vezes na minha casa. Quinze dias depois do nascimento, ele foi me visitar. Minha mãe estava lá [em casa] quando ele foi conhecer o filho. Só que eu tinha decidido que eu iria embora [do Brasil]. Aí antecipei todos os meus planos e meio que fugi mesmo. Lembro que, quando do impeachment do Collor, vi esse homem [FHC] lambendo as botas do Itamar [Franco], que ele criticava a vida inteira. Fui buscar trabalho em Portugal. Recebi ajuda do [ex-senador] Jorge Bornhausen, que era meu amigo de Santa Catarina.

Mas ele reconheceu o filho…

Nunca fez.

Por que você não o desmentiu à época?

Em 2009, ele foi para os Estados Unidos e simplesmente colocou na cabeça do Tomás que o Tomás não poderia contar para mim, mas que iriam fazer um DNA. Ele visitava o Tomás nos EUA depois da Presidência. Mas nunca foi criado com pai nenhum. Nunca me casei, nunca tive namorado, esse departamento [namoro] se encerrou na minha vida.

Ele bancou seu filho fora do Brasil?

Quando Tomás fez três anos de idade, isso foi mais ou menos em 1994, aceitei que ele pagasse o colégio do Tomás, pois queria que ele estudasse num bom colégio. A partir daí, ele pagou. Quando vim para Barcelona, que é quando eu digo que fui exilada, porque eu queria voltar para o Brasil e não permitiram que eu voltasse…

Quem não permitiu?

[O então senador] Antonio Carlos Magalhães pediu para que eu não voltasse para o Brasil, o Luís Eduardo Magalhães [filho de ACM]. Diziam para ficar longe. Diziam “deixa a gente resolver essas coisas aqui”. Aí eu pensei e achei que, para os meus filhos, era melhor eu ficar [no exterior], pois eles seriam muito perseguidos no Brasil.
Eu tinha que ter metido a boca no trombone no começo. Eles não aceitaram porque estavam em plena história da reeleição. Isso foi quando Fernando Henrique estava tentando mudar a Constituição. É uma coisa estranha porque eu lembro que quando [José] Sarney quis ficar cinco anos, ele estava na minha casa jantando e deu um baile: “como este homem pode ficar cinco anos? O poder tem que ser quatro anos, e renovável”. E aí tem uma história muito cabeluda nisso tudo, que ele, por meio de uma empresa, mandava um dinheiro para mim.

Que empresa?

Não sei se eu posso falar. Não quero falar. Foi por meio de uma empresa que ele bancou.

Você não quer nominar, mas tem como provar? Algum recibo?

Tenho. Tenho contrato. Tudo guardado aqui. É muito sério. Por que ninguém nunca investigou isso? Por que ninguém nunca investigou as contas que o Fernando Henrique tem aqui fora?

Contas?

Claro que ele tem contas. Como ele deu, em 2015, um apartamento de € 200 mil para o filho que ele agora diz que não é dele? Ele deu um apartamento para o Tomás.

O exame de DNA diz que o Tomás não é filho dele…

É dele [e gargalha]. É óbvio que é dele.

Você afirma então que ele forjou o exame de DNA?s

Não estou afirmando nada, mas tudo me parece muito estranho, porque eu nunca me neguei a fazer o exame de DNA. Não vou afirmar porque isso seria uma irresponsabilidade da minha parte. Além do mais, uma mulher sabe quem é o pai. A não ser que provem que Deus é o pai do meu filho.

Você teve alguma outra relação no período?

Claro que não.

Gostaria de voltar à empresa. Como foi esse acerto para você receber esse dinheiro?

O ex-marido da minha irmã, o Fernando Lemos [morto em 2012], era o maior lobista de Brasília e era ele quem conseguia tudo. Eu sempre fui muito ingênua nessas coisas. Eu não devia nada a ninguém, por que eu ficaria cheia de pecados e pruridos? Eles fizeram contrato comigo como se eu fosse funcionária deles [da empresa], só que eles nunca me permitiram trabalhar e aí eu ganhava.

Isso acabou quando?

Dois anos depois que ele saiu do governo.

Por que você nunca expôs essa história? Você, como jornalista, não sabia que era irregular uma empresa pagar em nome do presidente?

Eu acho que eu tinha que ter feito um escândalo quando eu fiquei grávida. Depois, as coisas foram acontecendo, entendeu? Meus filhos ficaram maiores e eu já não podia ficar fazendo tanta confusão.

E por que você decidiu falar agora?

Porque eu estou cansada de ver pessoas escrevendo coisas erradas, essa história do DNA. Estou cansada de tudo isso. Eu não quero morrer amanhã e tudo isso ficar na tumba. Eu quero falar e fechar a página. E quero tentar ser feliz, porque eu não consegui até hoje.

