Thaisa Galvão

15 de abril de 2021 às 18:12

5 mil mortes por covid no RN: Secretário de Saúde Cipriano Maia é o entrevistado de hoje do ’30 Minutos com Thaisa Galvão’ [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, é o entrevistado desta quinta-feira do ’30 Minutos com Thaisa Galvão’, que é transmitido pelo Instagram @blogthaisagalvao e vai ar, ao vivo, às 19h30.

Ele vai falar entre outros assuntos da pandemia, da marca de 5 mil mortes registradas no Rio Grande do Norte por Covid-19.

15 de abril de 2021 às 15:46

Obras de drenagem e pavimentação do bairro Planalto atingem 30% de execução [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Iniciadas pela Prefeitura de Natal em outubro do ano passado, as obras de drenagem e pavimentação do bairro Planalto já atingiram 30% de execução. Nesta semana, os operários concentram seus serviços nas ruas Cafarnaum e Santa Adélia. Além dessas duas vias, o projeto vai alcançar ainda outras 16 ruas da comunidade.

A construção de uma lagoa de captação também está prevista. Estão sendo investidos R$ 16,3 milhões de reais na obra, sendo mais de R$ 1 milhão como contrapartida da Prefeitura.

O prefeito Álvaro Dias classifica como uma “marca positiva” o bom andamento da obra no Planalto. “Os serviços estão avançando e esperamos concluir o projeto dentro do prazo estipulado em contrato, que é de 12 meses. Essa era uma reivindicação antiga dos moradores. Com a chegada de mais drenagem e pavimentação ao bairro, diversos outros serviços públicos serão ofertados de uma forma melhor como transporte, esgoto, energia dentre outros. Tem também o aspecto econômico. Os imóveis da região ficarão mais valorizados e o desenvolvimento local vai se acentuar ainda mais”, prevê o prefeito. “Mesmo com a pandemia e as dificuldades financeiras, a Prefeitura tem trabalhado na execução de projetos de infraestrutura com o objetivo de melhorar a qualidade de vida da população. É o que estamos fazendo no Planalto”.

A lista de ruas contempladas nesta primeira fase do projeto é composta pela Maranata e São Bráulio (as duas são as vias de maior porte contidas nas obras), Vicente Fernandes, Cafarnaum, Santa Adélia, Vale do Pitimbu, Engenheiro Clodoaldo Caldas, Monte Celeste, Monte Sinai, Santa Rita, Carlos Filgueira, Trav. Irmã Dulce, 4° Travessa Cafarnaum, 5° Travessa Cafarnaum, 2° Travessa Mira Mangue, Avenida Mira Mangue, Nav. Delio Otoni e Monte das Oliveiras.

15 de abril de 2021 às 13:44

Prefeito Allyson acompanha superintendente do Incra na entrega de títulos de terra a moradores de assentamento que esperavam há 25 anos [1] Comentários | Deixe seu comentário.

O prefeito de Mossoró, Allyson Bezerra, acompanhou o superintendente do Incra no Rio Grande do Norte, Marcelo Gurgel, o prefeito de Mossoró, nesta quinta-feira, à solenidade de entrega de títulos de terra a 68 agricultores do Assentamento Cabelo de Nego.

Criado há 25 anos, o assentamento seguia irregular durante todo esse tempo.

A luta de quase 3 décadas de seus moradores teve desfecho, finalmente, com a regularização das moradias.

“Depois de 25 anos de criação do Assentamento Cabelo de Nego efetivamente agora eles estão tendo a oportunidade de ter esse documento que lhe confere o direito de posse da terra. Esse é um trabalho árduo e até demorado, inclusive, mas agora chegou o ponto final deles que é efetivamente ele ter esse documento para dizer que a terra é deles. Sai do nome do Incra e passa para o nome do assentado”, disse Gurgel, afirmando que vai procurar entender porque alguns títulos não foram entregues, se houve algum problema com documentação.

“É uma entrega importantíssima. Ela dá ao agricultor de ‘Cabelo de Nego’ a propriedade definitiva da sua terra, dando fim a uma espera de 25 anos. Os assentados pediam e cobravam e agora com esse título de terra a espera de 25 anos chega ao fim. Isso é fundamental para que o agricultor possa, inclusive, buscar recursos, buscar trabalhar melhor sua terra”, comemorou o prefeito Allyson.

