Thaisa Galvão

23 de abril de 2020 às 23:09

Emendas da senadora Zenaide incluem agricultores e outros trabalhadores na lista dos que tem direito ao auxílio emergencial [0] Comentários | Deixe seu comentário.

As emendas apresentadas pela senadora Zenaide Maia ao projeto de renda mínima emergencial (PL 873/2020) garantiram a inclusão de agricultores e de trabalhadores intermitentes, com contratos ativos, na lista de quem também terá direito a receber o auxílio emergencial de R$ 600,00 por três meses.

O projeto foi aprovado pelos senadores e agora só falta a sanção presidencial para virar lei.

Outra mudança proposta pela senadora e acatada pelo senador Esperidião Amin (PP-SC), relator do projeto, insere na lei de ajuda emergencial a nova renda per capita familiar de meio salário mínimo para o acesso ao Benefício de Prestação Continuada (BPC).

A medida aumenta o número de famílias que poderão ser beneficiadas e garante que nenhuma operação “pente-fino” ou coisa parecida possa suspender o pagamento do BPC durante o estado de calamidade pública:

“Reinserimos o meio salário mínimo por pessoa e mais: durante a pandemia, ninguém que recebe o Benefício de Prestação Continuada pode ter seu benefício suspenso”, explicou a parlamentar.

23 de abril de 2020 às 17:30

Moro passa a tarde trancado no gabinete e assessor dá resposta monissilábica a deputada: “não vai sair” [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Governistas, ministros, deputados…todo mundo cerca na tarde desta quinta-feira, o ministro da Justiça Sergio Moro, para pedir que ele não deixe o Governo.

Mas ninguém dá conta de um movimento parecido pedindo a jair bolsonaro para não trocar o comando da Polícia Federal.

Moro passa a tarde em seu gabinete no Ministério.

Do lado de fora um batalhão de jornalistas aguardando um possível pronunciamento, uma imagem que seja…

As cortinas da sala de Moro permaneciam fechadas e o ministro a receber ligações, mensagens…

Retorno mesmo até agora só dois: da assessoria de imprensa que diz que ele não confirma a informação…o que não quer dizer nada…

E do assessor Especial de Assuntos Federativos e Parlamentares do Ministério, Lucas de Goes, em resposta a uma deputada, que passou mensagem para Moro alarmando que a Bolsa já estava caindo com a notícia da saída dele.

Goes respondeu assim: “não vai sair”.

Mas Moro não respondeu nada.

23 de abril de 2020 às 16:38

Deputada bolsonarista ensaia um #ficamoro mas apaga a postagem [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O site O Antagonista foi ligeiro e printou o tuíte da deputada bolsonarista Carla Zambelli, pedindo para Sergio Moro ficar no governo e convocando os seguidores a subir a #hashteg #ficamoro

Zambelli deve ter sido convocada a não botar lenha na fogueira já que há um movimento dos militares do governo para tentar segurar o ministro.

A postagem foi apagada.

Essa postagem aí, ó:

23 de abril de 2020 às 16:13

Força brasil [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Do ex-candidato a presidente da república, João Amoedo, fundador do partido Novo:

“O que dizer de um presidente da República que no meio de uma pandemia e em apenas uma semana:

1- Troca o ministro da Saúde
2- Participa de uma manifestação a favor do golpe militar e contra as instituições do Estado de Direito
3- Se aproxima de políticos condenados por corrupção
4- Lança um programa (Pró-Brasil) com base em conceitos já testados e que não funcionaram em outros governos
5- queima o ministro da economia (seu mais importante quadro)
6- Troca o comando da Polícia Federal, sem nenhuma justificativa
7- Força a saída do seu ministro mais emblemático no combate à corrupção.”

Fonte – O Antagonista

23 de abril de 2020 às 15:34

Depois de Mandetta, governo produz mais um adversário de bolsonaro no pleito de 2022 [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Com a mania de perseguição que lhe é peculiar, e as tomadas de decisões com base no Conselho de Casa, ouvindo os filhos – um senador, um deputado e um vereador – jair bolsonaro segue produzindo adversários.

Foi assim com o ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta, agora é assim com o ainda ministro Sergio Moro.

Mandetta deixou o cargo imensamente mais bem avaliado que o chefe.

É nome provável para disputar a presidência da república em 2022.

Moro já teve um momento candidato, teve climão com bolsonaro, mas os panos quentes colocados pelos auxiliares do governo impediram sua saída da equipe presidencial.

A gestão seguia às mil maravilhas na frente das câmeras, e agora a gota d’água, surgindo Moro mais uma vez como possível nome a disputar com bolsonaro à presidência em 2022.

Resta saber qual será o próximo auxiliar a se transformar em adversário.