Alguém está por trás de sua quebra de silêncio?

Ninguém. Eu vivo absolutamente sozinha na Espanha, nunca vivi tão sozinha como agora. Vivo com um cachorrinho chamado Xico, com X, não tenho vida social, não tenho nada, até pela minha fibromialgia e pela polipose adenomatosa. Eu não estou falando isso para tirar proveito de absolutamente nada. Estou lavando a minha alma. É muito difícil você ser xingada por milhões de pessoas e não vou deixar isso acontecer mais. Não podia entrar na justiça contra porque eu trabalhava na TV Globo.

E agora que não trabalha mais lá você optou por falar…

Exatamente. Eu agora não devo mais nada a ninguém.

OUTRO LADO
O ex-presidente da República Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) admitiu manter contas no exterior, ter mandado dinheiro para Tomás e ter lhe presenteado recentemente com um apartamento de € 200 mil em Barcelona, na Espanha.
O ex-presidente diz que os recursos enviados a Tomás –tanto para a compra do apartamento, quanto para ajudá-lo em seus estudos– provêm de “rendas legítimas” de seu trabalho, depositadas em contas legais e declaradas ao Imposto de Renda.
Segundo ele, as contas estão “mantidas no Banco do Brasil em Nova York e Miami ou no Novo Banco, em Madri, quando não em bancos no Brasil”.
“Nenhuma outra empresa, salvos as bancárias já referidas, foi utilizada por mim para fazer esses pagamentos”, afirma FHC.
O ex-presidente diz ainda que o repasse dos recursos para que Tomás comprasse o apartamento em Barcelona foi feito por meio de transferências de sua conta bancária no Bradesco “com o conhecimento do Banco Central” brasileiro.

DNA
Embora Mirian negue, FHC diz ter reconhecido Tomás em 2009, o ex-presidente afirma ter feito dois testes de DNA nos Estados Unidos.
“[Com] o propósito de dar continuidade a meu desejo de fundamentar declarações feitas por mim em Madri de que Tomás seria meu filho”, declarou o ex-presidente.
“Para nossa surpresa, o primeiro teste deu negativo, daí [fizemos] o segundo, que também comprovou que não sou pai biológico do referido jovem”, declarou FHC.
Mirian diz que os testes foram feitos sem que ela soubesse e que o ex-presidente pediu para que Tomás não lhe contasse nada.
FHC rebate as afirmações da jornalista dizendo que se dispôs a fazer outro teste de DNA e, mesmo diante dos resultados negativos, procurou manter “manter as mesmas relações afetivas e materiais com o Tomás”.
O ex-presidente afirma ainda que, “quando possível”, atende Tomás nas necessidades afetivas.
O ex-presidente não respondeu a acusação de que teria pagado para que Mirian fizesse dois abortos antes da gravidez de Tomás.
Declarou apenas: “Questões de natureza íntima, minhas ou de quem sejam, devem se manter no âmbito privado a que pertencem”.
Sobre Mirian afirmar que [o então senador baiano] Antonio Carlos Magalhães pediu para que a TV Globo não a mandasse de volta ao Brasil para, segundo ela disse, “ficar longe” de FHC, o ex-presidente diz desconhecer detalhes da vida profissional da jornalista.

18 de fevereiro de 2016 às 7:52

Ex-repórter da Globo confirma que FHC usou empresa para lhe lhe fazer repasses no exterior mas diz que dinheiro era dele [0] Comentários | Deixe seu comentário.

De Mônica Bérgamo, na Folha de hoje:

FHC usou empresa para me mandar dinheiro no exterior, diz ex-namorada
  

A Brasif S.A. Exportação e Importação ajudou Fernando Henrique Cardoso (PSDB-SP) a enviar ao exterior recursos para a jornalista Mirian Dutra, com quem o ex-presidente manteve um relacionamento extraconjugal nos anos 1980 e 1990, e para o filho dela, Tomás Dutra.
A transferência foi feita, segundo ela, por meio da assinatura de um contrato fictício de trabalho, celebrado em dezembro de 2002 e com validade até dezembro de 2006.
Em entrevista à Folha, a jornalista afirmou que FHC usou uma empresa para bancá-la no exterior.
No documento, aparece como contratante a Eurotrade Ltd., empresa da Brasif com sede nas Ilhas Cayman.
O contrato estabelece que a jornalista deveria prestar “serviços de acompanhamento e análise do mercado de vendas a varejo a viajantes”, fazendo pesquisas “tanto em lojas convencionais como em duty free shops e tax free shops” em países da Europa.
Os dados coletados seriam enviados à Brasif, que na época explorava os free shops (lojas com isenção de impostos) de aeroportos brasileiros.
Fernando Henrique admitiu manter contas no exterior e ter mandado dinheiro para Tomás, mas nega ter usado a empresa para bancar a jornalista.
  