Fotos Wilson Moreno

15 de abril de 2021 às 13:30

João Maia cumpre agenda com ministros em Brasília [0] Comentários | Deixe seu comentário.

“Vale a pena vir a Brasília quando se obtêm resultados como os de hoje”.

A declaração é do deputado federal João Maia, que segue participando de sessões remotas da Câmara, ou em Natal onde mora ou em Messias Targino, onde a mulher Shirley Targino é prefeita.

Nessa semana cumpre agenda presencial onde tinha agendada reuniões em torno de políticas públicas para o Rio Grande do Norte.

Na agenda de ‘conterrâneos’, João teve audiência com o ministro de Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho e se reuniu com o coordenador da bancada do RN, deputado Benes Leocádio.

Além de contatos na Câmara, com o vice-presidente da Casa, deputado Marcelo Ramos (PL/AM) e o presidente nacional do PL, Valdermar Costa Neto, foi recebido pelo ministro da Casa Civil, General Ramos.

Também teve audiência com a ministra da Secretaria de Governo, Flavia Arruda, e com o secretário Nacional de Segurança Pública, Coronel Paim.

João Maia com General Ramos, com a secretária Flávia Arruda e com o secretário Paim

15 de abril de 2021 às 12:52

Morre de covid o repórter policial da TCM de Mossoró, Francileno Góis [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Morreu na UTI do hospital de Pau dos Ferros, o repórter policial Francileno Góis, que atuava na rádio da 95FM e na televisão TCM, em Mossoró.

Ele foi internado no dia 8 no hospital regional de Caraúbas, depois de ter contraído o coronavírus, e em seguida transferido para o hospital de Pau dos Ferros.

Francileno estava recebendo oxigênio através do ‘capacete Elmo’, mas o estado se agravou e nesta quarta-feira foi intubado.

15 de abril de 2021 às 12:23

Com hospitais se mantendo lotados no RN, Governo prorroga medidas restritivas até 23 de abril [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Publicado no Diário Oficial do Estado desta quinta-feira, ato do governo do Estado que prorroga as medidas restritivas em vigor no Rio Grande do Norte, em função da pandemia.

As medidas seguem valendo até o dia 23 de abril.

Ressaltando que permanecem o toque de recolher de segunda a sábado, das 20h às 6h do dia seguinte, e em tempo integral nos domingos e feriados, e as demais restrições do decreto anterior.

O rigor nos protocolos sanitários também continua, já que a taxa de ocupação de leitos críticos no estado ainda se entre 95% e 100% em todas regiões.

“O momento ainda é de extrema cautela. Nossos decretos são debatidos e dialogados com todos os setores e levam em conta as questões econômicas do nosso estado. Mas, a questão da saúde pública e salvar vidas continua sendo nosso foco central. Lembremos que a economia não sobrevive sem pessoas. Precisamos todos estar unidos agora para que possamos sair dessa situação, protegendo as vidas, diminuindo o número de ocupação de leitos. E isso só acontece, se as pessoas conseguirem respeitar os protocolos sanitários”, alertou a governadora Fátima Bezerra.

Entre as mudanças do decreto atual, em relação ao anterior, estão as regras estabelecidas em restaurantes de hotéis e pousadas da capital, que são agora estendidas para esses mesmos estabelecimentos no interior do estado: durante a incidência do toque de recolher, a vedação do acesso a não hóspedes e a consumação restrita à unidade hoteleira (quarto ou apartamento), excetuando-se, neste último caso, os serviços de café-da-manhã e de almoço, que poderão funcionar normalmente, desde que restrito ao hóspede.

Outra alteração é a liberação das atividades esportivas profissionais, já agendadas em campeonatos, mas sem a participação de público, tanto em treinos, quanto em jogos. Os Centros de Artesanato são retirados das restrições impostas ao funcionamento dos parques públicos, circos, museus, bibliotecas e equipamentos culturais.

CLIQUE AQUI E CONFIRA O DECRETO NA ÍNTEGRA

15 de abril de 2021 às 11:59

Jean Paul e outros líderes de minorias acrescentam ‘crimes de responsabilidade’ ao pedido de impeachment de Jair Bolsonaro [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Os líderes da minoria no Senado, Jean Paul Prates (PT/RN); da oposição, senador Randolfe Rodrigues (Rede/AP); das minorias na Câmara, deputado Marcelo Freixo (PSOL/RJ); da oposição, deputado Alessandro Molon (PSB/RJ), e o líder da minoria no Congresso, deputado Arlindo Chinaglia (PT/SP), protocolaram nesta quarta-feira, um aditamento ao pedido de impeachment do presidente Jair Bolsonaro.

