Thaisa Galvão

22 de maio de 2021 às 13:35

Morre de covid em Mossoró o ex-presidente da Câmara Júnior Escóssia [0] Comentários | Deixe seu comentário.

Morre em Mossoró o ex-vereador e ex-presidente da Câmara Municipal, Júnior Escóssia.

Mais uma vítima da covid.

Júnior é filho do ex prefeito e ex-deputado estadual João Newton da Escóssia, já falecido.

Na última eleição, o nome da filha de Júnior, a médica Luana Santos, chegou a ser cogitado para disputar uma vaga na Câmara de Mossoró, mas a candidatura não chegou a ser registrada.

Foi na gestão de João Newton da Escóssia Júnior, “Júnior Escóssia”, que foi deflagrada na Câmara de Mossoró a operação ‘Sal Grosso’.

Além da filha médica, o ex-vereador deixa um filho advogado.

22 de maio de 2021 às 12:54

Sem apoio de Tomba Farias para seu projeto de chegar ao Senado, Fábio Faria desiste de levar ministro do Turismo a Santa Cruz [0] Comentários | Deixe seu comentário.

O ministro Fábio Faria chegará a Natal na segunda-feira acompanhado do ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

Os dois vem cumprir uma agenda política: fazer elogios ao presidente Jair Bolsonaro.

Uma reunião está agendada para 15h no hotel Holliday Inn para tratar de…nada.

Na divulgação, fala-se em ações para ampliar a conectividade e incentivar o turismo…

Uma agenda política, vamos combinar.

Fábio está sem palanque para disputar um mandato de senador e chega ao Estado, se não com recursos, como querem os prefeitos, com a promessa de uma internet boa num daqui a um tempo ainda não anunciado…

A reunião aconteceria no município de Santa Cruz.

Fábio programou chegar com o ministro do Turismo ao município do Rio Grande do Norte que mais trabalhou pelo turismo religioso, e de quebra agradaria ao deputado Tomba Faria, que tenta viabilizar uma candidatura ao Governo…

Mas aí Tomba declarou de público o apoio à candidatura do ministro Rogério Marinho à mesma única vaga do Senado que Fábio Faria almeja para ele

Aí o ministro das Comunicações não pensou duas vezes e trocou a visita a Santa Cruz por Natal mesmo.

22 de maio de 2021 às 9:32

Senado: campanha de ‘deseleição’ marca o momento político no RN [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Fora de época.

Bastou o presidente da Assembleia, Ezequiel Ferreira, se pronunciar sobre apoio à candidatura do ministro Rogério Marinho ao Senado, para vereadores e prefeitos começarem uma campanha fora de época de declaração de apoio ao pré-candidato.

Sinal claro de uma campanha para tirar o palanque do ministro Fábio Faria, companheiro de Rogério no governo Bolsonaro, e que também tenta viabilizar uma candidatura ao Senado.

Fábio já está sem palanque.

Sem apoio do presidente da Assembleia e do prefeito da capital Álvaro Dias, e sem um candidato a governador, terá que optar, caso confirme o projeto majoritário, por palanques localizados, em municípios onde tem prefeitos aliados.

Não será fácil numa disputa para o Senado, quando o protagonista já é um nome conhecido e desgastado ao ponto de ter enfrentado dificuldade para se reeleger deputado federal em 2018.

O palanque “oficial” de Rogério tem o papel de desalojar Fábio do cenário que se forma para o próximo ano, do mesmo jeito que a anunciada possível candidatura do ex-senador Garibaldi Filho, também ao Senado, ocupa o palanque que vem sendo paquerado pelo ex-prefeito de Natal, Carlos Eduardo Alves.

O ex-prefeito, embora não tenha se movimentado, principalmente no interior, onde não teve sucesso nas duas vezes que disputou o governo do Estado, articula pesquisas que apontam seu nome em primeiro lugar, na intenção de conseguir um palanque.

Porque Carlos também não tem.

Diferente de Garibaldi, que apesar de ter perdido a eleição em 2018, se resolver botar o pé na rua terá palanque por onde passar.

Pode até não se eleger, mas palanque não vai faltar para o ex-senador, ex-governador, ex-prefeito de Natal e ex-deputado estadual que nunca perdeu uma missa, batizado, procissão, festa de padroeira, aniversário ou simplesmente o convite para um café no mercado em todos os municípios do Rio Grande do Norte.

O nome de Garibaldi tira o de Carlos Eduardo do jogo, a menos que a governadora Fátima Bezerra resolva acolhê-lo.

É assunto recorrente uma possível candidatura de Carlos no palanque de Fátima, que nunca chegou a conversar com ele sobre o assunto.

Tem recebido recados e escutado.

Fátima tem falado mais com grupos onde não constam o nome de Carlos Eduardo.

E no grupo do PT, mesmo que nos bastidores uma candidatura a deputado federal seja dada como certa, o senador Jean Paul Prates se declara candidatíssimo à reeleição.

Portanto…

Como o cenário parece de eleição fora de época, a época agora parece mais de ‘deseleição’.

Se lança Rogério para tirar Fábio, se lança Garibaldi para tirar Carlos Eduardo, e se tira Jean Paul para se lançar quem, possivelmente, possa agregar todos em um mesmo palanque.

Se isso vai rolar, as águas de debaixo da ponte irão dizer.

O fato é que os nomes de hoje poderão não constar da próxima urna eletrônica.

22 de maio de 2021 às 8:25

Assessor que morreu de covid deixa áudio responsabilizando Bolsonaro e deputado nascido em Caicó por ter negado vacina para os brasileiros [1] Comentários | Deixe seu comentário.

Vítima de covid, o assessor José Roberto Feltrin, de 55 anos, morreu nesta sexta-feira.

Ele era assessor parlamentar do ex-senador e atual deputado federal pelo Mato Grosso, o potiguar José Medeiros.

José Medeiros é de Caicó, mas faz política no Mato Grosso onde era senador e em agosto de 2018 teve o mandato cassado à unanimidade do Tribunal Regional Eleitoral daquele estado por fraude na ata da convenção que definiu a chapa dos candidatos ao Senado em 2010.

Não ficou inelegível e para sobreviver politicamente não tentou reeleição e disputou e ganhou, mandato de deputado.

Filiado ao Podemos, José Medeiros era o chefe de José Roberto Feltrin e foi acusado por ele de ter contribuído, ao apoiar incondicionalmente o presidente Jair Bolsonaro, por ter se negado a comprar vacina no Brasil.

Feltrin gravou um áudio e enviou a um amigo poucos dias antes de morrer vítima de Covid, responsabilizando o presidente Jair e o deputado Medeiros pelo que está acontecendo no país.

“É como se um filme tivesse passando na minha cabeça agora. Esse tal de Medeiros também é responsável por tudo que está acontecendo com o povo brasileiro, esse maldito. Ele é responsável também. Esse cara vem apoiando esse governo genocida aí, esse cara vem sabotando a vacina desde o início. Já era para ter vacina para nós, para pessoas da minha idade e não tem”, disse Feltrin em um trecho do áudio.

Escute o áudio onde, com dificuldade de falar e de respirar, ele acusa Bolsonaro e José Medeiros pela sua morte, que sabia que estava chegando.