DÍVIDA
Mirian, que como jornalista trabalhou na TV Globo, afirmou à Folha que “jamais pisou” em uma loja convencional ou em um duty free para trabalhar.
E que o contrato, de US$ 3.000 mensais, foi feito para “suplementar” a renda dela e de Tomás.
“Eu trabalhava na TV Globo e tive um corte de 40% no salário em 2002. Me pagavam US$ 4.000. Eu estava superendividada, vivia de cartões de crédito e fazendo empréstimo no banco. Me arrumaram esse contrato para pagar o restante”, afirma Mirian.
O acordo foi mediado pelo jornalista e lobista Fernando Lemos, que era casado com Margrit Dutra Schmidt, irmã de Mirian.
“Ele [Lemos] disse que tinha que arrumar um jeito de melhorar a minha vida financeira, já que eu tinha uma hipoteca [de um apartamento que comprou em Barcelona, na Espanha] e a Globo tinha cortado o meu salário.”
Lemos, morto em 2012, e Margrit faziam a ponte entre a jornalista e Fernando Henrique, então presidente, que não tinha como manter contato frequente com Mirian.
PESQUISA
A jornalista diz que, numa conversa, dois anos depois da vigência do contrato, Fernando Henrique revelou que o dinheiro enviado pela Brasif era, na verdade, dele, e não da empresa.
“Ele me contou que depositou US$ 100 mil na conta da Brasif no exterior, para a empresa fazer o contrato e ir me pagando por mês, como um contrato normal. O dinheiro não saiu dos cofres da Brasif e sim do bolso do FHC”, diz.
O empresário Jonas Barcellos, dono da Brasif, não nega o acerto. Mas diz não se lembrar de detalhes.
“Tem alguma coisa, mesmo, sim”, afirmou ele, quando questionado pela Folha sobre ter assinado um contrato com Mirian para ajudar FHC a enviar recursos a ela. “Eu só não sei se era contrato”, declarou.
Barcellos disse que estava em Aspen, nos EUA, e que voltará ao Brasil na próxima semana. “Vou fazer um levantamento na empresa para esclarecer tudo”.
Questionado sobre ter tratado do tema com FHC, respondeu: “Faz muito tempo, eu preciso pesquisar e me lembrar para responder.”
Mirian e Fernando Henrique mantiveram um relacionamento extraconjugal por seis anos. No período, ficou grávida. Depois do nascimento de Tomás, pediu à emissora que a transferisse para Portugal.
FHC não registrou Tomás. Mas nunca questionou a paternidade e sempre o tratou como filho, responsabilizando-se por parte do sustento do jovem no exterior.
Em 2009, a Folha revelou que o ex-presidente havia decidido reconhecer o filho na Espanha, onde Tomás vivia com a mãe.
“Eu sempre cuidei dele”, afirmou na época ao jornal.
Dois anos depois, o ex-presidente fez dois exames de DNA com Tomás.
Os resultados deram negativo, o que provaria que o jovem não é seu filho biológico. FHC afirmou publicamente que o exame em nada alterava a situação e que ele seguiria reconhecendo Tomás como seu filho.
Mirian questiona a validade do exame.
CONGLOMERADO
Fundado em 1965, o grupo Brasif atua em diversos setores, como venda e aluguel de máquinas pesadas, biotecnologia animal e varejo de vestuário. A operação dos free shops foi vendida em 2006 para o grupo suíço Dufry, por US$ 500 milhões.

18 de fevereiro de 2016 às 7:33

Rogério Marinho leva prefeitáveis tucanos do RN à cúpula do PSDB para tentar segurar o partido [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O deputado Rogério Marinho foi à cúpula do PSDB nacional nesta quarta-feira tentar segurar o partido com unhas e dentes.
Como só o Blog publicou, os senadores Aécio Neves e Cássio Cunha Lima ofereceram o comando do PSDB no Rio Grande do Norte ao deputado federal democrata Felipe Maia, que não aceitou.

E depois, como só o Blog publicou, Cunha Lima veio ao RN para oferecer o PSDB ao ex-senador Fernando Bezerra e depois ao presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira de Souza…e as conversas não foram concluídas.