No dia 31 de março, esses mesmos líderes já haviam protocolado um pedido de impeachment de Bolsonaro, mas com base na tentativa do presidente de usar as Forças Armadas para promover seu projeto autoritário de poder, o que configura crime de responsabilidade.

No aditamento, os líderes incluíram a conversa nada republicana entre Bolsonaro e o senador Jorge Kajuru, onde Bolsonaro tentou direcionar a CPI da covid, para incluir governadores e prefeitos, tentando mudar o tom das investigações, inicialmente previstas para focar no governo federal.

Os dois também iniciaram uma discussão em torno de pedido de impeachment contra ministros do STF.

Segundo os parlamentares líderes, essas ações são consideradas crime de responsabilidade do presidente.

“Em um período de menos de 20 dias, o presidente Bolsonaro cometeu uma série de crimes de responsabilidade. Além de ‘cooptação às Forças Armadas’, no final de março, o presidente agora tenta impedir o livre funcionamento do Senado e constrange os ministros do STF. Caso ocorram mais crimes de responsabilidade do presidente, vamos incluir novos aditamentos. Pelo andar da carruagem, nos próximos meses, teremos uma lista enorme de crimes de responsabilidade e o impeachment do presidente da República pode se tornar inevitável”, afirmou o senador do Rio Grande do Norte, Jean Paul Prates.

“A tentativa de usar um senador da República para ameaçar um ministro do STF constitui um claro atentado contra o livre exercício do poder judiciário. E isso, pela lei número 1.079 de 1950, constitui crime de responsabilidade do presidente da República. Por esta razão, nós da oposição estamos entrando com um complemento ao nosso último pedido de impeachment para que também este crime de responsabilidade seja julgado pelo Congresso Nacional”, disse o deputado Alessandro Molon.

“Bolsonaro cometeu mais um crime de responsabilidade ao tentar intervir no Congresso Nacional e intimidar um ministro do STF para impedir as investigações dos crimes que praticou na pandemia. O presidente é um serial killer constitucional, sua irresponsabilidade está matando e por isso ele não pode permanecer no cargo. A Câmara precisa reagir e abrir o processo de impeachment”, ressaltou o deputado Marcelo Freixo.

15 de abril de 2021 às 11:23

Antes da CPI, Tribunal de Contas da União sinaliza que Eduardo Pazuello tem que ser punido por omissão na gestão da pandemia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Tá pegando…

E a brincadeira do ‘e daí’, do ‘todo mundo vai morrer mesmo’, do ‘ele manda a gente obedece’…vai custar caro ao governo Jair Bolsonaro.

Ministros do Tribunal de Contas da União (TCU) sinalizaram nesta quarta-feira, 14, que devem punir o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello e seus auxiliares por omissões na gestão da pandemia da covid-19.

Isso antes de ser iniciada a CPI onde Pazuello será apenas um dos investigados.

Relator da ação sobre a conduta do Ministério da Saúde durante a crise sanitária, o ministro Benjamin Zymler disse que a pasta evitou assumir a liderança do combate ao novo coronavírus no país.

Pois…

Pazuello não assumiu o Ministério. Ele apenas ocupou e obedeceu.

Agora, como um bom ‘obediente’, vai ter que obedecer à justiça.

Segundo o relator, uma das ações da gestão de Pazuello foi mudar o plano de contingência do órgão na pandemia, com a finalidade de retirar responsabilidades do governo federal sobre o gerenciamento de estoques de medicamentos, insumos e testes.

“Em vez de expandir as ações para a assunção da centralidade da assistência farmacêutica e garantia de insumos necessários, o ministério excluiu, por meio de regulamento, as suas responsabilidades”, afirmou Zymler.

No relatório do TCU, o ministro Bruno Dantas disse que a gestão do ministério “envergonha” e que já há argumentos para impor “condenações severas” a gestores da pasta. Segundo Dantas, as responsabilidades podem ser medidas “em números de mortos”.

Obedeça, Pazuello.

Vem por aí muitas ordens para você obedecer.