23 de abril de 2020 às 15:21

Troca na PF seria uma gota d’água para um ministro que não aguenta mais o cargo, o chefe e o governo [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Um pedido de demissão de um ministro, ainda mais na qualidade de Sergio Moro, que abriu mão da carreira de juiz federal para ser colaborador de uma gestão, não é uma coisa tão simples e tão repentina.

Pedir demissão de um cargo de ministro, nas condições de Sergio Moro, é, no mínino, uma gota d’água. O pingo que faltava.

Para Sergio Moro pedir demissão, é a comprovação de que o ex-juiz federal não aguentava mais o cargo, o chefe, o governo, a situação.

Encheu o saco. Topou.

Para quem foi juiz federal, levou nas costas a lava-jato, prendeu o mais popular ex-presidente da república, atuou na derrubada de uma presidente…

Seria, no mínimo, demais, aturar a demissão do seu braço direito na Polícia Federal, e vê-lo ser substituído por um militar mais amigo dos filhos do presidente, encalacrados em investigações que vão desde rachadinhas em gabinetes legislativos a lavagem de dinheiro em lojas de chocolate, passando por outras suspeitas…

Moro admitir tudo isso e ainda aceitar que seu Ministério, o da Justiça, terá uma Polícia Federal que não responderá a ele…será no mínimo jogar na lata do lixo sua idoneidade tão pregada nos tempos áureos da lava-jato.

A carreira de magistrado ele já jogou: não é mais juiz e não será indicado por Moro para ser ministro do STF como sempre sonhou.

Resta agora a cadeira de presidente.

Moro podr começar a pensar em uma possível candidatura em 2022.

23 de abril de 2020 às 15:02

A possível demissão de Moro com a ideia de bolsonaro trocar comando da PF por militares federais mais próximos de sua família [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Na Folha de S. Paulo, o repórter Leandro Colon diz que o ministro da Justiça, Sergio Moro, pediu demissão a Jair Bolsonaro.

E que teria tomado a decisão ao ser informado por bolsonaro pela decisão de trocar a diretoria-geral da Polícia Federal, hoje ocupada por Maurício Valeixo.

Bolsonaro informou o ministro, em reunião, que a mudança na PF deve ocorrer nos próximos dias. Moro então pediu demissão do cargo, e Bolsonaro tenta reverter a decisão.

Os ministros Braga Netto (Casa Civil) e Luiz Eduardo Ramos (Secretaria de Governo) foram escalados para convencer o ministro a recuar da decisão.

Se Valeixo sair, Moro sairá junto, segundo aliados do ministro.

Valeixo foi escolhido por Moro para o cargo. O atual diretor-geral é homem de confiança do ex-juiz da Lava Jato. Desde o ano passado, Bolsonaro tem ameaçado trocar o comando da PF. O presidente quer ter controle sobre a atuação da polícia.

Em seu blog, no G1, Andréia Sadi não foi enfática quanto à demissão de Moro.

Ela escreveu assim:

Moro e Bolsonaro conversaram hoje. Segundo relatos obtidos pelo blog, não foi apresentada uma justificava clara para trocar a direção da Polícia Federal. Quem acompanha as investidas de Bolsonaro desde o ano passado diz que o problema para o presidente não é Valeixo, mas o próprio ministro. E que o presidente quer um diretor-geral próximo à família Bolsonaro. 

Moro, ao ser informado pelo presidente, resistiu à troca e chegou a dizer que seria muito ruim para ele, à frente do Ministério da Justiça, perder seu braço direito. 

Aliados de Moro avaliam que a saída de Valeixo enfraquece o ministro e significa uma intervenção do presidente na principal corporação de investigação do país. 

Moro, segundo avaliações do Ministério da Justiça, teria dificuldade em indicar um sucessor.

No Estadão, Fausto Macedo disse que o ministro Moro teria dito que deixará o governo caso o bolsonaro imponha um novo nome para comandar a Polícia Federal.

O Estado apurou que o ministro não aceita que essa troca venha de “cima para baixo”, e defende o direito de fazer a escolha.

23 de abril de 2020 às 11:44

Em texto encaminhado ao presidente do STF por bolsonaro sugere que não concorda com intervenção militar [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Depois que o STF decidiu investigar o movimento que pediu a volta da ditadura, no domingo passado, incluindo participação de deputados federais, mesmo não sendo alvo da investigação, mas tendo participado ativamente do ato, com apoio explícito, jair Bolsonaro decidiu encaminhar um texto ao presidente do STF, Dias Toffoli.

Um texto sem assinatura e que, segundo algumas interpretações, tenta hastear uma bandeira branca na frente do Supremo Tribunal Federal.

Tenta dizer, inclusive, que não concorda com intervenção, até porque seria seu mandato em jogo, tendo que ser dubstituído por um general.