Preocupado em perder a legenda pela qual pretende disputar a Prefeitura de Natal, Rogério, que é tucano do grupo de José Serra e Geraldo Alkmin, foi tentar se compor com o grupo de Aécio, Cássio, Antônio Imbassahy e Tasso Jereissati…

Com ele, levou um grupo de prefeitáveis tucanos do interior do Rio Grande do Norte.
“O PSDB não é apenas mais um partido, é a principal alternativa de poder a tudo isso que está acontecendo com o Brasil. A crise chegou na casa das pessoas, inflação alta, as pessoas estão endividadas, e o mais grave, sem perspectivas. Só uma mudança que inspire confiança no futuro é que permitirá um novo cenário no Brasil. Queremos um partido que tenha musculatura em todos os Estados e vamos fazer esforço especial em relação ao Nordeste e, claro, ao Rio Grande do Norte”, disse Aécio Neves, que reconheceu Rogério como uma “liderança importante aqui no Congresso, no partido, na Câmara e também no Rio Grande do Norte”.

Antes da reunião completa, o grupo de Rogério se reuniu com o senador Cássio Cunha Lima, o que veio ao RN em busca de um novo comando para o partido.

Pelo jeito, o tumulto foi desfeito.
Fotos Alexssandro Loyola

   
 

18 de fevereiro de 2016 às 6:20

Aniversariante da 4ª feira, Wilma de Faria é homenageada com missa em ação de graças [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Ficou cheia a igreja de Santa Teresinha, em Natal, para a missa de aniversário da ex-governadora Wilma de Faria.Recomendada pelos médicos a manter pouco contato com muita gente, Wilma não abriu mão da missa, que não teria acontecido se dependesse dos familiares, focados no tratamento de saúde da ex-governadora.

Para atender pela metade à recomendação, Wilma já chegou à igreja na metade da celebração.

E não abraçou as pessoas como de costume.

Wilma está fazendo sessões de quimioterapia, o que faz com que as defesas baixem e ela seja obrigada a evitar contatos físicos com muita gente.

E o prefeito Carlos Eduardo foi, o vice-governador Fábio Dantas também, deputados, vereadores…

O governador Robinson Faria telefonou para a aniversariante.
Fotos Márlio Forte

   
 
Pela manhã, em casa, Wilma acompanhou a sessão da Assembleia Legislativa, onde a deputada-prefeitável Márcia Maia fez um pronunciamento em sua homenagem.

Com apartes de 20 deputados e o discurso que mais lhe emocionou: o do deputado Ezequiel Ferreira de Souza, que focou suas palavras na pessoa, na mulher, na amiga, sem falar da política.

Ao Blog, Wilma disse que Ezequiel lhe emocionou, lhe fez desligar a televisão…

18 de fevereiro de 2016 às 5:42

Wilma de azul PR e Carlos Eduardo de verde bacurau [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Se tem uma coisa que a ex-governadora Wilma de Faria sempre soube fazer, foi dar recado através das cores.A cor da roupa de Wilma, dependendo de para onde ela vai, tem sempre um significado, e nesta quarta-feira não foi diferente.

Wilma chegou à igreja vestindo azul…cor do PR.

O partido comandado pelo ex-deputado João Maia é hoje o caminho mais provável de Wilma e da filha deputada (prefeitável?) Márcia Maia.

Ciente que Wilma dá recado através da cor da roupa, o prefeito Carlos Eduardo fez sua parte.

E chegou à igreja vestindo verde bacurau.

Bacurau/PMDB que ocupará a vaga de vice na chapa de reeleição de Carlos Eduardo, no lugar onde hoje está Wilma.
Fotos Márlio Forte

  

18 de fevereiro de 2016 às 5:38

#prontofalei [0] Comentários | Deixe seu comentário.

E durante a missa, Wilma de Faria disse que não iria falar de política.

Não iria falar sobre “isso que tinha acontecido” e ” se era elegante ou não…

#prontofalei

18 de fevereiro de 2016 às 1:17

Comando do Dnit garante à deputada Zenaide Maia que trecho da estrada entre Natal e Macau está sendo asfaltado [0] Comentários | Deixe seu comentário.

A deputada federal Zenaide Maia recebeu nesta quarta-feira, da Superintendência do DNIT no Rio Grande do Norte, informações sobre as ações do Programa Crema 2ª Etapa na Rodovia BR-406, no trecho entre Macau a Natal. 

Em outubro passado Zenaide solicitou do Idema a liberação de licenciamentos para o andamento de várias obras, por parte do DNIT, entre elas a da Rodovia BR-406.

 

De acordo com o comunicado entregue à parlamentar, o órgão está executando os serviços de Microrevestimento Asfáltico a Frio, aplicado no período noturno, devido ao excesso de veículos no segmento entre a rotatória BR-101-Norte e BR-406, e a ponte Presidente Costa e Silva.

A região será sinalizada.