Eis a íntegra do texto encaminhado ao STF:

 

Aqueles que pedem Intervenção Militar (Art. 142) ANTES, devem decidir qual General ocupará a cadeira do Capitão Jair Bolsonaro.

Aqueles que pedem AI-5 ANTES, devem mostrar onde está na Constituição tal dispositivo.

Toda manifestação é justa e garantida em nossa CF, portanto vão para as ruas, mas tenham uma pauta real, objetiva, com foco na missão.

Não ataquem Presidência, Supremo ou Congresso, mas aquilo que você julga que deve ser mudado.

Exijam ações, cobrem votações, critiquem sentenças, vocês atingirão seus objetivos.

O próprio Presidente tem dito que deve lealdade ao povo, assim como as Forças Armadas.

Unam esforços, o povo quer um Brasil diferente do que temos ainda, mas para isso deve escolher suas pautas, e também suas armas democráticas.

Dia 19, dia do Exército, o Presidente bem disse: “Agora é o povo no poder. Mais do que o direito, vocês têm a obrigação de lutar pelo país de vocês.”

E concluiu: “Contem com o seu Presidente para fazer tudo aquilo que for necessário para que nós possamos manter a nossa democracia e garantir aquilo que há de mais sagrado para nós, que é a nossa liberdade.

“VÁ E VENÇA”

23 de abril de 2020 às 11:27

Novo decreto do Governo amplia liberação de atividades econômicas, mantém aulas suspensas e estende isolamento social até 5 de maio [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Decreto da governadora Fátima Bezerra, amplia os serviços essenciais e libera mais atividades econômicas no Rio Grande do Norte.

O novo documento com medidas restritivas de combate e controle do coronavírus foi publicado nesta quinta-feira (23) no Diário Oficial do RN.

Ao mesmo tempo que amplia a abertura de serviços, prorroga o período de isolamento social por mais 12 dias, com nova data de vencimento em 5 de maio.

Para edição do novo decreto, o Governo segue recomendações de especialistas do mundo inteiro e do corpo de técnicos do RN, que falam sobre a necessidade de permanência do isolamento social. De acordo com o decreto de 1º de abril de 2020 continua suspenso o funcionamento de restaurantes, lanchonetes, praças de alimentação, praças de food trucks, bares e similares, salvo para entrega em domicílio (delivery) e como pontos de coleta (takeaway), sendo vedada a disponibilização de mesas e cadeiras.

A suspensão das atividades escolares foi estendida até o dia 31 de maio, ficando a Secretaria de Educação autorizada a antecipar as férias.

Atividades coletivas de qualquer natureza, públicas ou privadas, incluindo eventos de massa, shows, atividades desportivas, feiras, exposições, carreatas, passeatas e congêneres, continuam vetadas.

A lista de atividades essenciais foi ampliada e passa a incluir:

Serviço de podologia

Construção civil

Produção, distribuição, comercialização e entrega presencial ou por meio do comércio eletrônico, de produtos de saúde, higiene, alimentos, bebidas não alcoólicas, tecidos, aviamentos, armarinhos, materiais de construção ou reforma e de suprimentos agrícolas, incluindo mercados, supermercados, hipermercados, quitandas, açougues, peixarias, padarias, distribuidores..

Atividades de venda e locação de automóveis

Funcionamento de lojas de construção com ar-condicionado e lojas de conveniência.

Os escritórios de advocacia privada também estão autorizados a funcionar

Entrega de cargas e o transporte em geral, incluindo oficinas, borracharias e lojas de autopeças; oficinas de máquinas e equipamentos agrícolas.

Hotéis, flats, pousadas e acomodações similares; serviços de locação de máquinas, equipamentos e bens tangíveis; atividades de agências de emprego e trabalho temporário; serviços de reparo de computadores e bens pessoais domésticos e serviços de lavanderia…

Atividades financeiras, de seguros e de contabilidade; serviços de venda e locação de imóveis; e serviços de higiene pessoal, incluindo barbearias, cabeleireiros e manicures.

O novo decreto esclarece que a suspensão de atividades não atinge as indústrias e recomenda, sempre que possível, um horário exclusivo para o atendimento de clientes do grupo de risco da pandemia e recomenda o uso de máscaras industriais ou caseiras, ao acesso dos estabelecimentos que estão em funcionamento.

A vigência dos Atestados de Vistoria do Corpo de Bombeiros e das licenças e autorizações do IDEMA, que vencerem até 5 de maio, fica prorrogada para o dia 24 de maio.

O documento revoga as questões conflituosas envolvendo o horário de funcionamento dos supermercados.

Para discutir e planejar as próximas ações na área, foi criado um Grupo de Trabalho com representantes do Governo, dos empresários, do comitê científico estadual e da Federação dos Municípios para, juntos, elaborarem um plano que visa a retomada do funcionamento do comércio e da economia em geral.